Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2020-09-21T20:10:58-03:00
seu dinheiro na sua noite

A segunda onda (e o primeiro teste)?

21 de setembro de 2020
20:10
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A bolsa brasileira ganhou 1 milhão de pessoas físicas nos últimos seis meses. São novos investidores que praticamente não sabem o que é perder dinheiro na renda variável.

O Ibovespa registrou uma alta de respeitáveis 40% entre março — o epicentro do terremoto nos mercados provocado pela crise do coronavírus — e agosto. O ganho é ainda mais expressivo se compararmos com o retorno aguado da renda fixa mais conservadora.

Olhando pelo retrovisor, ir para a bolsa parecia uma decisão óbvia, mas quem investiu correu uma série de riscos. Naquele momento, ninguém sabia quanto tempo duraria a quarentena nem como a economia reagiria à crise provocada pela paralisação global.

É assim mesmo que funcionam os investimentos: a perspectiva de maior retorno está associada a um risco maior de as coisas darem errado.

A queda das ações no mês passado diante das incertezas sobre o rumo da política fiscal trouxe o primeiro choque de realidade aos novatos da bolsa. Mas podemos estar agora diante do primeiro teste de fato.

Além das ameaças já conhecidas, como a de uma segunda onda de casos de coronavírus no exterior, um abalo inesperado veio do setor financeiro, com a denúncia de que grandes bancos estrangeiros movimentaram mais de US$ 2 trilhões em operações suspeitas.

As nuvens carregadas do noticiário derrubaram o Ibovespa e levaram o dólar de volta para a casa dos R$ 5,40. Saiba com o Ricardo Gozzi tudo o que mexeu com os mercados.

EMPRESAS

 Será que agora vai? Depois de anos de especulação, a CSN autorizou a abertura de capital da sua unidade de mineração. Além disso, a siderúrgica atualizou as suas projeções para 2020. Veja os números.

 E, por falar em IPO, o Grupo Mateus pode levantar até R$ 6,2 bilhões em sua oferta. Se tudo der certo, a quarta maior varejista de alimentos do país vai estrear no pregão da B3 no dia 13 de outubro. Saiba mais com o Ivan Ryngelblum.

 Começou mal, mas terminou bem. A incorporadora Cury teve um início difícil no primeiro dia de negociação de suas ações na B3, com queda de mais de 6%. Mas conseguiu virar o jogo e encerrou o dia em alta.

 Por falar em começar mal, a rede de farmácias d1000 acumulava uma queda de 40% desde o IPO no mês passado. Mas hoje os papéis tiveram um forte impulso com a recomendação de compra da XP Investimentos, que coordenou a oferta de ações.

ECONOMIA

 A “grande dúvida” rondando a situação fiscal do Brasil está impedindo o retorno dos investimentos. Ao menos esta é a opinião de José Mendonça de Barros. O respeitado economista também acredita que o pior da taxa do desemprego ainda está por vir.

 O acordo para fazer da chinesa TikTok uma empresa baseada nos Estados Unidos deve mudar o cenário da rede social. A operação pode até mesmo desafiar o domínio do Facebook na internet. Confira como será o negócio.

COLUNISTAS

 O Banco Central tentou acalmar os mercados, mas teve como resposta um problema no mercado de juros. Agora, podemos ver um contágio. Nada a ver com o coronavírus: é que o problema pode ir para a bolsa e para o câmbio. Saiba mais na coluna do Felipe Miranda.

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Direto na conta

Caixa começa a pagar hoje segunda parcela do auxílio emergencial

Nascidos em janeiro receberão nas contas poupança digitais

ESTRADA DO FUTURO

As ações de tecnologia estão caras ou baratas? Saiba como os analistas fazem as contas

Com o tempo, a análise dessas empresas migrou da abordagem de tradicional para um modelo de probabilidades e grandes números

Pandemia

Número de óbitos por covid-19 passa de 434 mil; casos passam de 15,5 milhões

Mais de 2 mil mortes e 67 mil novos casos foram registrados nas últimas 24 horas

Polui menos

Petrobras bate recorde de vendas de diesel S-10

Impacto ambiental do derivado é menor

Acabou a mamata?

Congresso reage a supersalários da cúpula do governo

Medida beneficia diretamente o presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Hamilton Mourão

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies