Menu
Richard Camargo
Aposente-se aos 40 (ou o quanto antes)
Richard Camargo
Formado em Economia pela Universidade de São Paulo, Richard trabalhou por 5 anos na área tecnológica até chegar na Empiricus.
2020-10-01T17:12:23-03:00
FIQUE ATENTO

Uma nova oportunidade pode estar surgindo na Renda Fixa

Viemos de um ciclo de cinco anos de quedas nos juros. Os próximos meses serão fundamentais para respondermos a seguinte pergunta: existe uma nova grande tese na renda fixa?

4 de outubro de 2020
5:50 - atualizado às 17:12
empresário telescópio vendo oportunidade dinheiro
Imagem: Shutterstock

Olá, seja bem-vindo ao nosso papo de domingo sobre Aposentadoria FIRE® (Financial Independence, Retire Early). 

Mesmo um plano de aposentadoria precoce, geralmente muito focado na construção de patrimônio, precisa de uma exposição à renda fixa. 

Em alguns momentos - talvez na maior parte deles - essa exposição tende à passividade, não apostando em nenhuma grande tese. 

Essa, inclusive, é uma realidade dos mercados que muitas pessoas se recusam a aceitar: não é sempre que existe uma grande tese. 

Isso é super visível na renda fixa, e vou te mostrar a seguir. 

O clichê da Renda Fixa que não é fixa

Ok, vamos começar pelo clichê. 

A renda fixa, como qualquer outra classe de ativos, têm anos bons e ruins. 

Na verdade, a ponta em que você estava em cada um desses anos é quem vai dizer se você teve um ano bom ou ruim. 

O ponto central é que existem duas maneiras diferentes de navegar nesse mercado: ativa, ou passivamente. 

Como você se expõe passivamente a um título prefixado? 

Você simplesmente compra o título, e o carrega até o vencimento. Só isso. 

Se o título tinha vencimento em 10 anos e juros de 8% ao ano, ao final dos 10 anos você receberá seu principal corrigido pelos juros (se não houver calote, claro). 

Mas na realidade, apenas uma minoria dos investidores se expõe à renda fixa passivamente. 

Para a grande maioria de nós, a renda fixa é tão volátil quanto a renda variável. 

O mecanismo dos juros

Existem dois preços que você precisa ter em mente quando falamos de prefixado: o PU (ou preço unitário) e o valor de face (o quanto ele valerá no vencimento). 

Os títulos prefixados principais ofertados no Tesouro Direto possuem valor de face fixo, igual a R$ 1.000.

Ou seja, no vencimento, você sempre recebe milzão.

Por exemplo: em 30/09/2020, o Pré com vencimento em 2026 era negociado a um PU de R$ 689,49 e uma taxa de juros de 7,35% ao ano. 

Data: 30.09.20

Faça as contas se quiser, você vai ver que esse título vale exatamente R$ 1.000 no vencimento. 

E aí vem a nuance que torna esse mercado parecido com a renda variável: os juros praticados mudam o tempo inteiro. 

Como o valor de face é fixo em R$ 1.000, qualquer mudança nas taxas de juros precisa ser refletida no PU. 

Em outras palavras, ele precisa subir ou cair, para que o novo valor, corrigido às novas taxas de juros, ainda seja igual a R$ 1.000 no vencimento. 

Sendo bem objetivo, o PU sobe quando as taxas de juros caem, e o PU cai quando as taxas de juros sobem. 

Agora, veja o gráfico a seguir.

Difícil, mas recompensador

No gráfico anterior, compilei o histórico dos juros prefixados de 10 anos no Brasil. 

Viemos de um ciclo de cinco anos de quedas nos juros; não foi um processo linear, como fica claro na figura, mas ainda sim, um ciclo com uma direção clara. 

Como escrevi na semana passada, sobre os fatores que tem provocado uma fuga dos investidores do Brasil, os riscos fiscais podem causar uma mudança nessa grande tendência. 

Os próximos meses serão fundamentais para respondermos a seguinte pergunta: existe uma nova grande tese na renda fixa? 

Estamos acompanhando diariamente os desdobramentos, e os primeiros a saber essa resposta serão os membros do Empiricus FIRE®, nossa comunidade com milhares de investidores em busca de construir sua aposentadoria precoce (você encontra neste link um caminho de como fazer parte por sete dias gratuitos).

Um abraço!

Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

Não tem para ninguém

CEO mais bem pago de 2020, Elon Musk recebeu US$ 11 bilhões mesmo sem salário fixo na Tesla

O executivo cumpriu metade das metas de seu pacote de remuneração e garantiu uma fatia bilionária de ações da montadora de carros elétricos

Fim de uma era?

Grupo Globo anuncia o fim da revista Época; publicação passará a circular como encarte de jornal

O site da publicação também será integrado ao do jornal em uma decisão que busca enfrentar a transição do conteúdo físico para o online

Explica direito isso aí...

Procon-SP cobra explicações de Gol, Azul, Latam e mais 7 aéreas sobre cancelamentos, remarcações e reembolsos na pandemia

As empresas têm até o dia 10 de maio para responderem questionamentos sobre sua política de comercialização de passagens no período

Melhorias no ar

Azul divulga projeções e aposta em recuperação total no início de 2022

A companhia aérea foi a única das Américas a aumentar seu caixa em 2020 e aposta em um Ebitda de cerca de R$ 4 bilhões no próximo ano

Podcast Tela Azul

CASH3: Conheça a Méliuz, sua estratégia de cashback e saiba por que esta ação tech está bombando

Em entrevista para o Podcast Tela Azul da Empiricus, Lucas Marques, COO da Méliuz, conta sobre a onda da estratégia de cashback e como ela funciona. É falado também do atual foco da companhia em Growth, e dos planos futuros. Entenda o que é o “jabutiCAC”, jargão que surgiu nesta edição.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies