Menu
2020-03-03T17:15:47-03:00
Felipe Saturnino
Felipe Saturnino
Graduado em Jornalismo pela USP, passou pelas redações de Bloomberg e Estadão.
PIB e Selic menores

Goldman Sachs corta projeção de PIB e Selic com efeito-coronavírus

Goldman Sachs revisou a sua projeção para crescimento do PIB do Brasil de 2,2% para 1,5%, de acordo com relatório do banco divulgado nesta terça-feira

3 de março de 2020
17:00 - atualizado às 17:15
mascara_coronavirus_galeao_abr_29022000123
Passageiros e funcionários circulam vestindo máscaras contra o novo coronavírus (Covid-19) no Aeroporto Internacional Tom Jobim- Rio Galeão - Imagem: Fernando Frazão/Agência Brasil

O Goldman Sachs revisou a sua projeção para crescimento do PIB do Brasil de 2,2%% para 1,5%, de acordo com relatório do banco divulgado nesta terça-feira, assinado pelo economista Alberto Ramos. 

As razões do corte são a expectativa de impactos negativos do surto do novo coronavírus na atividade econômica global e o aperto nas condições financeiras disparado pela elevação do prêmio de risco, segundo o Goldman.

"Nossa cenário-base para macroeconomia global implica um severo declínio no PIB do 1T da China, uma moderada disrupção na cadeia global de produção e um nível intermediário de surto viral global", diz o relatório, que aponta ainda que a exposição do Brasil às commodities do país asiático é alta, como a absoluta maioria dos países sul-americanos. No cenário-base do banco, o crescimento global será de 2%, abaixo da projeção anterior, de 3%.

No Brasil, o Goldman reconheceu que a atividade arrefeceu no fim de 2019 e que indicadores do início de 2020 apontaram um crescimento menor. No geral, o país está exposto aos preços de commodities e menos exposto à disrupção nas cadeias globais de produção, diz o banco.

O Goldman também revisou a projeção para Selic ao fim de 2020, de 4,25% para 3,75%, mencionando uma chance de 40% de um corte de 0,25 ponto percentual (pp) na próxima reunião do Copom, a ser realizada nos dias 17 e 18 de março. Segundo o Goldman, haverá 2 cortes de 0,25pp da taxa básica de juros.

O Goldman também destacou que "o real não tem tido boa performance por algum tempo (o que reflete o carry menor da moeda) e que a autoridade monetária tem intervindo no mercado de câmbio para ssutentar a moeda".

Dada a "extraordinária incerteza" no cenário atual, o banco também informou que suas projeções poderão ser revisadas em um momento posterior.

Mais cedo, o Federal Reserve, banco central americano, cortou em 0,5pp o juro básico americano, em uma decisão extraordinária, o que não ocorria desde 2008.

Comentários
Leia também
DINHEIRO QUE PINGA NA SUA CONTA

Uma renda fixa pra chamar de sua

Dá para ter acesso a produtos melhores do que encontro no meu banco? (Spoiler: sim).

Desmatamento em foco

Varejistas europeus ameaçam boicote a produtos do Brasil por risco à Amazônia

O movimento foi visto como “precipitação” por empresários brasileiros que acompanham dois projetos de lei que tramitam no Congresso sobre o tema

CÉU DE BRIGADEIRO

No pós-Copom, Ibovespa tem tudo para amanhecer com céu azul e sol brilhante

Com o Banco Central fora da cena principal, bolsa brasileira tem tudo para acompanhar o apetite por risco no exterior

Troca de presidência

Carlos Brito vai deixar o comando da AB InBev em 1º de julho

O substituto de Brito no comando da AB InBev também é brasileiro: o engenheiro catarinense Michel Dukeris, que ingressou na AmBev em 1996

primeiro trimestre

TIM anuncia alta de 57,9% do lucro e venda de controle da FiberCo

Receita líquida somou R$ 4,340 bilhões, ligeira alta de 3% sobre igual período do ano anterior

recuperação

Lucro líquido da Copel soma R$ 795 milhões no 1º trimestre, alta de 55,6%

Já a receita operacional líquida acumulada até março de 2021 somou R$ 4,985 bilhões, alta de 22,6% sobre o mesmo período do ano passado

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies