Menu
2020-10-16T11:12:44-03:00
Estadão Conteúdo
Dragão da inflação

Inflação medida pelo IGP-10 sobe 3,20% em outubro e supera projeções

O resultado do IGP-10 ficou acima do teto das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 1,72% e 3,02%

16 de outubro de 2020
11:12
inflação
Imagem: Shutterstock

O Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) subiu 3,20% em outubro, após ter aumentado 4,34% em setembro, informou nesta sexta-feira, 16 a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O resultado ficou acima do teto das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo Projeções Broadcast, que esperavam uma alta entre 1,72% e 3,02%, com mediana positiva de 2,67%.

Leia também:

Quanto aos três indicadores que compõem o IGP-10 de outubro, os preços no atacado medidos pelo IPA-10 tiveram alta de 4,06% no mês, ante uma elevação de 5,99% em setembro.

Os preços ao consumidor verificados pelo IPC-10 apresentaram aumento de 0,98% em outubro, após o avanço de 0,46% em setembro. Já o INCC-10, que mede os preços da construção civil, teve alta de 1,51% em outubro, depois de subir 0,80% em setembro.

O IGP-10 acumulou um aumento de 17,63% no ano. A taxa em 12 meses ficou positiva em 19,85%. O período de coleta de preços para o indicador de outubro foi do dia 11 de setembro a 10 deste mês.

O que pressionou no IGP-10

A alta no custo das passagens aéreas e dos alimentos acelerou a inflação ao consumidor dentro do IGP-10 de outubro. Cinco das oito classes de despesa do IPC-10 registraram taxas de variação mais elevadas, com destaque para o grupo Educação, Leitura e Recreação, que passou de 0,38% em setembro para 4,11% em outubro. A passagem aérea saltou de 6,97% para 54,11% no período.

Os demais acréscimos ocorreram nas taxas de variação dos grupos Alimentação (de 0,99% para 2,10%), Saúde e Cuidados Pessoais (de -0,34% para 0,07%), Vestuário (de -0,35% para 0,11%) e Comunicação (de 0,01% para 0,06%).

As maiores influências partiram dos itens:

  • hortaliças e legumes (de -4,84% para 2,01%),
  • plano e seguro de saúde (de -2,40% para 0,00%)
  • roupas (de -0,48% para 0,12%)
  • tarifa de telefone residencial (de 0,03% para 1,06%)

O que caiu

Na direção oposta, as taxas foram mais baixas nos grupos Transportes (de 0,91% para 0,43%), Habitação (de 0,50% para 0,40%) e Despesas Diversas (de 0,30% para 0,20%), sob a contribuição de itens como a gasolina (de 2,83% para 0,76%), tarifa de eletricidade residencial (de 0,72% para 0,19%) e serviços bancários (de 0,20% para 0,13%).

IPAs

Os preços agropecuários, medidos pelo IPA Agrícola, subiram 8,26% no atacado em outubro, após um avanço de 8,78% em setembro, dentro do IGP-10, informou a FGV. Já os preços dos produtos industriais - mensurados pelo IPA Industrial - tiveram alta de 2,44% este mês, depois da elevação de 4,95% no atacado em setembro.

Dentro do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais tiveram alta de 2,66% em outubro, ante uma elevação de 2,56% em setembro.

Os preços dos bens intermediários subiram 3,40% em outubro, após alta de 3,63% no mês anterior. Já os preços das matérias-primas brutas subiram 5,77% em outubro, depois da elevação de 11,17% em setembro.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

PANDEMIA AVANÇA

Brasil registra 1.337 mortes em 24 horas; Estados anunciam restrições

Total de casos da doença é superior a 10 milhões; taxa de mortalidade do coronavírus é de 2,41% dos infectados

Fato relevante

Banco do Brasil desmente renúncia de André Brandão

Instituição financeira diz não ter conhecimento das fontes das notícias veiculadas

Ranking dos investimentos

Ativos de risco têm mais um mês negativo com tensões e Brasília e alta dos juros futuros nos EUA

Um misto de fatores locais e externos levou o Ibovespa a ter um dos piores desempenhos do mês e o dólar, o melhor. Ouro aparece na lanterna do ranking

Proventos

Banco do Brasil anuncia pagamento de R$ 416 milhões em Juros sobre Capital Próprio (JCP)

Terão direito ao provento os investidores com posição acionária na empresa no dia 11 de março

o melhor do seu dinheiro

Brandão balança mais não cai?

Chegamos ao fim de mais uma semana tensa nos mercados, que começou com a derrocada das ações da Petrobras, em razão da interferência do governo na presidência da estatal, e termina com pressões na bolsa e no dólar motivadas pelas preocupações dos investidores com a inflação nos Estados Unidos e alta nas taxas dos títulos […]

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies