Menu
2020-07-03T08:43:46-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
redução de estrutura

Petrobras estima economia de R$ 4 bilhões ao ano com programas de demissão

Estatal anunciou que deve reduzir 22% do quadro de funcionários por meio de Programas de Desligamento Voluntário (PDVs) e Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI)

3 de julho de 2020
8:41 - atualizado às 8:43
Petrobras
Imagem: Tania Regô/Agência Brasil

A Petrobras anunciou que deve reduzir 22% do quadro de funcionários por meio de Programas de Desligamento Voluntário (PDVs) e Programa de Aposentadoria Incentivada (PAI) - voltado aos empregados aposentáveis até 31 de dezembro de 2023.

A estatal estima uma redução de custo de pessoal até 2025 em torno de R$ 4 bilhões por ano com a saída dos 10.082 inscritos nos programas. O retorno adicional (custo evitado de pessoal de R$ 22 bilhões menos o desembolso com as indenizações de R$ 4 bilhões) será de cerca de R$ 18 bilhões até 2025.

Segundo a Petrobras, foram adotados três PDVs: o do ano passado, destinado aos aposentados pelo INSS até a data de promulgação da PEC 133 de 2019, um PDV específico para empregados lotados em ativos/unidades em processo de desinvestimento e um programa exclusivo para os empregados que trabalham no segmento corporativo da empresa.

O PDV 2019, programa que detém o maior número de elegíveis, foi o primeiro a encerrar o ciclo de inscrições dos empregados no dia 30 de junho deste ano, diz a Petrobras.

Segundo o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, os programas de desligamento voluntário foram elaborados com a preocupação principal de respeitar o direito de livre escolha dos colaboradores.

"O resultado do PDV 2019 foi extremamente positivo com 94% de adesão, dos 10.053 empregados elegíveis, tivemos 9.405 inscritos. Consolidando os demais programas atingimos 10.082 inscrições, o que representa 22% do atual quadro de empregados", reforça.

Para a estatal, a medida contribui para a redução permanente da estrutura de custos e deve ajudar a passar pelo cenário de preços mais baixos do petróleo no longo prazo.

No PDV 2019, existem categorias com saída prevista em até 24 meses, o que diluirá os desligamentos no tempo. A companhia optou por diferir o pagamento das indenizações em duas parcelas, sendo uma no momento do desligamento e a outra em julho de 2021 ou um ano após o desligamento, o que for maior.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Abandonando o barco?

Ações do Banco do Brasil recuam 5% com possibilidade de saída de André Brandão

Brandão tem mostrado insatisfação com o cargo e quer deixar o comando da estatal, segundo jornal

Rumo aos R$ 6?

Dólar sobe e toca os R$ 5,60; Banco Central faz dupla atuação para tentar segurar o câmbio

Disparada da moeda americana ocorre em meio à fuga de recursos que migram para os títulos públicos americanos, cujos retornos dispararam recentemente

Não gostou

Conselheira da Petrobras critica forma da demissão de Castello Branco

Segundo ela, está havendo uma desintegração vertical e nacional da Petrobras, com a única finalidade de remunerar os acionistas, o que precisa ser mudado.

Esperança

Mundo pode crescer em 2021 mais que 5,5% previstos em janeiro, diz FMI

Kristalina Georgieva também defendeu crédito para empresas e famílias, a partir das circunstâncias de cada país, até a crise de saúde ser superada.

Necessidade econômica

Reação do mercado de trabalho na pandemia depende de condição sanitária, diz IBGE

A população ocupada encolheu em 8,373 milhões de pessoas em um ano, enquanto o total de desempregados aumentou em 2,294 milhões.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies