🔴 RENDA MÉDIA DE R$ 21 MIL POR MÊS COM 3 CLIQUES – SAIBA COMO

Cotações por TradingView

Last Dance: Quando investir nos afasta de amigos e familiares

Se você prefere investir seu dinheiro do que gastar sem motivo, talvez comece a achar sua própria família ou alguns amigos meio bregas

22 de agosto de 2020
7:09 - atualizado às 20:13
Michael Jordan

Se você não assistiu ainda à série documental do Netflix sobre Michael Jordan, chamada “Last Dance”, recomendo que o faça.

A série mostra um Jordan implacável, obsessivo por ganhar, cobrando duramente os colegas de time a terem o mesmo empenho. Em uma situação, implica tanto com um outro jogador do Chicago Bulls que chegam a trocar socos em um treino.

Ele era assim mesmo quando novato. Recém-chegado no time, não quis participar de festinhas com álcool e drogas dos jogadores veteranos. Achava que ia prejudicar o seu desempenho. Acabou se livrando de todos eles.

Ele não estava preocupado em perder a amizade. Se esse era o preço de ganhar em quadra, que se dane se não gostassem dele.

O que isso tem a ver com dinheiro?

Muito, como a gente discutiu no último episódio do podcast Empiricus Puro Malte, que foi ao ar ontem -- você pode ouvir no Spotify neste link.

Claro que você não vai dar soco nos outros (por favor, né), mas a construção de patrimônio pode afastá-lo de muitas pessoas, seja você um investidor ou um empreendedor.

Se você prefere investir seu dinheiro do que gastar sem motivo, talvez comece a achar sua própria família ou alguns amigos meio bregas.

De todos os e-mails de assinantes da Empiricus que já vi, o meu favorito é o de uma mulher de cerca de 50 anos. Ela contava ter uma carteira diversificada, com ações, fundos imobiliários, renda fixa e dólares. “Comecei com 228 mil e hoje estou chegando nos 700 mil”, dizia ela. “Faço aportes mensais e reinvisto tudo que entra de dividendos e renda dos fundos.”

“Mas o que eu queria contar mesmo era isto: nesta semana, conversando com minhas amigas de trabalho, uma contou que fez botox e preenchimento com ácido. A outra fez luzes no cabelo, hidratação e comprou um monte de produtos caros. Elas perguntaram: e você? Eu disse: comprei um lote de ALUP11 [Alupar, de energia elétrica] e umas cotas de fundos imobiliários. Posso não ser a mais bonita, mas com certeza sou a mais independente.”

Eu me sinto um pouco assim quando encontro alguns familiares.

Sinceramente, não tenho o menor interesse em qual carro eles compraram. Se você precisa de um carro zero financiado para se sentir amado, é melhor ir ao psicólogo do que à concessionária. Isso quando não começa o papo sobre quanto custou o metro quadrado de uma tal pedra qualquer de gosto duvidoso que a pessoa colocou no banheiro.

Se você for empreender, como apontou o Felipe Miranda no podcast, pode passar por problemas similares. Muitas vezes amigos montam uma empresa, mas o sucesso faz com que a amizade se perca porque um dos sócios quer mais desempenho e compromisso dos outros.

“A lição mais geral do Jordan é que o sucesso extremo pode ser ambivalente. Tem muitas histórias de super empreendedores que brigam com o cara que era padrinho do filho e coisas do tipo”, ele disse.

Não se trata, claro, de sugerir que você se afaste da família e dos amigos nem que brigue com os sócios. Ninguém é feliz sozinho, tenha o dinheiro que tiver, e a tolerância é uma grande virtude.

São apenas os difíceis equilíbrios da vida: não se pode ter tudo, e o sucesso em alguns campos implica desafios ou renúncias em outros. Jordan já sabia.

Escute o Empiricus Puro Malte:

Compartilhe

Coluna do Mioto

Vinte conselhos não óbvios de carreira

24 de outubro de 2020 - 5:54

Estes são conselhos de carreira para jovens profissionais que tenham a ambição de serem promovidos e terem relevância dentro das suas empresas

coluna do mioto

Minha profissão é chata demais, o que eu faço?

10 de outubro de 2020 - 10:41

Acomodar-se ou tomar uma decisão ousada de ir buscar algo que lhes traga mais tesão?

COLUNA DO MIOTO

Sério que você vai investir em Cogna e Oi, mas não em Netflix?

3 de outubro de 2020 - 6:21

Não faz sentido investir em apenas um país. Você não aumenta o seu potencial de ganho, a não ser que você acredite que o Brasil vai ter um desempenho melhor do que todas as outras nações

Coluna do Mioto

Gastar dinheiro não vai fazê-lo feliz

26 de setembro de 2020 - 6:12

O cérebro superestima o prazer que teremos ao comprar alguma coisa. O ditado que diz que casa na praia dá duas alegrias, a da compra e a da venda, tem uma razão de ser

Coluna do Mioto

Investir não é para divorciadas?

19 de setembro de 2020 - 5:59

Uma ouvinte do podcast Empiricus Puro Malte mandou o seguinte email após discutirmos por que os homens investem mais na Bolsa que as mulheres

Coluna do Mioto

Por que as mulheres investem menos do que os homens?

12 de setembro de 2020 - 8:02

Esta foi uma pergunta que fiz para Beatriz Nantes, sócia e chefe de operações da Empiricus, no nosso podcast Puro Malte. Eis a resposta da Bia

Coluna do Mioto

Os gringos esqueceram o Brasil (e isso cria oportunidades)

29 de agosto de 2020 - 6:04

Isso ajuda a explicar por que, enquanto as Bolsas pelo mundo todo retomaram aos recordes pré-crise, nós ainda patinamos aqui uns 20% abaixo das máximas

MEDO DE PERDER DINHEIRO FAZ BEM

As vantagens de ser um investidor covarde

15 de agosto de 2020 - 5:43

Você tem que ter medo. O excesso de confiança é muito perigoso. O Bobby Axelrod fala isso em um episódio do Billions: ‘eu sinto o gosto do medo na garganta, eu não quero ficar pobre

Virou pó

Os infelizes que compraram opções de Cogna

8 de agosto de 2020 - 9:21

Nesta semana, pelo menos dez mil infelizes viram suas opções de compra de Cogna virarem pó.

O FRENESI COM AS AÇÕES DA TESLA

Seria Elon Musk um Eike Batista?

1 de agosto de 2020 - 5:50

Será que, no mercado, quase toda euforia desmedida não acaba invariavelmente em frustração?

Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies