Menu
2020-03-12T08:11:58-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Mais um dia daqueles

Apertem os cintos: coronavírus e tensão política trazem mais turbulência ao mercado local

A decisão do governo americano de suspender as viagens entre o país e a Europa, em meio a surto de coronavírus, traz enorme cautela ao mercado. Por aqui, tensões entre governo e Congresso também geram pessimismo e criam as bases para uma nova sessão de perdas firmes

12 de março de 2020
7:46 - atualizado às 8:11
Cinto mercado Ibovespa dólar turbulência
Imagem: Shutterstock

Quem apostava num alívio para o Ibovespa e os mercados globais nesta quinta-feira (12), de modo a corrigir eventuais exageros da sessão anterior, já pode colocar as barbas de molho: o dia começa envolto em tensão e cautela, tanto no front internacional quanto no doméstico.

Lá fora, a suspensão de viagens entre Estados Unidos e Europa por causa do surto de coronavírus — anunciada na noite de ontem pelo presidente americano, Donald Trump —, gera grande preocupação e fortalece ainda mais a leitura de que a doença causará uma forte contração na economia global.

A dramaticidade da medida, somada à percepção de que o vírus continua se disseminando rapidamente pelo mundo e à ausência de grandes pacotes de estímulo econômico por parte dos governos e bancos centrais, desencadeia mais um movimento de fortes baixas nas bolsas globais.

No Japão, o índice Nikkei desabou 4,41% e, na Coreia do Sul, o Kospi fechou em baixa de 3,87%; as bolsas da China, de Taiwan e de Hong Kong também terminaram no vermelho — os mercados asiáticos reagiram só hoje à elevação, pela OMS, do status do surto de coronavírus para pandemia.

Na Europa, as principais praças acionárias caem mais de 5% e, nos Estados Unidos, os futuros dos índices de Nova York recuam na mesma magnitude, indicando mais uma sessão de forte pressão nos mercados americanos — e, consequentemente, de mais perdas aqui no Brasil.

Nesta quarta-feira (11), o Ibovespa fechou em forte baixa de 7,64%, aos 85.171,13 pontos — no momento de maior tensão, chegou a cair mais de 10%, acionando o circuit breaker pela segunda vez nesta semana. O dólar à vista subiu 1,62%, a R$ 4,7226.

E, por volta de 7h30 desta quinta-feira, o EWZ — principal ETF de ações brasileiras negociado em Nova York, desabava 11,56% no pré-mercado americano,

Ou seja: apertem os cintos. Vem turbulência forte por aí.

BCE trará alívio?

Apesar de toda a tensão envolvendo o fechamento da rota EUA-Europa, o velho continente poderá trazer algum alívio aos mercados. Às 9h45 (de Brasília), o Banco Central Europeu (BCE) divulga sua decisão de política monetária, e os investidores apostam num corte de juros combinado a outras iniciativas de estímulo à atividade.

A ideia é tentar blindar a economia da região aos impactos do coronavírus, que atinge o continente com maior intensidade — a situação é particularmente preocupante na Itália.

Mas, mesmo que o BCE arregace as mangas e anuncie medidas concretas, uma parte dos investidores mostra-se cética quanto à eficácia de medidas de estímulo monetário neste momento. Há o argumento de que, em meio a uma quarentena, não adianta estimular o consumo e a concessão de crédito.

Governo x Congresso

Como se o cenário externo não estivesse suficientemente tenso, o panorama doméstico também traz notícias preocupantes para os mercados. Na noite de ontem, o Congresso derrubou o veto do presidente Jair Bolsonaro e permitiu a ampliação do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Agora, o benefício assistencial será válido para famílias com renda de até R$ 522,50 por pessoa — antes, o limite era de R$ 261,25. Com isso, será gerada uma pressão adicional de cerca de R$ 20 bilhões anuais às contas do governo, medida que pode colocar em risco o teto de gastos.

Há dois desdobramentos preocupantes para os mercados: a ameaça à situação fiscal do país e a deterioração adicional das relações entre governo e Congresso — o que, em última instância, tende a dificultar o avanço das reformas e outras pautas econômicas.

BC entra no jogo

Com a nova disparada do dólar na sessão anterior, o Banco Central (BC) já anunciou que fará um novo leilão no segmento à vista na manhã desta quinta-feira, injetando até US$ 1,5 bilhão em recursos novos no sistema.

No entanto, dada a forte aversão ao risco após o discurso de Trump e a derrota do governo na questão do BPC, a expectativa é a de que o dólar à vista continue fortemente pressionado, mesmo com a atuação da autoridade monetária.

Fique de olho

  • BR Distribuidora reportou lucro líquido de R$ 2,2 bilhões em 2020, queda de 31,2% em relação a 2019
  • Aliansce Sonae fechou o quarto trimestre de 2019 com lucro líquido de R$ 119,76 milhões, alta de 90,8% na base anual; no acumulado do ano, houve queda de 52,6%, para R$ 56,63
  • O lucro líquido societário da Alupar saltou de R$ 30,9 milhões no quarto trimestre de 2018 para R$ 166,3 milhões nos três últimos meses de 2019
  • Enauta (ex-Qgep) teve lucro líquido de R$ 102,1 milhões entre outubro e dezembro de 2019, baixa de 18,5% na base anual.
  • Azul divulgará seus números trimestrais antes da abertura dos mercados
Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

alívio da ásia

Pela 1ª vez desde janeiro, China não registra mortes por covid-19

Foram notificados nesta terça-feira 32 novos casos, todos importados; número total de infectados baixou para 1.242, ontem eram 1.299

acima das estimativas de analistas

Samsung projeta alta de 2,7% no lucro do 1º trimestre

Segundo os especialistas, a mudança global para o trabalho remoto elevou a demanda por chips de memória fabricados pela Samsung que alimentam datacenters e computação em nuvem

fica no cargo

Mandetta diz que fica no cargo e pede ‘paz’ para continuar trabalho

Segundo o ministro, uma reunião desta segunda-feira com o presidente Jair Bolsonaro e outros ministros trouxe mais “união” ao governo

na próxima semana

Senado adia votação da PEC do Orçamento de Guerra para dia 13

Texto sofre resistência por parte de alguns parlamentares e não houve acordo entre os líderes

Ganhando na contramão

Juros, dólar e investimento no exterior: os fundos multimercados que bateram o CDI em março

Um levantamento da consultoria Quantum feito a pedido do Seu Dinheiro mostra que 83 fundos conseguiram superar no mês passado o retorno de 0,34% do CDI, indicador de referência. Saiba como os gestores ganharam dinheiro no meio do furacão

C’est une révolte? Non, Sire, c’est une révolution: A melhor forma de se ter caixa

Como fica seu patrimônio diante de um aprofundamento de um quadro mais negativo? Se a situação mudou, como de fato aconteceu, as nossas carteiras devem mudar também.

IR 2020

Como declarar bitcoin e outras criptomoedas no imposto de renda

Criptoativos podem até não ser regulados, mas isso não quer dizer que seus entusiastas não precisem prestar contas ao Leão. A Receita, como era de se esperar, está de olho…

Recessão à vista

PIB do Brasil deve cair 0,7% em 2020 por coronavírus, diz S&P

S&P Global Ratings prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deve sofrer contração de 0,7% neste ano, com risco de baixa, devido aos impactos econômicos da pandemia de coronavírus

Seu Dinheiro na sua noite

Balança mas não cai?

Caro leitor, Embora a pandemia global de coronavírus ainda esteja longe de ser debelada – pelo menos com os dados e tratamentos que temos até o momento – o mercado começou a semana menos pessimista. Itália, Espanha e o estado de Nova York – três localidades críticas de disseminação da doença – mostraram, no fim […]

Embraer cortada

S&P rebaixa rating da Embraer de BBB para BBB- e mantém nota em observação

S&P diz que, em resposta à pandemia de coronavírus, muitas companhias aéreas devem tentar atrasar novas entregas de aeronaves até pelo menos o fim do terceiro trimestre de 2020, o que deve pressionar o fluxo de caixa e as métricas de crédito da empresa.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements