Menu
2020-10-13T14:03:54-03:00
Estadão Conteúdo
efeito pandemia

Para Fitch, balanços de bancos dos EUA não vão refletir desempenho de crédito no 3º tri

Segundo a agência, essa tendência ocorrerá por conta de incertezas sobre a maneira como essas instituições devem reportar o alívio fornecido no âmbito do pacote fiscal implementado pelo governo

12 de outubro de 2020
13:27 - atualizado às 14:03
Fachada da Fitch Ratings
Imagem: Shutterstock

Os balanços corporativos referentes ao terceiro trimestre não devem apresentar muitos indicativos sobre o desempenho de crédito de bancos americanos, avalia a Fitch Ratings, em relatório divulgado nesta segunda-feira, 12.

Segundo a agência, essa tendência ocorrerá por conta de incertezas sobre a maneira como essas instituições devem reportar o alívio fornecido no âmbito do pacote fiscal implementado pelo governo dos Estados Unidos.

"Isso irá mascarar a deterioração subjacente nas métricas de qualidade dos ativos reportados, potencialmente reduzindo a utilidade geral dos resultados informados", explica.

A análise explica que há diferenças na metodologia usada para informar modificações em empréstimos por conta da pandemia. "Por exemplo, alguns bancos relatam o volume de solicitações de modificação concedidas, alguns relatam números pontuais, que são normalmente menores do que os valores de volume, e outros adotam abordagens diferentes", revela.

Por conta dessas inconsistências, a agência não espera revisar as perspectivas negativas para a maior parte dos bancos americanos até, pelo menos, 2021. "A Fitch acredita que uma deterioração significativa nos indicadores de qualidade de ativos relatados, incluindo baixas líquidas e empréstimos inadimplentes, começará a se manifestar em 2021", projeta.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies