🔴 03/06 – ‘GATILHO’ PARA BUSCAR ATÉ R$ 2 MILHÕES COM CRIPTOMOEDAS PODE SER DISPARADO – SAVE THE DATE

Seria Elon Musk um Eike Batista?

Será que, no mercado, quase toda euforia desmedida não acaba invariavelmente em frustração?

1 de agosto de 2020
5:50 - atualizado às 17:47
Elon Musk SpaceX
O empresário Elon Musk, fundador da Tesla e da SpaceX. - Imagem: Shutterstock

Claro que Elon Musk tem seus méritos. Mas há gente muito séria que acha que o culto à sua pessoa e, acima de tudo, o valor das ações da Tesla estão absolutamente exagerados.

Falo de Jim Chanos, talvez o maior short seller do mundo. “Short seller” significa que ele ganha dinheiro apostando contra as empresas, ou seja, que as cotações das suas ações vão despencar.

Nas últimas semanas, ele tem falado de Tesla o tempo todo: segundo ele, a empresa é cronicamente incapaz de dar lucros, endividada, sofre com a crescente concorrência de outras fábricas de carros elétricos e é chegada em uma “contabilidade agressiva” para enfeitar seus balanços.

A conta que ele faz é esta: Tesla vale mais de dez vezes a sua receita anual. Outras montadoras em geral são negociadas a múltiplos que oscilam entre 0,25 e 0,5 vezes a receita.

“Isso significa que existe uma percepção do mercado de que estamos tratando de um alguma tecnologia muito avançada, à frente de todo o resto. Mas a Tesla não é líder em nada empolgante, seja em bateria ou na autonomia dos carros. As baterias são da Panasonic, e as novas superbaterias de que se fala são de uma chinesa, a Calt. A Audi domina a tecnologia de autonomia nível 3, enquanto a Tesla ainda está no nível 2”, diz ele.

Explico: carros autônomos (ou seja, sem necessidade de motorista) são divididos em níveis.

  1. O nível 1 (“hands on”) é aquele que ainda necessita do motorista com as mãos no volante, com algum auxílio para estacionar ou com um dispositivo para manter determinada velocidade de cruzeiro na estrada sem precisar ficar acelerando. Seu carro talvez tenha essas coisas.
  2. O nível 2 (“hands off”) permite tirar as mãos do volante, mas o motorista precisa estar atento para intervir a qualquer momento. Aqui está a Tesla.
  3. O nível 3 (“eyes off”) permite que o motorista não precise olhar para a pista. Ou seja, pode ler ou ver um filme, mas pode ser chamado pelo veículo para assumir.
  4. O nível 4 (“mind off”) permite dormir ou reclinar o banco, mas o sujeito ainda precisa abastecer, eventualmente trocar o pneu. No nível 5, o carro é que não precisa de você.

“A Tesla é uma montadora, não é uma companhia de tecnologia, apesar de ainda ser vista assim”, diz o investidor. “As pessoas enxergam o que querem. O produto no qual a Tesla sempre foi extraordinária é narrativa.”

Goste Chanos ou não, porém, nos últimos meses a ação disparou. Veja o gráfico que o Financial Times fez comparando o valor de mercado da empresa com o de outras montadoras.

O jornal atribui o movimento, em boa medida, “a investidores mais jovens em plataformas como Robinhood [uma corretora digital americana moderninha], atraídos pelas credenciais verdes da empresa e pelo culto a Elon Musk”. Mais de meio milhão de clientes da Robinhood têm ações da Tesla. Esse valor dobrou nos últimos dois meses.

Em editorial, o jornal disse que o comportamento da ação mostra “muitos sinais de ser uma bolha, negociando a 1.200 vezes os lucros”.

O jornal vê um lado otimista na coisa: o mercado, na sua irracionalidade, estaria financiando o avanço de carros limpos, que não emitem gases do efeito-estufa.

Assim como uma bolha das ferrovias no século 19 fez maravilhas pelo avanço da infraestrutura no interior do Estados Unidos e a bolha da internet ajudou a financiar investimentos em fibra ótica que ficaram depois que ela estourou, o planeta ganha mesmo que os investidores de Elon Musk e startups elétricas ao seu redor venham a perder dinheiro.

Claro que a comparação com Eike Batista do título, como toda comparação, serve mais para ilustrar um argumento do que para estabelecer uma verdade: são pessoas diferentes, países diferentes, setores diferentes, destinos diferentes.

Eu acho até que o culto à personalidade no caso de Musk é maior de que o de Eike: este sempre foi um pouco brega, com aquilo de estacionar Mercedes na sala, e nunca ninguém disse que ele estava salvando o mundo (talvez o Rio de Janeiro; deu no que deu).

O ponto é que ninguém é tão gênio quanto se pinta no auge nem tão bandido quanto se diz na desgraça. No fim, a pergunta a ser feita sobre a Tesla, que remete a Eike, é esta: será que, no mercado, quase toda euforia desmedida não acaba invariavelmente em frustração?

*

Aproveito para indicar o MoneyRider, uma carteira completa de ativos no exterior. Tem Disney, tem Amazon, mas não tem Tesla.

*

Fale comigo por email: ricardo.mioto@empiricus.com.br
Twitter: @ricardomioto

Compartilhe

Coluna do Mioto

Vinte conselhos não óbvios de carreira

24 de outubro de 2020 - 5:54

Estes são conselhos de carreira para jovens profissionais que tenham a ambição de serem promovidos e terem relevância dentro das suas empresas

coluna do mioto

Minha profissão é chata demais, o que eu faço?

10 de outubro de 2020 - 10:41

Acomodar-se ou tomar uma decisão ousada de ir buscar algo que lhes traga mais tesão?

COLUNA DO MIOTO

Sério que você vai investir em Cogna e Oi, mas não em Netflix?

3 de outubro de 2020 - 6:21

Não faz sentido investir em apenas um país. Você não aumenta o seu potencial de ganho, a não ser que você acredite que o Brasil vai ter um desempenho melhor do que todas as outras nações

Coluna do Mioto

Gastar dinheiro não vai fazê-lo feliz

26 de setembro de 2020 - 6:12

O cérebro superestima o prazer que teremos ao comprar alguma coisa. O ditado que diz que casa na praia dá duas alegrias, a da compra e a da venda, tem uma razão de ser

Coluna do Mioto

Investir não é para divorciadas?

19 de setembro de 2020 - 5:59

Uma ouvinte do podcast Empiricus Puro Malte mandou o seguinte email após discutirmos por que os homens investem mais na Bolsa que as mulheres

Coluna do Mioto

Por que as mulheres investem menos do que os homens?

12 de setembro de 2020 - 8:02

Esta foi uma pergunta que fiz para Beatriz Nantes, sócia e chefe de operações da Empiricus, no nosso podcast Puro Malte. Eis a resposta da Bia

Coluna do Mioto

Os gringos esqueceram o Brasil (e isso cria oportunidades)

29 de agosto de 2020 - 6:04

Isso ajuda a explicar por que, enquanto as Bolsas pelo mundo todo retomaram aos recordes pré-crise, nós ainda patinamos aqui uns 20% abaixo das máximas

Coluna do Mioto

Last Dance: Quando investir nos afasta de amigos e familiares

22 de agosto de 2020 - 7:09

Se você prefere investir seu dinheiro do que gastar sem motivo, talvez comece a achar sua própria família ou alguns amigos meio bregas

MEDO DE PERDER DINHEIRO FAZ BEM

As vantagens de ser um investidor covarde

15 de agosto de 2020 - 5:43

Você tem que ter medo. O excesso de confiança é muito perigoso. O Bobby Axelrod fala isso em um episódio do Billions: ‘eu sinto o gosto do medo na garganta, eu não quero ficar pobre

Virou pó

Os infelizes que compraram opções de Cogna

8 de agosto de 2020 - 9:21

Nesta semana, pelo menos dez mil infelizes viram suas opções de compra de Cogna virarem pó.

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies

Continuar e fechar