Menu
2020-09-02T18:44:51-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
retomada econômica

Presidente do BC fala em alta do PIB maior que 4% em 2021

Campos Neto defendeu que recuperação da economia tem que ser inclusiva e sustentável em todos os lugares do mundo

2 de setembro de 2020
11:43 - atualizado às 18:44
roberto campos neto
O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. - Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta quarta-feira, 2, que, apesar da retração de 9,7% do PIB no segundo trimestre do ano, o resultado da economia brasileira no 3º trimestre será melhor.

"Estamos vendo a economia recuperar, os dados mais recentes - das últimas cinco semanas - mostram que estamos começando essa recuperação. Apesar da queda de 9,7% do PIB, a agricultura continuou tendo resultados positivo, e nunca parou", disse.

"Os serviços ficaram um pouco piores do que esperávamos, e a indústria veio dentro das expectativas", afirmou Campos Neto em participação no evento virtual "Emerging & Frontier Forum 2020", organizado pela Bloomberg.

Para 2021, Campos Neto repetiu que a expectativa é de um crescimento do PIB superior ao projetado. Ele ressaltou, porém, que o desempenho no próximo ano depende também do cenário externo. "Previmos uma redução do PIB em torno de 5% neste ano e uma recuperação superior a 4% em 2021", disse.

O presidente do BC afirmou ainda que na instituição há um grupo que reduziu a estimativa em 2020 e aumentou em 2021. "E temos outro grupo que projeta uma recuperação forte", disse.

Crescimento sustentável

Campos Neto defendeu que a recuperação da economia tem que ser inclusiva e sustentável em todos os lugares do mundo. "Vemos muitos países falando na criação de novos programas de renda, em investimentos sustentáveis do ponto de vista do meio ambiente, e em fomento ao desenvolvimento de novas tecnologias", afirmou.

No caso do Brasil, Campos Neto destacou a importância da inclusão na retomada, já que a pandemia afetou a renda dos mais pobres. "Também precisamos mostrar ao mundo que estamos comprometidos com a sustentabilidade", completou.

No cenário pós-pandemia, acrescentou o presidente do BC, será preciso definir qual será o papel do Brasil no novo comércio global. "As pessoas precisam comer, e nossa agricultura continua crescendo. A agricultura coloca o Brasil em diferente posição em relação a outros emergentes", concluiu.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Fechamento

Mercado modera reação à inflação americana e bolsa consegue recuperação parcial; dólar sobe a R$ 5,31

Os investidores respiraram fundo, pegaram um copo d’água e digeriram melhor o choque da pressão inflacionária nos Estados Unidos

Caça às pendências

BNDES quer viabilizar privatização da Eletrobras e refazer leilão de bloco da CEDAE ainda este ano

Além disso, o banco de fomento trabalha em outros 120 projetos de desestatização que podem chegar a um investimento total de R$ 243 bilhões em obras

Oferta secundária à vista?

BNDES vai esperar o ‘melhor momento’ para vender ações da Copel

A BNDESPar, empresa de participações do banco, pretende se desfazer da fatia de 24% que possui das ações Copel

Mais uma para a lista

Mesmo com apoio de grandes investidores, Dotz interrompe processo de IPO

A empresa, que pretendia movimentar R$ 1,1 bilhão com a oferta, citou a atual condição do mercado de capitais brasileiro como o motivo por trás da desistência

Assunto do momento

5 pontos para entender a inflação americana – e o que isso tem a ver com o seu bolso

Só se fala em inflação em disparada nos Estados Unidos. Mas você sabe o que isso realmente significa?

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies