Menu
2020-03-04T18:20:08-03:00
Ainda otimista

Mesmo com coronavírus, previsão é crescimento acima de 2%, diz Guedes

Economia brasileira está acelerando, mesmo lentamente, à espera das reformas, disse ministro

4 de março de 2020
18:20
Paulo Guedes
Imagem: Edu Andrade/ASCOM/Ministério da Economia

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta quarta-feira, 4, que a economia brasileira está acelerando, mesmo lentamente, à espera das reformas, e manteve a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano acima de 2%. "No segundo ano (de governo), a gente acha que é acima de 2%. Mesmo com o coronavírus", disse o ministro ao deixar a sede do ministério.

Guedes justificou a manutenção da previsão com o fato de o Brasil ter uma economia "relativamente fechada". "Então, é claro, quando o mundo todo estava crescendo, você estava com uma economia aberta e integrada, era uma grande vantagem. Se nós não pegamos o vento a favor, agora também o vento contra não vai", disse. "Se ela (economia) fosse extremamente aberta, o impacto ia ser muito maior. Como nós ficamos fechados, todo mundo cresceu, nós não crescemos tanto. Todo mundo desacelera, nós não vamos desacelerar tanto", acrescentou o ministro.

Na avaliação de Guedes, o mundo está em desaceleração sincronizada e o Brasil "está começando a reacelerar". "Nós temos nossa própria dinâmica. Nós temos que fazer, até em função da gravidade da crise lá fora, trabalhar mais forte, aprofundar as reformas e nós vamos acelerar nosso crescimento", disse. "O Brasil não é uma folha ao vento, ao sabor das ondas internacionais. O Brasil tem uma dinâmica própria de crescimento. Nós vamos fazer nossas reformas e nós vamos crescer."

Sobre o resultado do PIB de 2019, divulgado nesta quarta pelo IBGE, Guedes disse não ter entendido toda "comoção" em torno do resultado de crescimento de 1,1% no ano passado.

Segundo ele, essa era sua previsão no início do governo, que, no primeiro ano, a economia do País iria crescer 1%. "Saiu 1,1%, então, está dentro do previsto", afirmou.

Ele ainda comentou o resultado do segundo semestre do ano passado, que foi o melhor para o período desde 2013. O ministro destacou ainda o desempenho da economia no último trimestre de 2019 na comparação com igual período do ano anterior, que registrou crescimento de 1,7%. "Então, a economia está acelerando, lentamente, esperando as reformas. À medida que as reformas forem acontecendo, e elas vão ser implementadas, o Brasil vai reacelerando. Então, está tudo dentro do previsto", enfatizou. "Não tem porque desesperar. É 1%, é o que tinha dito que seria no primeiro ano. No segundo ano, a gente acha que é acima de 2%", reafirmou.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

LIÇÕES PARA O SEU DINHEIRO

Recomendações de leitura para um investidor em quarentena

Três livros para você sobreviver ao isolamento e sair deste furacão como um investidor ainda melhor.

O BC e o coronavírus

Preferimos ter um lado fiscal um pouco pior para que as pessoas possam honrar seus contratos, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, destacou que a instituição se preocupa em dar condições às empresas cumprirem suas obrigações financeiras, evitando um movimento de quebra massiva de contratos

Crise da Covid-19

Brasil ultrapassa marca de 10 mil casos de coronavírus

Em 24 horas, o Brasil notificou mais de mil novos casos de coronavírus e outros 72 casos fatais. A taxa de mortalidade no país está em 4,2%

Em conversa com o setor de varejo

Governo faz o máximo para o dinheiro chegar à ponta final, diz Guedes

O ministro Paulo Guedes, participou de conferência com líderes do setor de varejo neste sábado, detalhando as inciativas do governo na crise do coronavírus

Guerra de preços

Arábia Saudita e Rússia continuam trocando farpas e trazem preocupação ao mercado de petróleo

Arábia Saudita e Rússia voltaram a trocar acusações no âmbito da guerra de preços do petróleo — e já se começa a falar que a reunião emergencial da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) da próxima segunda-feira foi por água abaixo

Impactos

Crise do coronavírus reduz consumo de carne e já paralisa 11 frigoríficos no país

A indústria da carne já começa a sentir os primeiros efeitos da crise do coronavírus, com uma menor demanda por produtos — o que paralisa alguns frigoríficos no país

Seu Dinheiro no Sábado

MAIS LIDAS: Um bilionário na luta contra o coronavírus

A notícia a respeito das iniciativas do bilionário Elon Musk no combate à pandemia de coronavírus foi a mais lida dessa semana no Seu Dinheiro

Ano difícil

Braskem fecha 2019 com prejuízo líquido de R$ 2,8 bilhões, revertendo o lucro de 2018

A Braskem encerrou 2019 com um prejuízo bilionário e contração nas receitas e no Ebitda em relação a 2018

LIÇÕES PARA AVALIAR UM NEGÓCIO

8 formas de saber se é um bom investimento

Na escola, seu boletim é a marca do seu sucesso. Nos negócios, são as demonstrações financeiras. Se você quer ser bem-sucedido, precisa saber como tirar conclusões sobre a saúde da empresa e seu potencial.

Queda do petróleo

Distribuidoras de gás natural pedem à Petrobras antecipação na redução do preço

Associação Brasileira de Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) solicitou à Petrobras uma antecipação para 1 de abril na redução do preço do gás natural que vai ocorrer em maio deste ano, da ordem de 10%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements