Menu
2020-12-08T18:33:06-03:00
Ivan Ryngelblum
Ivan Ryngelblum
Jornalista formado pela PUC-SP, com pós-graduação em Economia Brasileira e Globalização pela Fipe. Trabalhou como repórter no Valor Econômico, IstoÉ Dinheiro e Agência CMA.
gigante

Ações da Eletrobras têm potencial de alta de até 84%, diz BTG Pactual

Analistas iniciam cobertura da empresa, afirmando que ela apresenta a melhor relação entre risco e recompensa do setor elétrico

8 de dezembro de 2020
14:46 - atualizado às 18:33
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro
Sede da Eletrobras no Rio de Janeiro - Imagem: Divulgação

Uma gigante em ascensão. É este o título do relatório do BTG Pactual que anuncia o início de cobertura das ações da Eletrobras. Só por aí dá para ter uma ideia do que os analistas João Pimentel e Fillipe Andrade pensam sobre a companhia.

Destacando os ajustes operacionais realizados pela administração desde 2016 e a possibilidade de uma privatização destravar ainda mais valor, eles estabeleceram o preço-alvo para as ações ordinárias (ELET3) em R$ 57,00 e para as preferenciais classe B (ELET6) em R$ 63,00, representando um potencial de alta de 84% e 69%, respectivamente, em relação ao fechamento de segunda-feira (07).

A recomendação, como não poderia deixar de ser, é de compra. “A Eletrobras apresenta uma das relações mais atraentes de risco-recompensa em nossa cobertura, uma vez que ainda oferece potencial de alta significativa, mesmo quando se descarta qualquer efeito de uma privatização”, diz trecho do relatório.

A visão positiva do BTG Pactual contagiou os acionistas. Os papéis ON fecharam em alta de 5,92%, a R$ 35,62, e os PNB terminaram com ganho de 4,99%, a R$ 35,96.

Ajustes nas operações

A primeira parte do relatório do banco centra nos ajustes realizados na Eletrobras desde 2016, quando Wilson Ferreira Jr. assumiu como CEO. Até então, segundo os analistas, a companhia sofria com uma governança corporativa frágil, estrutura societária complexa, falta de transparência, investimentos questionáveis, além de problemas operacionais e os efeitos da Medida Provisória (MP) 579, que alterou as regras do setor elétrico e resultou em uma série de problemas para as empresas.

Nos últimos cinco anos, a Eletrobras passou por uma grande reestruturação, que resultou num amplo corte de gastos e a venda de distribuidoras, linhas de transmissão e outros ativos considerados não essenciais.

O resultado foi uma companhia financeiramente mais robusta, de acordo com o BTG Pactual, com a alavancagem financeira – a relação entre a dívida líquida e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) – caindo das 8,0 vezes apurada em 2016 para abaixo de 3,0 vezes no terceiro trimestre.

Tudo isso, destacam os analistas, resultou em um ganho de R$ 42 bilhões em valor de mercado no período.

Privatização = mais valor

Apesar de reconhecerem os esforços da administração em dar sustentabilidade e eficiência à Eletrobras, os analistas do BTG Pactual afirmam que existe um limite para o que pode ser feito.

Eles afirmam que ainda é preciso avançar muito, mas o fato de ela ser uma estatal impede mais avanços.

“Comparada aos seus pares privados, ela permanece altamente ineficiente e com falta de capacidade para investir tanto quanto no passado, por isso que o processo de capitalização, altamente esperado, é absolutamente vital para a continuidade de seu sucesso”, diz trecho do relatório.

Caso a saída da União do capital social seja concretizada, os analistas do BTG Pactual afirmam que o preço-alvo para as PNBs vai para R$ 75,00, o que representa um impressionante potencial de alta de 113% em relação às cotações atuais.

O valor estabelecido por eles neste início de cobertura pressupõe que a chance de a Eletrobras ser privatizada é de 50%.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

Os três mosqueteiros do varejo e outros destaques da noite

Na bolsa e no setor de varejo, a máxima do “um por todos e todos por um” não se aplica. Empresas competem umas com as outras e investidores buscam as melhores aplicações — o “cada um por si” tem bem mais adeptos. Mas, quem diria, três mosqueteiros juntaram suas espadas para comemorar os bons resultados […]

FECHAMENTO DO DIA

Ibovespa sobe puxado pelo minério de ferro e encosta nos 123 mil; NY fecha o dia no vermelho

Com a economia chinesa aquecida, a demanda por commodities segue em alta e sustenta bons níveis para o Ibovespa.

Seleção Empiricus

🔴 AO VIVO: Quais são os investimentos para o segundo semestre? | Seleção Empiricus

Caminhando para o fim do primeiro semestre, nosso time do Seleção Empiricus de hoje discute o que podemos esperar da Bolsa para os próximos meses. A escalação do jogo de hoje conta com Max Bohm, Matheus Spiess, Cris Fensterseifer e Marcos Queiroz.

Segure seus bitcoins

Golpistas se passam por Elon Musk e roubam dinheiro de investidores de criptomoedas

Os criminosos usaram perfis falsos do CEO da Tesla para levar ao menos US$ 2 milhões de entusiastas do bitcoin e outras moedas digitais

Orçamento apertado

Segmentos mais impactados de comércio e serviços tiveram perdas de R$ 225,7 bi em 2020

Montante é maior que o total produzido por países como Sérvia e Tunísia. Varejo de roupas perdeu 10% do seu tamanho no ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies