Menu
2020-06-26T10:12:53-03:00
De novo

CVC adia mais uma vez entrega do balanço do quarto trimestre de 2019

A operadora e agência de viagens CVC informou nesta sexta-feira, 29, que as suas demonstrações financeiras referentes ao exercício de 2019 só devem ser apresentadas até 31 de julho

29 de maio de 2020
19:03 - atualizado às 10:12
CVC
Imagem: Divulgação

A operadora e agência de viagens CVC informou nesta sexta-feira, 29, que as suas demonstrações financeiras referentes ao exercício de 2019 só devem ser apresentadas até 31 de julho.

No fim de fevereiro, a operadora constatou indícios de erros na contabilização de valores transferidos a fornecedores de serviços turísticos. A empresa afirma não ter tido tempo suficiente para finalizar a elaboração das demonstrações financeiras referentes ao exercício de 2019, "não apenas em virtude do grau de complexidade envolvido naqueles processos, mas também pelos impactos e restrições operacionais decorrentes da pandemia de covid-19".

"Por essa razão, a companhia informa que não divulgará as demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2019 no prazo regulamentar extraordinário estabelecido pela Deliberação CVM nº 849/2020", diz, em fato relevante.

A meta da CVC é apresentar as demonstrações financeiras até o fim de julho, inclusive no que se refere a impactos em resultados de exercícios anteriores.

Dados preliminares

A primeira data prevista para a apresentação do balanço do quarto trimestre do ano passado era 31 de março. Na ocasião, a companhia apresentou informações financeiras preliminares não auditadas sobre o intervalo entre outubro de dezembro de 2019.

No período, o lucro líquido consolidado foi de R$ 187,6 milhões em 2019, queda de 2% ante o resultado contábil ano anterior. Na mesma base de comparação, a empresa registrou alta de 11,3% na receita líquida, que somou R$ 1,661 bilhão, com um recuo de 1,6 ponto porcentual na margem, de 11,3% para 9,7%. O Ebitda normalizado ficou em R$ 560,3 milhões, queda de 0,5%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

plano de recuperação inviável

Justiça decreta falência da Avianca Brasil

Em recuperação judicial desde dezembro de 2018, a companhia já não mantinha operações desde maio do ano passado

Ela vive!

Onde investir no 2º semestre: A renda fixa não morreu e ainda reserva oportunidades

O que pode ficar no passado é o CDI como referência de rentabilidade. Aliás, quem mirar a renda fixa além desse parâmetro verá que ainda existem boas opções de investimento

coronavírus no país

Covid-19: Brasil tem 41,8 mil novos casos e 1.300 óbitos em 24h

Até o momento, 1.209.208 de pessoas se recuperaram da doença

gestor lendário

Ray Dalio volta a dizer que dinheiro é ‘o pior ativo’ e prega diversificação sem ‘real estate’

Dalio participou na noite desta terça-feira (14) de uma das sessões da Expert XP e disse que ativos do mercado imobiliário não são recomendados para a carteira diversificada idealizada por ele

seu dinheiro na sua noite

100 mil é o limite?

No ápice do pânico nos mercados provocado pelo coronavírus, ninguém era capaz de dizer quando (ou quanto) seria o fundo do poço da bolsa. Hoje a grande dúvida dos investidores é saber se chegamos ao teto ou o Ibovespa pode subir ainda mais. O que mais me impressiona não foi nem a mudança da pauta nos mercados, […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements