Menu
2020-10-16T11:12:44-03:00
Estadão Conteúdo
Dragão da inflação

Inflação medida pelo IGP-10 sobe 3,20% em outubro e supera projeções

O resultado do IGP-10 ficou acima do teto das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 1,72% e 3,02%

16 de outubro de 2020
11:12
inflação
Imagem: Shutterstock

O Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) subiu 3,20% em outubro, após ter aumentado 4,34% em setembro, informou nesta sexta-feira, 16 a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado ficou acima do teto das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 1,72% e 3,02%, com mediana positiva de 2,67%.

Leia também:

Quanto aos três indicadores que compõem o IGP-10 de outubro, os preços no atacado medidos pelo IPA-10 tiveram alta de 4,06% no mês, ante uma elevação de 5,99% em setembro.

Os preços ao consumidor verificados pelo IPC-10 apresentaram aumento de 0,98% em outubro, após o avanço de 0,46% em setembro. Já o INCC-10, que mede os preços da construção civil, teve alta de 1,51% em outubro, depois de subir 0,80% em setembro.

O IGP-10 acumulou um aumento de 17,63% no ano. A taxa em 12 meses ficou positiva em 19,85%. O período de coleta de preços para o indicador de outubro foi do dia 11 de setembro a 10 deste mês.

O que pressionou no IGP-10

A alta no custo das passagens aéreas e dos alimentos acelerou a inflação ao consumidor dentro do IGP-10 de outubro. Cinco das oito classes de despesa do IPC-10 registraram taxas de variação mais elevadas, com destaque para o grupo Educação, Leitura e Recreação, que passou de 0,38% em setembro para 4,11% em outubro. A passagem aérea saltou de 6,97% para 54,11% no período.

Os demais acréscimos ocorreram nas taxas de variação dos grupos Alimentação (de 0,99% para 2,10%), Saúde e Cuidados Pessoais (de -0,34% para 0,07%), Vestuário (de -0,35% para 0,11%) e Comunicação (de 0,01% para 0,06%).

As maiores influências partiram dos itens:

  • hortaliças e legumes (de -4,84% para 2,01%),
  • plano e seguro de saúde (de -2,40% para 0,00%)
  • roupas (de -0,48% para 0,12%)
  • tarifa de telefone residencial (de 0,03% para 1,06%)

O que caiu

Na direção oposta, as taxas foram mais baixas nos grupos Transportes (de 0,91% para 0,43%), Habitação (de 0,50% para 0,40%) e Despesas Diversas (de 0,30% para 0,20%), sob a contribuição de itens como a gasolina (de 2,83% para 0,76%), tarifa de eletricidade residencial (de 0,72% para 0,19%) e serviços bancários (de 0,20% para 0,13%).

IPAs

Os preços agropecuários, medidos pelo IPA Agrícola, subiram 8,26% no atacado em outubro, após um avanço de 8,78% em setembro, dentro do IGP-10, informou a FGV. Já os preços dos produtos industriais - mensurados pelo IPA Industrial - tiveram alta de 2,44% este mês, depois da elevação de 4,95% no atacado em setembro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram alta de 2,66% em outubro, ante uma elevação de 2,56% em setembro.

Os preços dos bens intermediários subiram 3,40% em outubro, após alta de 3,63% no mês anterior. Já os preços das matérias-primas brutas subiram 5,77% em outubro, depois da elevação de 11,17% em setembro.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

Disputa parece longe do fim

Ser Educacional não desiste e recorre de decisão que invalida acordo com Laureate

A companhia afirma se manter certa de seus direitos e diz que tomará todas as medidas cabíves para manter o acordo inicial válido

ATENÇÃO, ACIONISTA

Petrobras altera política de remuneração para pagar dividendos mesmo em caso de prejuízo

Administração poderá propor o repasse de proventos, mesmo sem a apuração de lucro, caso se verificar redução da dívida líquida nos 12 meses anteriores

Tudo que vai mexer com seu dinheiro hoje

11 notícias para começar o dia bem informado

Começo esta newsletter sem delongas: fique ligado hoje no Seu Dinheiro, pois será um dia importante para os mercados. Os investidores aguardam com expectativa números que serão conhecidos após o fechamento do pregão. Estou falando da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) sobre a taxa básica de juros, a Selic, e também dos balanços de […]

esquenta dos mercados

Dia cheio: Coronavírus, eleições, Copom e balanços dão o tom (cauteloso) dos mercados

A agenda pesada e as preocupações com a possibilidade de novos lockdowns pela Europa faz a aversão ao risco predominar nos mercados

AJUDA ESTATAL

Empréstimos com aval de fundo do BNDES turbinado pelo Tesouro chegam a R$ 71,1 bilhões

Valores liberados pela instituição de fomento foram destinados prioritariamente a micro, pequenas e médias empresas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies