Menu
2020-01-17T20:10:16-03:00
motor do crescimento

Moody’s: inflação, mercado de trabalho e crédito ajudam em recuperação do país

16 de janeiro de 2020
12:11 - atualizado às 20:10
Agência de classificação de risco Moody's
Agência espera inflação de 3,7% em 2020 e 3,8% em 2021, puxada para baixo por reajustes abaixo das médias históricas para o setor de serviços, em especial aluguel, serviços pessoais, energia e transportes públicosImagem: Shutterstock

A Moody's Investors Service vê recuperação do mercado de trabalho, inflação abaixo do centro da meta e retomada da oferta de crédito no Brasil em 2020, fatores que devem ajudar na retomada da economia do País. Em relatório, a agência de classificação de risco destaca a aceleração do consumo observada nos últimos meses de 2019 como motor do crescimento brasileiro neste ano.

"O crescimento das vendas do varejo acelerou nos últimos meses, com as vendas de veículos e materiais de construção, entre outros setores, a um ritmo mais rápido que o registrado no início da recuperação econômica", pontua Gersan Zurita, um dos vice-presidentes da Moody's.

A Moody's espera inflação de 3,7% em 2020 e 3,8% em 2021, puxada para baixo por reajustes abaixo das médias históricas para o setor de serviços, em especial aluguel, serviços pessoais, energia e transportes públicos. Por outro lado, reconhece o risco de que as carnes continuem pressionadas ao longo deste ano, como resultado da demanda asiática por proteína brasileira.

A aposta também é de que o desemprego vá começar a recuar em 2020, principalmente para os segmentos de renda mais baixa, com alta propensão ao consumo. As famílias de renda mais alta, com taxas de desemprego mais baixas, devem suportar o consumo de veículos e outros bens duráveis.

Para o crédito, a Moody's vê continuidade do aumento da demanda de consumidores, que atingiu pico em 2019. O afrouxamento das condições financeiras em 2020 deve impulsionar a aceleração do crescimento econômico apesar da leve alta da inadimplência no ano passado.

A agência de classificação de risco também espera ver alta no financiamento imobiliário, devido à baixa inflação e à taxa de juros em mínimas históricas que devem reduzir as taxas da modalidade. Com isso, o setor de construção civil deve crescer aproximadamente 10% até a metade de 2021, puxado pela demanda das famílias de média e alta renda.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
OS MELHORES INVESTIMENTOS NA PRATELEIRA

Garimpei a Pi toda e encontrei ouro

Escolhi dois produtos de renda fixa para aplicar em curto prazo e dois para investimentos mais duradouros. Você vai ver na prática – e com a translucidez da matemática – como seu dinheiro pode render mais do que nas aplicações similares dos bancos tradicionais.

CONCESSÕES

Maia definirá até dia 30 quando lei de concessões vai a plenário, dizem deputados

“Se ele (presidente da Câmara) estiver convencido de que esse texto é um texto bom, que atende a sociedade, eu acho que a gente vota ele rápido”, disse também o deputado João Maria

CRÉDITO

Demanda por crédito do consumidor cai em dezembro e cresce em 2019, diz Boa Vista

Considerando os segmentos que compõem o indicador, o Financeiro apresentou elevação de 6,1% no ano, enquanto o segmento Não Financeiro registrou evolução de 2,5% na mesma base de comparação

primeira avaliação

Quão longe a XP pode ir? Para BTG, ação da corretora está bem precificada

Para os analistas do banco, os papéis da empresa brasileira negociados na Nasdaq ainda podem recuar 4,14% em relação a cotação de ontem, a US$ 37

DE OLHO NA REFORMA

Reforma administrativa quer acabar com promoções por tempo de serviço

O governo vai propor ainda a vedação das aposentadorias como forma de punição

gringo longe

Investimento estrangeiro em ações brasileiras fica negativo em R$ 4,7 bilhões em 2019

Para 2020, a projeção é de saldo positivo de US$ 5,0 bilhões, segundo dados do Banco Central

Uma longa estrada à frente

Credit Suisse vê potencial de alta de 32% para bancos e eleva recomendação de ações do Santander

Os analistas do banco suíço não temem aumento da competição no setor e possuem indicação equivalente a compra para as ações dos quatro grandes bancos

balanço do ano

Rombo das contas externas chega a US$ 50 bilhões; resultado de 2019 foi o pior em 4 anos

Ainda assim, o resultado não chega a preocupar os especialistas, já que o déficit foi largamente superado pela entrada de recursos via Investimentos Diretos no País

Cautela elevada

Mercados em alerta: tensão com o coronavírus faz o Ibovespa cair mais de 2,5% e leva o dólar a R$ 4,21

A disseminação do coronavírus eleva a aversão ao risco nos mercados financeiros, derrubando o Ibovespa e fazendo o dólar romper a marca de R$ 4,20. Todas as ações do índice operam em queda, em especial as ligadas ao setor de commodities, como Vale, Petrobras e siderúrgicas

proposta à mesa

Agora vai? JSL volta a avaliar IPO da Vamos

Empresa desistiu da oferta da Vamos em abril do ano passado após não ter demanda para faixa indicativa

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta segunda-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements