Menu
2020-11-13T11:32:57-03:00
Jasmine Olga
Jasmine Olga
Cursando jornalismo na Universidade de São Paulo (ECA-USP), já passou pelo Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) e o setor de comunicação da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
E o fiscal, como fica?

Guedes promete prorrogação do auxílio emergencial caso 2ª onda da covid se confirme e azeda humor do mercado

Nos últimos dias o presidente Jair Bolsonaro já havia azedado o humor dos investidores ao flertar com a possibilidade de flexibilização do benefício

12 de novembro de 2020
12:15 - atualizado às 11:32
Paulo Guedes
Paulo Guedes, ministro da Economia - Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

Em um momento em que a preocupação com o cenário fiscal brasileiro - deteriorado pela atuação contra os efeitos do coronavírus - não sai da cabeça dos investidores, uma fala do ministro da Economia Paulo Guedes pode ampliar o temor de piora no cenário.

Em evento organizado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), o ministro Guedes disse que o governo prorrogará o auxílio emergencial se uma segunda onda de casos de coronavírus se confirmar no Brasil, seguindo a tendência do que vem acontecendo nos Estados Unidos e Europa.

"Prorrogação do auxílio emergencial se houver segunda onda não é possibilidade, é certeza. Se houver segunda onda da pandemia, o Brasil reagirá como da primeira vez. Vamos decretar estado de calamidade pública e vamos recriar [auxílio emergencial]”, afirmou.

Vale lembrar que nos últimos dias o presidente Jair Bolsonaro já havia azedado o humor dos investidores ao flertar com a possibilidade de flexibilização do benefício.

O ministro afirmou que o cenário ideal e previsto pela equipe econômica é de que o auxílio se encerre no fim de 2020, mas, caso seja preciso, entrará como uma medida de contingência. Segundo Guedes, o plano é que o auxílio seja incorporado ao Bolsa Família ou um novo programa social, ainda em estudo pelo governo. “Politicamente, o programa [Renda Brasil] não foi considerado satisfatório pelo presidente. No meio da eleição, não era hora de ter essa discussão”, completou.

Tanto o câmbio quanto a bolsa brasileira reagiram às falas. A moeda americana acelerou o movimento de alta e o Ibovespa caminhou para as mínimas do dia. Confira toda a movimentação dos mercados na nossa cobertura especial.

Guedes destacou também que a economia brasileira já começa a se recuperar 'como um urso que estava hibernando' e, caso seja necessário, a ideia é gastar uma parcela menor do PIB com o enfrentamento da pandemia - cerca de 4%, contra os atuais 10%.

O ministro Paulo Guedes aproveitou o evento para endereçar também outras questões, como o enfrentamento do coronavírus no auge da pandemia.

Para o ministro, o país viveu uma ameaça de caos social que não se concretizou, já que não houve desabastecimento dos supermercados e disse ainda que o setor manteve a economia em funcionamento. O evento que contou com a participação de Guedes foi promovido pela associação brasileira do setor.

*Com informações da Broadcast

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Após vacinação e apoio fiscal

Economia dos EUA está “em ponto de inflexão” positivo, diz Powell, do Fed

Economia norte-americana está prestes a começar a crescer muito mais rapidamente, afirmou presidente do banco central norte-americano em entrevista

nos estados unidos

Remuneração de CEOs cresceu em meio à pandemia

Recuperação do mercado de ações impulsionou ganhos de executivos em 2020, que tiveram remuneração média de US$ 13,7 mi no período

Após estremecimentos

China quer parceria estratégia com Brasil, diz chanceler asiático

Chanceler chinês, Wang Yi, falou com o novo ministro das Relações Exteriores do Brasil, Carlos Alberto Franco França.

entrevista

Bittar reafirma que Guedes sabia de acordo para destinar verba a emendas

Apontado como um dos artífices da “maquiagem” no Orçamento, o senador Marcio Bittar diz que não chegou sozinho ao valor de R$ 29 bilhões em emendas

Apesar da pandemia

Saúde perde espaço em emendas parlamentares

Números mostram estratégia dos parlamentares para destinar recursos para obras e projetos de interesse eleitoral em seus redutos

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies