Menu
2020-02-14T12:38:01-03:00
Felipe Saturnino
Vem dinheiro aí

Grendene, dona da Rider, paga R$ 130 milhões em JCP e dividendos

Poderão receber o pagamento os acionistas que detenham ações ordinárias da empresa, inscritos nos registros da companhia em 22 de abril

14 de fevereiro de 2020
12:07 - atualizado às 12:38
Rider, Grendene
Imagem: Divulgação/Instagram Rider

Dona das marcas Ipanema e Rider, a Grendene aprovou o pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) aos acionistas no valor de R$ 129,7 milhões, relativos ao exercício financeiro de 2019, segundo comunicado da empresa. O montante começa a ser pago a partir de 6 de maio.

As ações da Grendene (GRND3) eram negociadas a R$ 10,80, numa queda de 1%. Nos últimos 12 meses, os papéis da empresa acumulam alta de 26%. Acompanhe nossa cobertura de mercados.



Segundo a companhia, serão distribuídos R$ 110 milhões na forma de JCP - o que corresponde ao valor bruto de R$ 0,1220 por ação. Os R$ 19,7 milhões restantes serão pagos em forma de dividendo complementar.

A cifra do dividendo corresponde a R$ 0,0219 por ação, sem remuneração, atualização monetária nem retenção de Imposto de Renda. Para ambos os casos, são excluídas ações em tesouraria.

Podem receber o pagamento os acionistas que detenham ações ordinárias (GRND3) inscritos nos registros da companhia em 22 de abril.

O valor por ação, do JCP e do dividendo complementar, está sujeito a alteração em razão do saldo de ações em tesouraria na data do corte, ainda segundo a Grendene.


Entenda o que são dividendos e JCP

Dividendos e JCP são formas de distribuição de lucros das empresas. Os dividendos constituem a porção do lucro das empresas que é distribuída periodicamente aos acionistas, que os sócios só recebem se a empresa der lucro.

Dividendos correspondem a uma parcela do lucro líquido, que nada mais é do que o resultado positivo da empresa após descontados o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), gerando uma despesa tributária para a empresa, mas isentos de imposto de renda para o acionista.

Enquanto isso, os JCP, em vez de terem um benefício tributário para os acionistas, como ocorre com os dividendos, beneficiam a empresa.

É que o provento é considerado uma despesa financeira e contribui para reduzir a base tributária da companhia, que paga menos imposto. Assim, o JCP não é isento de IR para os acionistas, sendo tributado na fonte a uma alíquota de 15%. Saiba mais sobre dividendos e JCP nesta matéria da Bruna Furlani.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O futuro das startups

Confira as 10 startups brasileiras mais cotadas para virar ‘unicórnio’ em 2020 e entrar para o clube do bilhão

O Brasil foi o terceiro país que mais gerou startups bilionárias em 2019, chegando ao total de 9 unicórnios até agora. E vem mais por aí

Crypto News

Não vai dar mais pra ficar parado no bitcoin

Mesmo que você tenha mais perguntas que respostas, alguma ação tem que ser tomada quando o assunto é criptomoedas

SD Premium - Lupa dos fundos

Rentabilidade presente: fundos da nossa lupa superam Ibovespa e CDI

Dos quatro fundos de três gestoras que nós acompanhamos desde o início da nossa série, em setembro do ano passado, três bateram os indicadores de referência em janeiro

Recuperação da estatal

Lucro da Petrobras salta 55,7% em 2019 e chega a R$ 40,1 bilhões, impulsionado pela venda de ativos

A Petrobras fechou 2019 com o maior lucro líquido anual de sua história, sustentada pelos fortes desinvestimentos e ganhos de eficiência na extração de petróleo — fatores que compensaram os menores preços da commodity no exterior

De olho no balanço

Marfrig reverte prejuízo e registra lucro líquido de R$ 27 milhões no 4º trimestre de 2019

No acumulado do ano, o lucro líquido caiu para R$ 218 milhões, ante R$ 1,4 bilhão no ano anterior

Confira os números

Petrobras, Ultrapar, Marfrig, RaiaDrogasil e GPA: os balanços que vão mexer com a bolsa nesta quinta-feira

O dia começa recheado de balanços anuais das companhias listadas no Ibovespa

Recurso da estatal

TRF-4 nega recurso da Petrobras e mantém Odebrecht fora de ação da Lava Jato

No recurso, a estatal buscava o prosseguimento dos réus na ação cível e a manutenção do bloqueio de bens dos executivos

Seu Dinheiro na sua noite

Guedes fora, alta do dólar

Você se lembra de quando o dólar a R$ 4,20 era o grande “patamar psicológico” da moeda americana? Não faz tanto tempo assim, mas esse nível de cotação ficou para trás, e agora parece até um pouco distante. Hoje, o dólar à vista bateu um novo recorde de fechamento. Eu sei que você já leu […]

Mais um recorde: dólar à vista sobe a R$ 4,36 e renova a máxima nominal de fechamento

O dólar à vista subiu mais um degrau nesta quarta-feira (19): pela primeira vez, terminou uma sessão acima dos R$ 4,36, cravando um novo recorde nominal. É a oitava vez em 2020 que a moeda renova as máximas de fechamento

Ainda na liderança

Vitor Hugo crê que permanece como líder do governo; Terra diz não receber convite

O deputado disse que não recebeu sinalizações do presidente Jair Bolsonaro de que poderá ser substituído pelo ex-ministro Osmar Terra

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements