Menu
2020-10-10T13:17:17-03:00
Estadão Conteúdo
deterioração das contas

Crise de confiança afeta até papel tido como porto seguro da dívida brasileira

Para comprar as LFTs, os investidores passaram a pedir uma remuneração acima da Selic; adicional já bateu em 0,42% ao ano

10 de outubro de 2020
13:15 - atualizado às 13:17
20/08/2019 Cerimônia de Lançamento do IPCA para Crédito Imobi
Presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. - Imagem: Alan Santos/PR

A desconfiança com os rumos das contas públicas do governo chegou ao chamado "porto seguro" da dívida brasileira, as LFTs - papéis atrelados à taxa Selic, a taxa básica de juros, considerados de menor risco para os investidores e que lastreiam os fundos de curto prazo (DI).

Para comprar esses títulos, os investidores passaram a pedir uma remuneração acima da Selic (atualmente em 2% ao ano, piso histórico). Esse adicional já bateu em 0,42% ao ano, o equivalente a 42 pontos-base.

Segundo analistas, esse é mais um exemplo dos sinais de deterioração dos indicadores do mercado financeiro diante da falta de resposta do governo e do Congresso à trajetória de aumento da dívida pública. O estresse no mercado de LFTs se segue à forte desvalorização do real, ao aumento dos juros futuros e ao encurtamento dos prazos da dívida pública.

A preocupação com o alta do deságio das LFTs foi citada pelo presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento organizado pelo Itaú, na última quinta-feira. Ele apresentou um gráfico mostrando a rapidez desse processo.

"A situação é de estresse fiscal. A dúvida é se a gente volta ou não aos trilhos do gasto no ano que vem", diz o ex-secretário do Tesouro Carlos Kawall. Atual diretor do ASA Investments, Kawall afirma que o problema com as LFTs indica um estágio mais avançado da piora das condições do mercado. A percepção é que o mercado não tem apetite para financiar um aumento do endividamento que não seja temporário.

O movimento vem desde 11 de setembro e melhorou um pouco após leilão do Tesouro na quinta-feira passada, e também por causa dos sinais dos últimos dias de manutenção do teto de gasto ( a regra que impede o crescimento das despesas acima da inflação) dado pelo governo e lideranças políticas, depois do "jantar da pacificação" entre o ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), na segunda-feira.

No leilão de LFTs, o Tesouro conseguiu um alívio na escalada de alta do deságio com a oferta menor desses papéis. Ontem, estava em 0,28%, patamar considerado ainda elevado.

"A sequência é mais ou menos simples. Isso gera um encarecimento do custo da dívida, que fica mais cara. Isso acaba afetando o custo do próprio crédito e gera aumento de juros para o governo, setor privado, para quem está tomando o dinheiro no banco", explica o ex-secretário do Tesouro.

Kawall alerta para o risco de uma crise de liquidez no segmento de fundos de renda fixa DI, gerando estresse em investidores conservadores que são avessos a risco e que não estão preparados para perdas em um produto sempre considerado isento de risco. "O problema é que, quando o prêmio da LFT abre, tem o risco da cota negativa dos fundos de investimento, o que aconteceu em setembro", adverte.

Esse mesmo fenômeno ocorreu na crise de 2002. Chefe do Departamento de Operações de Mercado Aberto (Demab) naquela época, Sérgio Goldenstein destaca que as LFTs respondem por 40% da dívida em títulos do governo e ainda são um dos principais instrumentos de financiamento das despesas públicas, sobretudo em momento de crise. "As LFT sempre constituíram os títulos do conforto", diz Goldenstein, hoje analista independente da Omninvest.

O processo, avalia ele, está atrelado também à queda da Selic. De 2017 a 2019, o Tesouro vendia em média 95% do que ofertava desse papel. Em 2020, a média caiu para 54%. Para ele, o risco desse processo é que o Tesouro está concentrando as suas emissões em títulos de curto prazo, as LTNs. A consequência é uma concentração maior de vencimentos. Segundo ele, só em abril de 2021 os vencimentos de LTNs já somam R$ 270 bilhões.

Procurado, o Tesouro disse que ao longo das últimas semanas houve aumento no prêmio das LFTs negociadas no mercado secundário (que contempla negociação entre empresas e bancos), o que pode indicar que no período recente houve maior fluxo vendedor do título.

O órgão reconhece que, dadas as características da LFT, essa flutuação nos prêmios é muito pouco frequente e tende a ocorrer apenas em momentos em que há um desequilíbrio mais significativo entre a oferta e demanda no mercado secundário.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

DADOS OFICIAIS

Brasil tem 158,4 mil mortes por covid-19 desde início da pandemia

País registra 28.629 novos casos e 510 novas mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, segundo Ministério da Saúde

Bons presságios

O que esperar para cada segmento do mercado imobiliário, segundo o BTG – e uma ação para ficar de olho

Em relatórios setoriais, analistas do banco dizem o que esperam para os resultados do terceiro trimestre das companhias ligadas aos diferentes segmentos do mercado; visão, em geral, é otimista

Que bolsa é essa? - SD Premium

Telefone pra você: uma empresa líder na bolsa — e com o conforto dos dividendos

Nos níveis atuais, acho bastante interessante comprar as ações. Mesmo que não haja nenhum grande gatilho de curto prazo, os dividendos te compensam pela espera

em meio à crise

GPA tem alta de 150% no lucro, com melhora operacional no Brasil

Cifra atingiu R$ 386 milhões; Assaí apresentou faturamento de R$ 10,1 bilhões, incremento de R$ 2,5 bilhões contra o ano anterior

Números fortes

Vale tem lucro líquido de US$ 2,9 bilhões no 3º tri, alta de 76% na comparação anual

Lucro líquido cresceu quase 76% em relação ao terceiro trimestre do ano passado; Ebitda ajustado chegou a mais de US$ 6 bilhões

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies