Menu
2020-05-12T07:44:00-03:00
agora vai?

Com novo presidente em meio à crise do coronavírus, CVC tenta reagir

Com uma queda de 77% em suas ações desde novembro, a empresa mudou seu presidente e anunciou que prepara uma capitalização

12 de maio de 2020
7:43 - atualizado às 7:44
Leonel Andrade
Brasil, São Paulo, SP. 06/02/2014. Leonel Andrade, então presidente da Smiles posa para fotos durante entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo. - Imagem: SÉRGIO CASTRO/ESTADÃO CONTEÚDO/AE

Atingida em cheio pela paralisação das atividades decorrente da pandemia da covid-19, a CVC vem enfrentando também o desafio de reconquistar a credibilidade do mercado e avançar em sua transformação digital para tentar sair da crise. Com uma queda de 77% em suas ações desde novembro, a empresa mudou seu presidente - que assumiu em meio à quarentena e ainda não deu expediente na sede da companhia - e anunciou que prepara uma capitalização.

A tormenta na CVC começou quando o balanço da empresa indicou um lucro menor do que o esperado entre julho e setembro de 2019. No dia seguinte à publicação do resultado, as ações da empresa caíram 14%. A situação se agravou com a pandemia e, ainda mais, com a informação, divulgada no início de março, de que a companhia cometeu erros contábeis que podem reduzir em R$ 250 milhões a receita líquida acumulada entre 2015 e 2019. A avaliação do mercado, dizem fontes, é que a gestão da CVC vinha apresentando problemas e, agora, precisa reverter o jogo justo no pior momento.

A decisão de mudar o comando da empresa foi anunciada após o problema contábil se tornar público. Ex-presidente da Smiles, da Credicard e da Losango, Leonel Andrade assumiu a companhia em abril, numa mudança bem recebida pelo mercado. Quando o nome do executivo foi anunciado, o Bradesco BBI destacou o papel de Andrade na transformação digital da Smiles, que se tornou "líder no uso de ferramentas e produtos digitais". O analista Richard Cathcart, que assinou o relatório, disse ainda que a indicação do executivo permitiria à CVC apresentar uma solução ao mercado diante dos problemas recentes, como a "resposta lenta" à quebra da Avianca Brasil e a descoberta dos erros contábeis.

A transformação digital - um processo muito atrasado na CVC, segundo fontes - é justamente o foco da companhia para crescer no pós-pandemia. Hoje, de acordo com Andrade, a empresa não tem condições de oferecer um produto a um consumidor com base em seu comportamento prévio. "O mundo digital não é só uma plataforma digital. O mais importante é oferecer uma viagem para Salvador a um cliente que sabemos que gosta de ir para o Nordeste, que prefere ir de ônibus e que gosta de hotéis de determinado estilo. Isso ainda não temos construído na CVC", diz.

Para chegar nesse ponto, porém, a companhia terá, antes, de atravessar a crise da pandemia, que resultou em uma queda de pouco mais de 85% em suas vendas. "Acredito que, se houver um crescimento agora, será marginal. A partir de junho, pode começar a voltar, mas sou conservador. Só no último trimestre do ano, vamos ter movimentos mais consistentes", acrescenta.

Andrade afirma que, mesmo com vendas muito baixas, a empresa tem caixa para sobreviver por pouco mais de um ano. Como vai queimar recursos nos próximos meses, a CVC decidiu fazer a capitalização. Segundo fontes, a intenção é levantar cerca de R$ 1 bilhão.

"Não basta sobreviver. Estamos trabalhando para tentar viver muito melhor quando a crise acabar. Por isso, lançamos o projeto de capitalização", diz Leonel, que acrescenta não saber qual o volume de recursos necessário para esse projeto. Com o capital, a empresa pretende, por exemplo, comprar diárias em hotéis a preços inferiores para revender quando a demanda retornar, garantindo margens maiores.

O consultor André Castellini, da Bain & Company, avalia que, apesar de o turismo ser um dos setores mais afetados pela crise, a CVC pode se beneficiar no futuro por ser forte no mercado doméstico, segmento que deve sofrer menos ou até se fortalecer com a debilidade esperada para o mercado internacional. Outro fator que pode ajudar a recuperação da companhia é a resiliência apresentada pelo turismo na crise passada, diz ele. "A CVC vai ter muita dificuldade neste ano, mas é um ativo com potencial para crescer, com custo fixo mais baixo que companhias aéreas."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

DE OLHO NO LONGO PRAZO

Ouro ou imóveis: qual o melhor investimento para defender seu patrimônio?

Na hora da crise, os dois investimentos são considerados capazes de salvar seu dinheiro do derretimento dos mercados no longo prazo.

crise de saúde

Brasil tem 28.834 mortes por covid-19

Foram incluídas nas estatísticas 33.274 novas pessoas infectadas com o novo coronavírus, somando 498.440 casos confirmados

conflito entre poderes

‘Tudo aponta para uma crise’, diz Bolsonaro sobre decisões do STF e e TSE

Decisões recentes de Cortes miram a família, aliados e a sua campanha presidencial em 2018

dados da anp

403 estão contaminados pelo coronavírus em unidades de produção de petróleo

ANP reiterou o registro de uma morte de funcionário de uma embarcação de apoio à produção que desembarcou no dia 24 de abril

crise política

PF quer ouvir Bolsonaro no inquérito sobre interferências na corporação

Como presidente, Bolsonaro pode optar pelo depoimento por escrito

situação crítica

Acordo fixa prazo de 20 dias para análise de pedidos de auxílio de R$ 600

Em redes sociais, usuários chegam a relatar espera superior a 40 dias para receber uma resposta da solicitação

conflito entre poderes

Maia diz que Bolsonaro ‘desorganiza e gera insegurança’

Na última quinta-feira, 28, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se reuniu com Bolsonaro para pedir a pacificação entre os Poderes. Maia decidiu não acompanhar o colega na visita

sem reabertura agora

Prefeitura de São Paulo prorroga quarentena até 15 de junho

De acordo com Covas, não haverá nenhum tipo de mudança na autorização de funcionamento dos setores que atualmente estão proibidos de abrir à população.

diante da crise

Abrindo a economia agora, vamos ter de fechar de novo, diz ex-presidente do BC

Affonso Celso Pastore disse que vê como prematura a reabertura antes do início do achatamento da curva de mortes pela Covid-19; estados anunciaram nos últimos dias a flexibilização

histórico

SpaceX, do bilionário Elon Musk, lança astronautas da Nasa pela primeira vez; veja vídeo

Neste sábado, às 16h22 (pelo horário de Brasília), foguete da empresa decolou, marcando mais um avanço do setor privado sobre a exploração espacial

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements