Menu
2020-09-21T08:13:13-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
queda generalizada

Ações de JPMorgan, HSBC e Deutsche Bank desabam com notícia de movimentações suspeitas

Standard Chartered Bank e Bank of New York Mellon também registram forte baixa nesta segunda-feira; reportagens apontam movimentação de US$ 2 trilhões em operações suspeitas

21 de setembro de 2020
7:57 - atualizado às 8:13
Mercados em queda Ibovespa dólar
Imagem: Shutterstock

As ações de JPMorgan, Deutsche Bank, HSBC, Standard Chartered Bank e Bank of New York Mellon registram forte queda no início desta segunda-feira (21).

O movimento acontece após a publicação de reportagens que apontam que os bancos movimentaram US$ 2 trilhões em operações sinalizadas como suspeitas pelos organismos de controle das próprias instituições financeiras, entre 1999 e 2017.

Por volta das 7h30, pelo horário de Brasília, a queda das ações seguia da seguinte forma:

  • JPMorgan: US$ 94,58 (-3,83%) - pré-mercado em NY
  • Deutsche Bank: 7,022 euros (-8,47%)
  • HSBC: 286.20 libras esterlinas (-5,86%)
  • Standard Chartered Bank: 340,70 libras esterlinas (-5,20%)
  • Bank of New York Mellon: US$ 34,25 (-3,25%) - pré-mercado

O movimento de baixa influenciou uma maior aversão ao risco na Ásia, onde o mercado já fechou nesta segunda. O índice Hang Seng liderou as perdas, com queda de 2,06% em Hong Kong.

Os American Depositary Receipts (ADRs) dos principais bancos privados brasileiros também registram queda. Itaú recuava 0,47% nesta manhã, o Bradesco caía 0,54%, enquanto o EWZ - principal ETF brasileiro negociado nos EUA - cedia 2,68% no pré-mercado.

Segundo a revista piauí, a suspeição era de que as operações servissem para lavagem de dinheiro ou que os recursos fossem provenientes de atividade criminosa.

O JPMorgan, por exemplo, teria movimentado mais de 1 bilhão de dólares para o financista fugitivo que protagonizou o escândalo do fundo de investimento estatal 1MDB da Malásia, de acordo com a publicação. O banco diz que está legalmente proibido de falar sobre clientes ou transações.

A revista é uma das 110 organizações noticiosas em 88 países que faz parte das apurações a partir de material obtido pelo BuzzFeed News.

Os documentos vazados incluem mais de 2.100 relatórios de atividades suspeitas enviados por bancos e outras empresas financeiras à Rede de Execução de Crimes Financeiros do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, ainda de acordo com a publicação - equivalente ao Coaf no Brasil.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Tombo grande

Elon Musk perde US$ 27 bilhões em uma semana após tombo da Tesla

Mesmo com o tompo gigantesco, Musk segue como segundo homem mais rico do mundo, atrás apenas de Jeff Bezos, o fundador da Amazon

Expansão

3R Petroleum fecha parceria com DBO para aquisições de campos offshore

Com a parceria, a DBO se tornará acionista minoritária da OP, que seguirá sob controle da 3R

Boletim médico

Covid-19: mortes ultrapassam 264 mil e casos chegam a quase 11 milhões

Os dados estão na atualização diária do Ministério da Saúde, divulgada na noite deste sábado (6)

ESTRADA DO FUTURO

A mentira envolvendo o Clubhouse e o Tinder que rendeu 400% de valorização

Os mercados estão longe de serem perfeitos, e hoje vou te contar uma história real que envolve duas das empresas mais quentes no setor de mídias sociais: o “Clubhouse” e o “Tinder”.

reta final de negociações

Senado americano aprova “pacote Biden” de US$ 1,9 trilhão

Agora, o pacote voltará para a Câmara dos Representantes, que analisará as alterações feitas no texto pelos senadores. Se for aprovado, o projeto será enviado à Casa Branca para a sanção do presidente

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies