Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-03-26T12:15:33-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
De cara nova

Isaac Sidney, ex-diretor do Banco Central, assume presidência da Febraban

Sidney estava na Febraban desde 2019 e substitui Murilo Portugal, que cumpriu três mandatos e ficou nove anos na presidência da associação que representa os grandes bancos

26 de março de 2020
12:15
Isaac Sidney, presidente da Febraban
Isaac Sidney, presidente da Febraban - Imagem: Beto Nociti/BCB

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) tem novo comando. Isaac Sidney assumiu ontem a presidência executiva associação que representa os grandes bancos.

Sidney era vice-presidente da Febraban desde maio de 2019 e antes foi diretor do Banco Central. Ele também foi chefe de gabinete, secretário-executivo e procurador-geral da autoridade monetária.

Ele substitui Murilo Portugal, que cumpriu três mandatos e ficou nove anos na presidência da Febraban.

A associação também anunciou mudanças nas diretorias de comunicação e de marketing. As duas áreas serão unificadas sob o comando de João Borges, que era comentarista de economia na GloboNews desde 2003. O jornalista também se encarregará da área de relações institucionais da Febraban.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Um olho no peixe...

EUA: Casa Branca comemora avanço do PIB no 2º trimestre, mas alerta para incertezas econômicas

O governo defendeu sua proposta de investimentos em infraestrutura como instrumento importante para manter o ritmo de crescimento

roxinho com mais crédito

Nubank promete aumentar limite em cartão de crédito de 35 milhões de clientes

Segundo a companhia, até o final de 2021, 10 milhões de clientes serão impactados pela novidade do cartão; três milhões em agosto

A vida depois da pandemia?

Ações da Multiplan sobem 5% após balanço que mostra recuperação dos shoppings

Resultados mostram avanço nas vendas e nas receitas de aluguel, à medida que a vacinação avança e os shoppings reabrem

Balanço sólido

Lucro líquido da Mastercard dispara 46% e vai a US$ 2 bilhões no segundo trimestre; resultado superou previsões dos analistas

O resultado foi impulsionado, segundo o CEO da empresa, pela contínua recuperação dos gastos domésticos e internacionais

De olho no futuro

Lucro e receita acima do esperado, mas ação em baixa. O que acontece com a Ambev?

Como de costume, mercado toma decisões baseado nas projeções, e segundo analistas, custos de produção e margens ainda preocupam

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies