Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-09-24T13:36:14-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
De olho no e-commerce

Vinci Partners assina joint venture com Fulwood para desenvolver até R$ 1 bilhão em galpões logísticos

Recursos serão captados por fundo imobiliário inicialmente não negociado em bolsa; motivação é o desenvolvimento do e-commerce na pandemia

24 de setembro de 2020
13:36
fex03-imagem-02
Galpões logísticos novos - Imagem: Inversa

A Vinci Partners assinou uma joint venture com a Fulwood Condomínios Logísticos para desenvolver até R$ 1 bilhão em projetos de galpões logísticos.

Os recursos serão captados por um novo fundo de investimentos, que terá gestão da Vinci e consultoria imobiliária da Fulwood. Inicialmente, porém, o fundo não será listado em bolsa, como outros fundos imobiliários.

O fundo será destinado tanto para investidores locais quanto estrangeiros e focado na estratégia de ganho de capital por meio do desenvolvimento de projetos imobiliários de alto padrão (triple A) nos principais mercados logísticos do país

A Fulwood e a Vinci já têm identificados cinco projetos, que somam mais de 400 mil m² de ABL (área bruta locável).

Segundo as duas empresas, a estratégia para o desenvolvimento de galpões logísticos se apoia na crescente demanda por imóveis desse perfil em regiões próximas aos grandes polos econômicos para atender, principalmente, empresas de comércio eletrônico.

O e-commerce teve forte aceleração por conta da pandemia de covid-19 e, na visão da Vinci e da Fulwood, apresenta enorme potencial, diante da baixa penetração das vendas on-line de varejo no país, quando comparada a outros países.

Parceria não é nova

A parceria entre a Vinci e a Fulwood começou em 2018, com o investimento da Vinci nos primeiros ativos desenvolvidos pela Fulwood, por meio do fundo imobiliário Vinci Logística (VILG11), hoje com mas de R$ 1,3 bilhão de valor de mercado.

Não se trata, porém, de um fundo de desenvolvimento imobiliário. O VILG11, cujas cotas não negociadas em bolsa e acessíveis a pessoas físicas, é focado na aquisição de ativos maduros, imóveis já prontos.

A Fulwood tem um portfólio de mais de 750 mil m² de área construída, com galpões localizados nas regiões de São Paulo e Minas Gerais. Já a área de Real Estate da Vinci Partners é responsável pela gestão de mais de R$ 4 bilhões em fundos imobiliários listados em bolsa (VISC11, VILG11, VINO11 e VIFI11), além de estratégias de desenvolvimento.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Batatinha frita 1-2-3

Na Netflix (NFLX34), a virada operacional e financeira veio no Round 6 — e deu impulso ao balanço do terceiro trimestre

A Netflix (NFLX34) deu um salto no número de novos assinantes no trimestre, reanimando um ano que estava péssimo — tudo graças a Round 6

Comandante do navio

Em meio à crise econômica, Bolsonaro se isenta de culpa pela situação do país: ‘se é assim, ache um cara melhor’

Como de costume, o presidente voltou a jogar a culpa da crise nas medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos para conter o novo coronavírus

Quem não tem teto de vidro...

Governo cancela lançamento do Auxílio Brasil; veja por que o programa social fez a bolsa despencar e o dólar disparar hoje

Ainda não há uma nova data para o lançamento do programa, que levou o Ibovespa as mínimas antes do sinal vermelho para o anúncio

Juntando forças

Saiba mais sobre a Novi, carteira de criptomoedas criada pela parceria entre Facebook e Coinbase

Essa wallet ainda está em versão piloto, mas já está disponível para download; algumas pessoas estranharam a ausência da criptomoeda Diem, antes chamada de Libra

Desanimou

Prévias operacionais fracas derrubam ações da MRV; veja 3 motivos para a decepção dos investidores

Inflação dos custos de construção se refletiram em aumentos nos preços dos imóveis, impactando negativamente as operações da companhia no terceiro trimestre

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies