Menu
2020-12-08T18:33:06-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
gigante

Ações da Eletrobras têm potencial de alta de até 84%, diz BTG Pactual

Analistas iniciam cobertura da empresa, afirmando que ela apresenta a melhor relação entre risco e recompensa do setor elétrico

8 de dezembro de 2020
14:46 - atualizado às 18:33
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro - Imagem: Divulgação

Uma gigante em ascensão. É este o título do relatório do BTG Pactual que anuncia o início de cobertura das ações da Eletrobras. Só por aí dá para ter uma ideia do que os analistas João Pimentel e Fillipe Andrade pensam sobre a companhia.

Destacando os ajustes operacionais realizados pela administração desde 2016 e a possibilidade de uma privatização destravar ainda mais valor, eles estabeleceram o preço-alvo para as ações ordinárias (ELET3) em R$ 57,00 e para as preferenciais classe B (ELET6) em R$ 63,00, representando um potencial de alta de 84% e 69%, respectivamente, em relação ao fechamento de segunda-feira (07).

A recomendação, como não poderia deixar de ser, é de compra. “A Eletrobras apresenta uma das relações mais atraentes de risco-recompensa em nossa cobertura, uma vez que ainda oferece potencial de alta significativa, mesmo quando se descarta qualquer efeito de uma privatização”, diz trecho do relatório.

A visão positiva do BTG Pactual contagiou os acionistas. Os papéis ON fecharam em alta de 5,92%, a R$ 35,62, e os PNB terminaram com ganho de 4,99%, a R$ 35,96.

Ajustes nas operações

A primeira parte do relatório do banco centra nos ajustes realizados na Eletrobras desde 2016, quando Wilson Ferreira Jr. assumiu como CEO. Até então, segundo os analistas, a companhia sofria com uma governança corporativa frágil, estrutura societária complexa, falta de transparência, investimentos questionáveis, além de problemas operacionais e os efeitos da Medida Provisória (MP) 579, que alterou as regras do setor elétrico e resultou em uma série de problemas para as empresas.

Nos últimos cinco anos, a Eletrobras passou por uma grande reestruturação, que resultou num amplo corte de gastos e a venda de distribuidoras, linhas de transmissão e outros ativos considerados não essenciais.

O resultado foi uma companhia financeiramente mais robusta, de acordo com o BTG Pactual, com a alavancagem financeira – a relação entre a dívida líquida e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) – caindo das 8,0 vezes apurada em 2016 para abaixo de 3,0 vezes no terceiro trimestre.

Tudo isso, destacam os analistas, resultou em um ganho de R$ 42 bilhões em valor de mercado no período.

Privatização = mais valor

Apesar de reconhecerem os esforços da administração em dar sustentabilidade e eficiência à Eletrobras, os analistas do BTG Pactual afirmam que existe um limite para o que pode ser feito.

Eles afirmam que ainda é preciso avançar muito, mas o fato de ela ser uma estatal impede mais avanços.

“Comparada aos seus pares privados, ela permanece altamente ineficiente e com falta de capacidade para investir tanto quanto no passado, por isso que o processo de capitalização, altamente esperado, é absolutamente vital para a continuidade de seu sucesso”, diz trecho do relatório.

Caso a saída da União do capital social seja concretizada, os analistas do BTG Pactual afirmam que o preço-alvo para as PNBs vai para R$ 75,00, o que representa um impressionante potencial de alta de 113% em relação às cotações atuais.

O valor estabelecido por eles neste início de cobertura pressupõe que a chance de a Eletrobras ser privatizada é de 50%.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

pandemia

Covid-19: Brasil passa das 210 mil mortes causadas pela pandemia

Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde registraram 452 óbitos pela covid-19

seu dinheiro na sua noite

Antes tarde do que mais tarde

Com o uso emergencial de duas vacinas contra o coronavírus aprovado no Brasil, ainda que com muito atraso em relação a outros países (incluindo emergentes), o brasileiro pode enfim vislumbrar a possibilidade de um retorno à vida normal. Está certo que ainda vai demorar, e provavelmente veremos o resto do mundo voltar à normalidade, enquanto […]

Fechamento

Vacina empolga, mas incertezas ainda são muitas e limitam os ganhos do Ibovespa; dólar fica estável

Embora o início da vacinação tenha criado um princípio de euforia, as incertezas ainda são muitas e nublam o cenário

atenção, acionista

Itaúsa anuncia o pagamento de juros sobre capital próprio adicionais

Base do pagamento é a posição acionária final do dia 22 de janeiro; provento tem retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,01768 por ação

insatisfações com a estatal

Petrobras sai em defesa de sua política de preços

Estatal listou uma série de respostas para justificar eventuais aumentos concedidos ou que possam vir a ser feitos este ano, diante de preços de petróleo em franca recuperação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies