Menu
2020-12-01T08:32:36-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
EXPANDINDO

Boa Vista fecha aquisição de plataforma de renegociação de dívida

Birô de crédito reforça presença em mercado recuperação de crédito, segmento com receita potencial de até R$ 5 bilhões

1 de dezembro de 2020
8:32
boa vista
Imagem: YouTube

Depois de estrear de forma bem-sucedida neste ano na B3, o birô de crédito Boa Vista (BOAS3) foi às compras e fechou a aquisição da Acordo Certo, plataforma digital de renegociação de dívidas e recuperação de crédito, mercado com receita potencial entre R$ 4 bilhões e R$ 5 bilhões.

O acordo prevê inicialmente o pagamento de R$ 37 milhões, a realização de investimentos na empresa e o desembolso de um valor complementar após dois anos, dependendo do cumprimento de algumas metas de performance, em valor mínimo correspondente a R$ 100,6 milhões.

Segundo a Boa Vista, a Acordo Certo conecta credores com débitos vencidos com seus consumidores. A plataforma reúne dívidas de 57,8 milhões de indivíduos representando mais de R$ 188 bilhões disponíveis para negociação, com 13,4 milhões de usuários cadastrados.

“Esta aquisição está alinhada à estratégia da companhia de ampliar a oferta de produtos e soluções aos clientes e aos consumidores, fortalecer sua posição de liderança em soluções analíticas, reafirmar sua estratégia de transformação digital e criar valor através do uso da marca e da força de vendas assim como monetização da sua base de clientes e consumidores”, diz trecho do comunicado.

A Acordo Certo apresentou receita líquida de R$ 8,8 milhões no terceiro trimestre, crescimento de 155% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Estreia forte

A Boa Vista realizou sua oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) no final de setembro e estreou com o pé direito, com os papeis fechando em alta de 15,16%.

Esse foi o 18º IPO realizado na B3 este ano e o primeiro de uma empresa de gestão e análise de crédito. As ações estão listadas no Novo Mercado, o mais alto nível de governança da bolsa.

A companhia captou R$ 2,17 bilhões, executando o lote principal e o suplementar. A demanda chegou a ser cinco vezes superior ao total de ações.

Dos recursos da oferta primária, que foram para o caixa da empresa, parte será utilizado para financiar novas aquisições, como foi o caso com a Acordo Certo, e pagamento adiantado de contratos financeiros.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Sobe e desce da commodity

Dia de correção: minério de ferro cai forte e derruba ações da Vale e siderúrgicas

As ações da Vale, Gerdau, Usiminas e CSN estão entre as maiores baixas do Ibovespa hoje, influenciadas pela cotação do minério de ferro

Rombo nas contas assusta

Decisão do STF sobre ICMS pode acelerar reforma tributária

O risco de um desfalque maior na arrecadação do governo deve intensificar os esforços da equipe econômica para acelerar a tramitação das mudanças no Congresso

Reação ao balanço

Lucrou, mas não empolgou. Ações do IRB caem mesmo com melhora no resultado

Papéis da resseguradora (IRBR3) estavam entre as maiores quedas do Ibovespa nesta sexta-feira; Credit Suisse vê piora operacional da companhia

Prepare o bolso

Petrobras diz que manterá ritmo de reajustes nos preços de combustíveis

Um executivo confirmou que não haverá mudanças na política de preços da estatal, que segue sem frequência definida

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies