Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-05-11T17:59:27-03:00
Estadão Conteúdo

Socorro mitigará pressão fiscal em Estados e municípios, avalia Moody’s

A Moody’s espera contração de 5,2% da economia brasileira este ano, seguida por uma alta de 3,3% em 2021.

11 de maio de 2020
12:50 - atualizado às 17:59
Dinheiro; notas e moedas de real
Imagem: Shutterstock

As transferências federais e a renúncia às dívidas até o fim do ano, aprovadas no projeto de auxílio a Estados e municípios diante do impacto da crise desencadeada pelo coronavírus, mitigarão a pressão fiscal nesses entes federativos, afirma a Moody's, em relatório. A agência de classificação de risco destaca, contudo, que, com a redução na arrecadação, os balanços e a posição fiscal dos Estados e municípios devem ficar pressionados, adiando sua consolidação fiscal.

"As medidas devem aliviar Estados e municípios, cuja arrecadação de impostos provavelmente diminuirá nos próximos quatro meses, devido ao fechamento temporário de negócios relacionados ao coronavírus e ao distanciamento social", diz, acrescentando que a severidade das perdas vai depender do tempo que vai demorar para a economia voltar à "normalidade". A Moody's espera contração de 5,2% da economia brasileira este ano, seguida por uma alta de 3,3% em 2021.

O projeto aprovado no Congresso espera direcionar R$ 60 bilhões em quatro parcelas mensais, sendo R$ 10 bilhões exclusivamente para ações de saúde e assistência social (R$ 7 bilhões para os Estados e R$ 3 bilhões para os municípios) e R$ 50 bilhões para uso livre (R$ 30 bilhões para os Estados e R$ 20 bilhões para os municípios).

Pelas regras, a agência nota que Estados como São Paulo (Ba3 estável), que têm elevada receita própria, terão uma parcela relativamente menor de compensação por causa da queda da arrecadação tributária. "Por exemplo, para o Estado de São Paulo, é esperada a transferência de R$ 7,7 bilhões, o que cobriria 4,2% da redução no recolhimento de impostos, enquanto, para o Estado do Maranhão (Ba3 estável), o repasse deve cobrir 16%."

Quanto à renúncia à dívida com o Tesouro Nacional, a Moody's também avalia que fornece "alívio orçamentário" em meio a gastos crescentes com a pandemia e a diminuição de receitas, mas adverte que, a partir de 2022, quando os saldos não pagos serão incorporados ao saldo devedor, irá aumentar a carga de dívida já elevada de Estados. "Para os Estados com desequilíbrios fiscais materiais como Minas Gerais (B2 estável), que já não está pagando o serviço da dívida ao Tesouro Nacional, o adiamento do serviço da dívida não oferece alívio", alerta.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

COMPRA PROGRAMADA

‘Vale Gás’: Ultragaz cria cartão que permite ‘congelar’ o preço e parcelar a compra do gás de cozinha

O GLP é um dos derivados de petróleo afetado pela alta do dólar frente ao real e pela valorização da commodity no mercado internacional

SALTO COM FINANÇAS

Itaú (ITUB4) escala 53 posições em ranking e se torna único brasileiro entre 500 marcas globais mais valiosas; veja lista completa

Além de figurar entre as marcas mais valiosas, o Itaú conquistou uma posição na lista dos 250 principais CEOs ou “guardiões de marca”

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Volatilidade a mil com decisão de juros do Fed, reabertura do fundo da Dynamo e nova aquisição da Petz: veja o que mexeu com o mercado hoje

O bom humor nos mercados era tanto nesta quarta-feira (26) que nem parecia dia de decisão de juros pelo Federal Reserve, o banco central americano. As bolsas americanas e europeias operavam em alta, ainda em clima de recuperação das perdas do início da semana, e o Ibovespa subia mais de 1,5%, ainda puxado pela entrada […]

Por que choras, Elon Musk?

Tesla (TSLA34) entrega balanço de gala, mas escassez de insumos produtivos azeda noite da montadora de Elon Musk e ações despencam em NY

O resultado da montadora veio recheado de recordes no quarto trimestre, mas os investidores concentraram-se em outra linha do balanço

Fechamento Hoje

NY desanda após fala de Powell, mas Ibovespa ainda consegue fechar em alta de quase 1%; dólar sobe na reta final

Decisão de juros do Federal Reserve até que agradou os mercados, mas discurso duro do presidente da instituição virou o humor dos mercados

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies