Menu
2020-06-19T11:04:58-03:00
EFEITO CORONAVÍRUS

Ipea reduz projeção de alta do IPCA de 2020 de 2,9% para 1,8%

Os alimentos foram os itens que mais subiram de preço até o momento e devem fechar o ano com inflação de 3%, segundo o Ipea.

19 de junho de 2020
11:04
mercado
Imagem: Shutterstock

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) reviu sua projeção para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços do Consumidor Amplo (IPCA) deste ano, passando de alta de 2,9% para avanço de 1,8%, com a elevação do preço dos alimentos sendo compensada pelos demais bens de consumo, principalmente serviços e bens duráveis. O comportamento reflete as mudanças trazidas ao consumo pela pandemia do covid-19, que levou parte da população ao isolamento social para conter a contaminação pelo vírus.

Os alimentos foram os itens que mais subiram de preço até o momento e devem fechar o ano com inflação de 3%, segundo o Ipea. Os bens administrados, apesar de contidos no primeiro semestre, poderão ter algum ajuste nos próximos meses e encerrar 2020 em alta de 1,2%, bem abaixo da alta de 5,5% registrada em 2019 e de 6,2% em 2018.

"Essas expectativas para 2020 estão balizadas em um cenário marcado pelo forte recuo do nível de atividade e seus efeitos de deterioração do mercado de trabalho, gerando uma descompressão nos preços de quase todos os segmentos da economia", disse o Ipea na Carta de Conjuntura publicada nesta sexta-feira, 19.

Segundo o Ipea, a economia será retomada de forma gradual nos próximos meses e, diante da capacidade ociosa dos setores produtivos, redução de custos de mão de obra e aluguéis, os preços deverão continuar em uma trajetória bem comportada ao longo deste ano, recuperando um pouco o fôlego no ano que vem, o que deverá levar a inflação medida pelo IPCA para 3,1% em 2021, ainda abaixo da meta oficial de inflação do governo.

"Para 2021 a expectativa é de que, com a retomada do crescimento da atividade econômica, os efeitos positivos sobre o mercado de trabalho, e, consequentemente, sobre o nível da demanda contribuam para uma pequena aceleração da inflação, porém ainda abaixo da meta", explicou o Ipea.

O centro da meta oficial de inflação para 2020 é de 4% e para 2021, de 3,75%, com margem de 1,5 ponto porcentual para cima e para baixo.

O Ipea observou que a alta do preços dos alimentos vem sendo causada por vários fatores, como o impacto da taxa de câmbio no custo dos insumos para produção, aumento da demanda interna, problemas na safra de alguns tubérculos entre outros. Para os próximos meses, o Ipea prevê redução nos preços, diante de uma safra recorde, expansão na produção de suínos, aves e leite devem conter os preços, "supondo que não haja novos movimentos fortes de desvalorização cambial", destaca o instituto.

Por outro lado, também para os próximos meses o Ipea prevê a recuperação dos preços dos combustíveis, seguindo a alta do petróleo no mercado internacional, o que poderá impactar tarifas de ônibus em algumas cidades. Além disso, o órgão aguarda possíveis altas nas tarifas de energia elétrica e nos medicamentos, , mesmo que tímidas, o que deverá levar à elevação dos preços administrados, principal fator de alívio inflacionário no último trimestre (março a maio).

Já os preços dos bens e serviços livres devem permanecer sem pressão nos próximos meses, mesmo com a retomada gradual da economia. De acordo com o Ipea, a ociosidade ainda presente na economia e o enfraquecimento do mercado de trabalho devem limitar essa pressão. Com exceção da alimentação, cujo serviço delivery mostra uma grande expansão durante a pandemia, os demais grupos como comunicação e educação mostram taxas de inflação declinantes.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

pandemia

Brasil registra 136,8 mil mortes por covid-19, diz Ministério da Saúde

Balanço totaliza 4.544.629 casos de contaminação pelo novo coronavírus

tecnologia na bolsa

Como a Locaweb virou sensação da bolsa depois de um IPO às vésperas da pandemia

Empresa estreou em fevereiro na B3 e surfou na digitalização do varejo; agora, mira novas aquisições e busca fortalecer marcas internas

Teste de fé

Segredos da bolsa: Powell e Campos Neto testam a fé dos investidores nos banqueiros centrais

Testemunhos do presidente do Fed perante a Câmara e o Senado dos EUA e coletiva de Campos Neto tendem a inspirar cautela entre os investidores

dinheiro estrangeiro

Sem reformas, fim da pandemia pode não trazer investimentos

Desde 2015, a participação de estrangeiros nos títulos de dívida pública caiu de 20,8% para 9%; quadro fiscal piorou com a pandemia

coronavírus

Doria anuncia que São Paulo receberá 5 milhões de doses de CoronaVac

Segundo o governador de São Paulo, previsão é de que haja 46 milhões de doses até dezembro

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements