⚠️ DIVIDENDOS EM RISCO? Lula, Bolsonaro, Ciro e Tebet querem taxar seus proventos e podem atacar sua renda extra em 2023. Saiba mais aqui

2020-02-27T09:33:08-03:00
Kaype Abreu
Kaype Abreu
Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Colaborou com Estadão, Gazeta do Povo, entre outros.
olho nas cifras

Ambev registra lucro de R$ 12,5 bilhões em 2019

No quarto trimestre, lucro líquido ajustado chegou a R$ 4,6 bilhões, numa alta de quase 25%; ADRs da companhia, no entanto, caem no pré-mercado de NY

27 de fevereiro de 2020
8:18 - atualizado às 9:33
ambev
Imagem: Shutterstock

A Ambev divulgou nesta quinta-feira (27) que lucrou R$ 4,6 bilhões no quarto trimestre de 2019, pelo critério ajustado, que exclui eventos extraordinários — uma alta de 24,4%. Com o resultado o lucro líquido ajustado no ano aumentou 8,5%, atingindo R$ 12,549 bilhões.

Analistas ouvidos pela Bloomberg apontavam um lucro líquido ajustado de R$ 12,094 bilhões. A empresa atribuiu o resultado do quarto trimestre a uma menor despesa de imposto de renda — no período, o lucro por ação ajustado foi R$ 0,29 (+24,6%), enquanto no ano a cifra chegou a R$ 0,77 (+8,1%).

Ainda segundo a Ambev, a receita líquida aumentou 5,7% no quarto trimestre, com crescimento do volume de 3,4% e avanço de 2,2% da receita líquida por hectolitro (ROL/hl). A receita líquida subiu 2,8% no Brasil (+2,8%).

No acumulado do ano, a receita líquida apresentou um crescimento de 7,9%, com o volume aumentando 2,7% e a ROL/hl crescendo 5,0%, ainda de acordo com a empresa. A Ambev ainda reportou um avanço de despesas com vendas, gerais e administrativas entre 7,5% e 6,1% no ano, puxado pela pressão inflacionária na Argentina e maior investimento nas marcas.

No acumulado do ano, o Ebitda foi de R$ 21,1 bilhões (+1,5%), com margem bruta e margem Ebitda alcançando 58,8% (-260 pontos-base) e 40,2% (-260 pontos-base), respectivamente.

Avanço da receita

No acumulado do ano, a receita líquida aumentou 7,9% para R$ 52, 5 bilhões, com aumentos do volume e da receita líquida por hectolitro de, respectivamente, 2,7% e 5,0%.

Ao reportar os resultados do quarto trimestre, a Ambev afirmou que aumentou a receita porque adotou iniciativas para garantir um balanceamento entre volume e preço.

"O crescimento decorrente da contínua expansão do segmento premium foi parcialmente compensado pelo avanço de nossa estratégia de acessibilidade inteligente e pelo mix geográfico", disse a empresa.

Mudança de padrão

No balanço de 2019, a Ambev indicou que continua a estratégia de expandir o segmento "premium", seguindo a mudança de padrão de consumo de cerveja dos brasileiros.

O mercado local tem dado menos atenção o segmento “intermediário” de cervejas. Era neste último onde a tradição da Ambev estava consolidada, em marcas como Skol, Antarctica e Brahma. Com isso, a empresa segue enfrentando um ambiente competitivo.

Segundo a Ambev, em 2019 a marca Budweiser teve um papel chave como a ponte para consumidores que estão ingressando no segmento "premium" e a Stella Artois e a Corona seguiram em ritmo de crescimento.

No entanto, ao menos em um primeiro momento os investidores não aprovaram os números da empresa. No início da manhã desta quinta-feira, a ADR da Ambev negociada em Nova York recuava quase 5% no pré-mercado.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

EFEITO MEIRELLES 2.0

Bolsa amplia alta e Magazine Luiza (MGLU3) dispara com novo rumor sobre Henrique Meirelles no governo em caso de vitória do petista

30 de setembro de 2022 - 16:01

Descolando de seus pares internacionais, a bolsa brasileira opera em forte alta, mas o grande destaque fica com a curva de juros e a disparada de ações do setor de consumo

É HORA DE COMPRAR?

Morgan Stanley altera recomendação da Weg (WEGE3) de venda para compra e papel sobe mais de 5%

30 de setembro de 2022 - 15:51

Na avaliação dos analistas, a Weg (WEGE3) tende a se beneficiar das tendências de automação, eletrificação e descarbonização do mercado e pode subir 29,3%

BITCOIN NA SEMANA

Bitcoin (BTC) passa por turbulências de bancos centrais e sobrevive a mais uma semana aos US$ 20 mil; veja o que esperar das criptomoedas agora

30 de setembro de 2022 - 13:09

Entre os destaques da semana estão a saída do CEO da Celsius, mudanças na CVM sobre decisão do faraó dos bitcoins e mais

JUST (DON’T) DO IT

Ações da Nike despencam mais de 10% após projeções menos animadoras; o que isso significa para a Centauro (SBFG3)?

30 de setembro de 2022 - 13:06

A gigante dos tênis se viu diante de níveis de estoque excessivos — e o remédio encontrado pela empresa para tentar solucionar o problema atingiu em cheio o lucro do trimestre

RESSACA

Mercado adia para segunda-feira uma reação às eleições após debate sem propostas e com muito bate-boca

30 de setembro de 2022 - 12:57

Apesar da alta vista no Ibovespa nesta sexta-feira, analistas e gestores apontam que o mercado só deve reagir ao pleito quando tiver um cenário mais concreto

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies