Menu
2020-02-27T09:33:08-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Jornalista formado pela UFPR. Fez parte da oitava turma de treinamento em jornalismo econômico do Estadão.
olho nas cifras

Ambev registra lucro de R$ 12,5 bilhões em 2019

No quarto trimestre, lucro líquido ajustado chegou a R$ 4,6 bilhões, numa alta de quase 25%; ADRs da companhia, no entanto, caem no pré-mercado de NY

27 de fevereiro de 2020
8:18 - atualizado às 9:33
ambev
Imagem: Shutterstock

A Ambev divulgou nesta quinta-feira (27) que lucrou R$ 4,6 bilhões no quarto trimestre de 2019, pelo critério ajustado, que exclui eventos extraordinários — uma alta de 24,4%. Com o resultado o lucro líquido ajustado no ano aumentou 8,5%, atingindo R$ 12,549 bilhões.

Analistas ouvidos pela Bloomberg apontavam um lucro líquido ajustado de R$ 12,094 bilhões. A empresa atribuiu o resultado do quarto trimestre a uma menor despesa de imposto de renda — no período, o lucro por ação ajustado foi R$ 0,29 (+24,6%), enquanto no ano a cifra chegou a R$ 0,77 (+8,1%).

Ainda segundo a Ambev, a receita líquida aumentou 5,7% no quarto trimestre, com crescimento do volume de 3,4% e avanço de 2,2% da receita líquida por hectolitro (ROL/hl). A receita líquida subiu 2,8% no Brasil (+2,8%).

No acumulado do ano, a receita líquida apresentou um crescimento de 7,9%, com o volume aumentando 2,7% e a ROL/hl crescendo 5,0%, ainda de acordo com a empresa. A Ambev ainda reportou um avanço de despesas com vendas, gerais e administrativas entre 7,5% e 6,1% no ano, puxado pela pressão inflacionária na Argentina e maior investimento nas marcas.

No acumulado do ano, o Ebitda foi de R$ 21,1 bilhões (+1,5%), com margem bruta e margem Ebitda alcançando 58,8% (-260 pontos-base) e 40,2% (-260 pontos-base), respectivamente.

Avanço da receita

No acumulado do ano, a receita líquida aumentou 7,9% para R$ 52, 5 bilhões, com aumentos do volume e da receita líquida por hectolitro de, respectivamente, 2,7% e 5,0%.

Ao reportar os resultados do quarto trimestre, a Ambev afirmou que aumentou a receita porque adotou iniciativas para garantir um balanceamento entre volume e preço.

"O crescimento decorrente da contínua expansão do segmento premium foi parcialmente compensado pelo avanço de nossa estratégia de acessibilidade inteligente e pelo mix geográfico", disse a empresa.

Mudança de padrão

No balanço de 2019, a Ambev indicou que continua a estratégia de expandir o segmento "premium", seguindo a mudança de padrão de consumo de cerveja dos brasileiros.

O mercado local tem dado menos atenção o segmento “intermediário” de cervejas. Era neste último onde a tradição da Ambev estava consolidada, em marcas como Skol, Antarctica e Brahma. Com isso, a empresa segue enfrentando um ambiente competitivo.

Segundo a Ambev, em 2019 a marca Budweiser teve um papel chave como a ponte para consumidores que estão ingressando no segmento "premium" e a Stella Artois e a Corona seguiram em ritmo de crescimento.

No entanto, ao menos em um primeiro momento os investidores não aprovaram os números da empresa. No início da manhã desta quinta-feira, a ADR da Ambev negociada em Nova York recuava quase 5% no pré-mercado.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

votação pode ser adiada

Senado vai realizar sessão presencial em agosto

Atividades presenciais do plenário do Senado e das comissões permanentes da Casa foram suspensas em março

retomada em breve?

Mercado de trabalho parou de piorar; melhora depende do ritmo da recuperação, diz FGV

Forte alta no Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp), de 14 pontos na passagem de maio para abril, aponta mais para uma “redução no pessimismo”, segundo especialista da instituição

balanço

Diesel e gasolina fecham semestre em queda, diz Ministério de Minas e Energia

Segundo o MME, o fator de utilização das refinarias da Petrobras também foi reduzido no final do primeiro semestre

Pedra no sapato do governo

Congresso poder por obstáculo às vendas de estatais

Para o Congresso, a companhia não poderia ter transferido as refinarias para novas empresas criadas apenas para serem vendidas ao setor privado

agenda do governo

Sem privatizar estatais, governo quer liquidar Ceitec

Maior desejo do governo ainda é privatizar a Eletrobras, mas, para isso, será preciso convencer o Congresso a aprovar um projeto de lei que autorize capitalizar a companhia e reduzir a participação da União

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements