Menu
2020-12-10T17:03:59-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
recuperando

Vendas no varejo superam estimativas e sobem 0,9% em outubro

Segmento registra aumento no volume comercializado pelo sexto mês seguido desde maio, de acordo com IBGE

10 de dezembro de 2020
9:45 - atualizado às 17:03
Shopping center
Imagem: Shutterstock

O IBGE divulgou dados bastante positivos a respeito da atividade varejista em outubro nesta quinta-feira (10). As vendas cresceram pelo sexto mês seguido desde maio, apresentando alta de 0,9% frente a setembro.

O desempenho foi bem acima do esperado pelo mercado. Segundo a mediana da pesquisa Projeções Broadcast, a expectativa era de um avanço de 0,2%, depois da alta de 0,6% de setembro. As 37 projeções coletadas iam desde uma queda de 1,3% até crescimento de 0,9%.

Com o resultado, as vendas acumularam alta de 0,9% no ano, após ficarem estáveis em setembro e recuarem nos cinco meses anteriores, com o varejo demonstrando que está se recuperando após dois meses de forte contração por conta da pandemia de covid-19.

O bom desempenho não ficou restrito à leitura mensal. Na comparação com o mesmo período de 2019, as vendas cresceram 8,3%, quinta taxa positiva consecutiva e maior variação, em termos de magnitude, dos últimos cinco meses.

“Tais resultados contribuem para que o patamar de vendas de outubro de 2020 se posicione como o nível recorde da série, 0,9% acima do patamar anterior, o mês setembro de 2020”, diz trecho do comunicado do IBGE.

No varejo ampliado, que inclui os grupos Veículos, motos, partes e peças e Material de construção, o volume de vendas cresceu 2,1% em relação a setembro, sexta variação positiva consecutiva.

Por segmento

O IBGE constatou que sete das oito atividades pesquisadas registraram aumento no volume de vendas entre setembro e outubro:

  • Tecidos, vestuário e calçados (6,6%);
  • Livros, jornais, revistas e papelaria (6,6%);
  • Equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (3,7%);
  • Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (2,3%); 
  • Outros artigos de uso pessoal e doméstico (1,9%); 
  • Combustíveis e lubrificantes (1,1%) e; 
  • Hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,6%)

Apenas o setor de Móveis e eletrodomésticos apresentou recuo nas vendas frente a setembro de 2020, de 1,1%.

Considerando o comércio varejista ampliado, em outubro, o volume de vendas tanto do setor de Veículos, motos, partes e peças quanto o de Material de construção registraram variações positivas na comparação com setembro – 4,8% e 0,2%, respectivamente.

Por Estado

A pesquisa revelou ainda que as vendas subiram em 22 dos 27 Estados entre setembro e outubro:

Os destaques positivos foram Bahia (3,5%), Piauí (3,1%) e Mato Grosso do Sul (2,9%), enquanto os negativos foram Tocantins (-5,4%), Roraima (-2,2%) e Pará (-0,7%).

* Com informações da Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Novo competidor

Grupo catarinense que fatura R$ 8,8 bi vai abrir 1º atacarejo no estado de SP

O Grupo Pereira vai abrir uma unidade da Fort Atacadista, sua bandeira de atacarejo, na cidade de Jundiaí; forte competição em SP é desafio

Tensão em Brasília

Racha no Congresso põe reformas em xeque

A decisão do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), de fatiar a reforma tributária foi vista como a pá de cal nas chances de avanço das reformas no Congresso até o fim do atual governo. Embora Lira tenha prometido abrir o diálogo com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), para definir os próximos passos, […]

Rapidinhas da semana

BLINK: Itaúsa, B2W, Eletrobras e mais recomendações rápidas

Felipe Miranda, sócio-fundador e CIO da Empiricus, fala sobre Alpargatas, Eletrobras, Itaúsa, Lojas Americanas e muito mais no Blink

Reserva de emergência

Jeff Bezos, o homem mais rico do mundo, vende ações da Amazon e põe US$ 5 bi na conta

O bilionário Jeff Bezos vendeu cerca de 1,5 milhão de ações da Amazon nos últimos dias e pode vender outros 500 mil papéis em breve

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies