Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-07-23T12:32:02-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
É repórter do Seu Dinheiro. Cursa jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
O tema da vez é reforma tributária

Bancos devem pagar mais imposto e ter lucro menor com reforma tributária

A Federação Nacional dos Bancos (Febraban), se pronunciou sobre o possível aumento da carga tributária sobre o setor e informou que a participação da carga no spread bancário será de 20,3%, contra 19,3%.

23 de julho de 2020
11:58 - atualizado às 12:32
Bancos - Itaú - Santander - Bradesco - Banco do Brasil
Imagem: Montagem Andrei Morais / Estadão Conteúdo / Shutterstock

Na terça-feira (21), o governo federal enviou ao Congresso a primeira parte da sua proposta de reforma do sistema tributário brasileiro. O projeto prevê a unicação dos impostos federais PIS e Cofins em um novo imposto aplicado sobre o consumo e serviços, batizado de Contribuição Social sobre Operações com Bens e Serviços (CBS), com uma alíquota de 12% para empresas e de 5,8% para instituições financeiras.

Desde então, muito tem se especulado nas redes sociais sobre o impacto que a medida terá caso seja aprovada. Dentre o que vem sendo discutido, muito se fala sobre um eventual benefício ao setor bancário, já que pagariam menos impostos.

A realidade, no entanto, é diferente. A Federação Nacional dos Bancos (Febraban), em nota, já afirmou que a carga tributária do setor deve aumentar com a unificação da PIS/Cofins. Atualmente, os bancos pagam cerca de 4,65% correspondente às duas contribuições. Além disso, a participação da carga no spread bancário será de 20,3%, contra 19,3%.

O Credit Suisse colocou os números na ponta do lápis e estima que, no pior dos cenários, a aprovação da pauta e o aumento da alíquota para 5,8% teria um impacto no lucro dos bancos deve ser de 3,9% em 2021 e 2,8% no longo prazo. A projeção da instituição não leva em conta a exploração de mecanismos de compensação, como por exemplo empréstimos com taxas mais elevadas.

No mesmo relatório, o banco suíço destaca que a continuidade da agenda de reformas no país é positiva e que, no caso da reforma tributária, o alvo não é diretamente o setor financeiro.

Segundo a conta de outro banco suíço, o UBS, o total pago em impostos pelos bancos brasileiros pode se elevar em cerca de R$ 6 bilhões. Em 2019, R$ 24 bilhões foram recolhidos em forma de PIS/Cofins do setor no ano passado. Segundo os analistas, o impacto seria de R$ 1,3 bilhão para Bradesco e Itaú Unibanco e R$ 800 milhões para o Santander Brasil.

Por volta das 11h50, as ações do setor bancário caem em bloco.

TICKERNOMEPREÇOVARIAÇÃO
BBAS3Banco do Brasil ONR$ 34,64 -1,59%
BBDC3Bradesco ONR$ 20,90-1,14%
BBDC4Bradesco PNR$ 22,61 -0,96%
ITAUB4Itaú Unibanco ONR$ 26,61-1,70%
SANB11Santander Brasil UnitsR$ 29,22-1,78%
Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

em família

Sobrinho-neto do bilionário Warren Buffett supera Berkshire Hathaway no ano

Ações da Boston Omaha, holding de capital aberto co-liderada pelo sobrinho-neto do bilionário, Alex Buffett Rozek, estão batendo os papéis da Berkshire Hathaway

novo serviço

Grupo pão de Açúcar vai fazer entrega para lojistas de seu marketplace

No próximo ano, a companhia passará a oferecer a possibilidade de que os lojistas virtuais armazenem produtos nos centros de distribuição do GPA

inovação

Varejo online agora quer conquistar a fronteira da venda de produto fresco

A partir do mês que vem, começa a funcionar no País uma startup mexicana de tecnologia do setor de supermercados que vai explorar exatamente esse filão

Clube do livro

Ajuste fiscal pode ser dolorido no início, mas é necessário; entenda mais no novo livro de Fabio Giambiagi, “Tudo sobre o déficit público”

Nova obra do economista do BNDES evidencia que atingir um equilíbrio orçamentário no país é essencial para o desenvolvimento em termos econômicos e sociais

em busca de recursos

AES Brasil (AESB3) aprova oferta pública e pode captar até R$ 1,8 bilhão

De acordo com a AES Brasil, o objetivo da oferta é acelerar seu plano de crescimento, com foco na diversificação do portfólio por meio de fontes complementares à hídrica, além de potencializar a criação de valor para os acionistas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies