Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2020-02-15T11:21:06-03:00
Mais lidas

O caminho dos fundos imobiliários

15 de fevereiro de 2020
11:21
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Ontem eu publiquei uma matéria no Seu Dinheiro sobre como até as melhores aplicações ultraconservadoras (aquelas com liquidez diária e mínimo risco de calote) estão perdendo da inflação ou ficando no zero a zero. Você pode conferi-la aqui.

Mas por que estou falando deste assunto? A reportagem não ficou entre as mais lidas da semana, mas serve para ilustrar que, com a Selic em 4,25% ao ano, essas aplicações financeiras só estão servindo mesmo para abrigar nossas reservas de emergência.

Os órfãos do CDI estão tendo que se voltar para outros tipos de investimento, tanto para multiplicar o patrimônio quanto para gerar renda - se você é aposentado ou está perto de se aposentar, por exemplo, certamente esta é a sua maior preocupação no momento.

Neste cenário de juros baixos, um dos investimentos que despontaram foram os fundos imobiliários. Apesar de o investimento em ações também ser capaz de gerar renda, bem sabemos que o brasileiro não é lá muito afeito a este nível de risco. Os FII surgem, então, como uma alternativa “no meio do caminho” entre a renda fixa e a renda variável.

Afinal, fundos imobiliários são capazes de gerar renda periódica - muitos pagam rendimentos mensalmente -, com um grande grau de previsibilidade e do jeito que o brasileiro mais gosta: com isenção de imposto de renda.

Além disso, eles investem em um tipo de ativo que o brasileiro historicamente adora: imóveis. Ou seja, ainda há a possibilidade de ganho com a valorização e uma proteção contra a inflação.

Só que são muitos os FII com cotas negociadas na bolsa, e escolher os melhores nem sempre é tarefa fácil. Por isso, o Seu Dinheiro começou, neste ano, a publicar os três fundos imobiliários preferidos das corretoras que analisam o segmento e divulgam carteiras recomendadas desse tipo de produto.

A matéria com as indicações de fevereiro foi a mais lida da semana. O conteúdo está disponível exclusivamente para os nossos leitores Premium. Você pode destravar o seu acesso aqui.

Veja as 5 notícias mais lidas da semana:

1 - Os melhores fundos imobiliários para investir em fevereiro, segundo 6 corretoras

2 - Elon Musk cometeu erro de US$ 6 bilhões ao usar ações da Tesla como moeda

3 - IPO da Moura Dubeux levanta R$ 1,25 bilhão e ação sai precificada por R$ 19

4 - A estratégia da Totvs para derrotar a concorrência e continuar crescendo em 2020

5 - Dá para se aposentar com R$ 1 milhão?

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

Mercados hoje

Bolsas sobem em Nova York após dois dias de queda, mas petróleo pressiona índice de empresas brasileiras

Otimismo com retomada da economia norte-americana impulsiona bolsas. A maior surpresa do dia é o Nasdaq, que sobe mesmo com o peso das ações da Netflix

O varejo ferve

Renner mira compra da Dafiti com recursos da oferta de ações

Varejista anunciou captação de até R$ 6,5 bilhões na bolsa e pode usar os recursos para fazer uma proposta pelo e-commerce de moda

Pouso forçado

Demanda por voos deve encerrar o ano em menos da metade do nível pré-pandemia

O prejuízo total das companhias aéreas em 2021 deve ficar entre US$ 47 bilhões e US$ 48 bilhões, de acordo com a ação Internacional de Transporte Aéreo (Iata)

Agora vai?

Governo vai reduzir valor de arrecadação por áreas “micadas” do pré-sal em novo leilão

A arrecadação que o governo pretende receber pela exploração de dois campos do pré-sal foi reduzida em R$ 25,5 bilhões; novo leilão deve acontecer em dezembro

Mercado de capitais

FGTS embolsa quase R$ 900 milhões com venda de ações da Alupar em oferta

O fundo que reúne o dinheiro dos trabalhadores com carteira assinada tinha uma participação de 12% no capital do grupo de geração e transmissão de energia

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies