Menu
2020-08-18T17:43:09-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
mais um na disputa

Banco Inter lança campanha de plataforma de investimentos e mete a colher na briga com corretoras

Após embate entre XP e Itaú, o Banco Inter entra na disputa. Hoje, o Inter estreou uma campanha televisiva sobre a plataforma de investimentos da instituição

18 de agosto de 2020
17:43
Banco Inter - Cartão - Celular
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

O Banco Inter estreou nesta terça-feira (18) uma campanha televisiva sobre a plataforma de investimentos da instituição — demonstrando que o banco quer participar da disputa entre bancos e corretoras, mais recentemente estrelada por XP e Itaú.

A ação tem por objetivo apresentar a plataforma do Inter, que oferece produtos próprios e de terceiros, e tem o mote "Simplifica, vem para o Inter!".

As peças publicitárias serão veiculadas durante 60 dias em TV aberta e fechada e também no ambiente online, além da divulgação pelo canal oficial no YouTube e nas redes sociais do Inter, disse o banco.

No segundo trimestre de 2020, a plataforma do Banco Inter atingiu a marca de 762 mil clientes ativos, chegando a 13% da base de clientes, com um crescimento anual de 179%. São 238 mil correntistas com ações custodiadas no período, aumento de 748% no ano, segundo o Inter.

Até o fim de 2020, a instituição diz prever um crescimento de mais 30% na base de clientes.

Apresentada pela jornalista Mari Palma, a campanha de 30 segundos destaca benefícios do banco, como cashback em fundos de investimentos e home broker gratuito, entre outros.

“Queremos falar a partir da visão do cliente e explicar os benefícios de investir numa plataforma completa, que reúne os melhores produtos próprios e de terceiros, sem qualquer tipo de conflito de interesses ou taxas escondidas”, diz o CEO João Vitor Menin.

Em junho, Itaú e XP protagonizaram uma disputa pública disparada por uma campanha do bancão criticando o modelo de remuneração dos agentes autônomos.

No dia seguinte, a XP respondeu dizendo que o Itaú perdia R$ 150 milhões todo dia em recursos de clientes que migram para a corretora e pontuou que "não seria difícil imaginar" o fim do Personnalité em três anos.

No mês passado, no entanto, a XP resolveu modificar o seu modelo e passou a exibir os valores das taxas cobradas.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

seu dinheiro na sua noite

No mundo corporativo, quem não diversifica, se trumbica

De uns tempos para cá, uma antiga fala de Warren Buffett tem pipocado nas minhas redes. Nela, o megainvestidor diz que “diversificação não faz sentido para quem sabe o que está fazendo” — e ele, naturalmente, se coloca como um sábio. Longe de mim querer contrariar o oráculo do mercado financeiro, mas é preciso tomar […]

nos ares

Boeing realiza 1º voo do maior avião da família 737 MAX e inicia fase de testes

Empresa vem trabalhando para superar acidentes aéreos envolvendo a família de aviões 737 MAX. No Brasil, a Gol tem um pedido firme do 737-10

pix questionado

Procon-SP notifica bancos por brechas exploradas por ladrões de celulares

São requisitados esclarecimentos sobre dispositivos de segurança, bloqueio, exclusão de dados de forma remota e rastreamento de operações financeiras disponibilizados aos clientes vítimas de furto ou roubo

FECHAMENTO DA SEMANA

Juros futuros são grandes protagonistas da semana e ainda prometem mais emoção; dólar recua 1% e bolsa fica no vermelho

Com Copom duro e a sinalização de uma possível elevação nas taxas de juros nos EUA, os principais contratos de DI dispararam. Na semana, o dólar recuou com o forte fluxo estrangeiro e a bolsa seguiu o ritmo das commodities (mais uma vez)

Calendário completo

Banco Central: veja as datas das reuniões do Copom em 2022

O Copom é o órgão do BC responsável por definir, a cada 45 dias, a taxa básica de juros da economia brasileira

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies