Menu
2020-07-13T19:06:40-03:00
micro e pequenas empresas

Caixa recebe novo limite para Pronampe, agora de R$ 5,9 bilhoes

“Ajudar os pequenos empresários, tão importantes para o nosso país, faz parte da vocação da Caixa, especialmente nesse período de pandemia em que o consumo e a renda são afetados”, diz o presidente da Caixa, Pedro Guimarães

13 de julho de 2020
19:06
Caixa Economica Federal
Imagem: Shutterstock

A Caixa anunciou que teve contratdos R$ 4,24 bilhões em créditos pelo Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) nesta segunda-feira, e que recebeu do Ministério da Economia um acréscimo de limite, que passou a ser de R$ 5,9 bilhões.

Junto com o Pronampe, o banco oferece também o Fundo de Aval para as Micro e Pequenas Empresas (Fampe), em parceria com o Sebrae para microempreendedores individuais e micro e pequenas empresas, sendo que as duas linhas superaram R$ 6 bilhões em fomento ao segmento.

"Ajudar os pequenos empresários, tão importantes para o nosso país, faz parte da vocação da Caixa, especialmente nesse período de pandemia em que o consumo e a renda são afetados", diz o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

O banco público anunciou também para agosto um novo aplicativo voltado para as micro e pequenas empresas, em que o cliente precisará ir à agência apenas para assinatura do contrato, mas análise e liberação do crédito ocorrerá digitalmente.

Itaú

O dinheiro do Pronampe se esgotou em meia hora na manhã desta segunda-feira no Itaú Unibanco. Ao todo foram desembolsados R$ 3,7 bilhões - R$ 700 milhões a mais do que os previstos inicialmente. Em três dias acessarem o crédito 37 mil micro e pequenas empresas clientes do banco, que contrataram via aplicativo.

O desembolso feito pelo maior banco privado do País ocorre após alguns problemas técnicos, que obrigaram a operação a ser suspensa para ajustes na conexão com o Banco do Brasil (BB), o administrador da linha.

"Além de sermos o primeiro banco privado a oferecer a linha, nos preocupamos também em disponibilizar aos clientes uma experiência totalmente digital, com contratação do crédito direto pelo app Itaú Empresas no celular, evitando a necessidade de o cliente ter que se deslocar até o banco. Tivemos alguma instabilidade nos sistemas em razão do alto volume dessa demanda, mas, ainda assim pudemos disponibilizar um volume recorde de contratações", afirma em nota, o diretor executivo comercial do Banco de Varejo do Itaú Unibanco, Carlos Vanzo.

Até sexta-feira, o Itaú já havia concedido 70% dos R$ 3 bilhões disponíveis para a linha. "Finalizamos a concessão dos 30% restantes, que correspondiam a R$ 1 bilhão na primeira meia hora de operação nesta segunda-feira. Tivemos ainda um valor extra de R$ 700 milhões, solicitado durante o final de semana ao Banco do Brasil, administrador da linha, também já totalmente concedido aos nossos clientes neste mesmo período", destaca Vanzo, na nota à imprensa.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

abaixo do esperado

Pedidos de auxílio-desemprego nos EUA caem 228 mil na semana

número ficou abaixo da expectativa de analistas consultados pelo The Wall Street Journal, que previam 1,1 milhão de solicitações

Títulos públicos

Veja os preços e as taxas do Tesouro Direto nesta quinta-feira

Confira os preços e taxas de todos os títulos públicos disponíveis para compra e resgate

exile on wall street

A eterna morte das Big Techs

Se o retorno com as ações de Apple, Google e Facebook tem sido excepcional na última década, intacto através de subprimes e pandemias, onde está o risco?

Mercados hoje

Ibovespa abre em alta e dólar cai com alívio fiscal e indicadores no Brasil e nos EUA

Fala de Bolsonaro sobre teto de gastos e indicadores no Brasil e nos EUA aliviam um pouco a pressão sobre a bolsa e o dólar

queda na receita

Volume de serviços sobe 5% em junho ante maio, mas cai 12,% ante junho de 2019

A taxa acumulada no ano foi de redução de 8,3%. Em 12 meses, os serviços acumulam queda de 3,3%.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements