Menu
2020-04-01T14:09:44-03:00
Julia Wiltgen
Julia Wiltgen
Jornalista formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em Finanças Corporativas e Investment Banking pela Fundação Instituto de Administração (FIA). Trabalhou com produção de reportagem na TV Globo e foi editora de finanças pessoais de Exame.com, na Editora Abril.
Efeitos da quarentena

Fundo imobiliário HSI Malls (HSML11) reduz rendimento de março em mais de 60% em razão do coronavírus

FII distribuirá rendimento próximo de CDI mensal para preservar caixa, uma vez que shoppings da carteira se encontram fechados.

1 de abril de 2020
14:05 - atualizado às 14:09
Consumidores andam em shopping center
Imagem: Shutterstock

O fundo imobiliário de shopping centers HSI Malls (HSML11) reduziu seu rendimento de março, anunciado ontem (31), para R$ 0,22 por cota, equivalente ao CDI menos 22,5%, que seria a alíquota de IR de uma aplicação financeira conservadora de um mês.

Antes, o fundo vinha pagando ao redor de R$ 0,60 por cota todo mês. Ou seja, o pagamento de março representa uma queda de quase 60% no valor distribuído por cota.

Ainda assim, a ideia da gestora e da administradora foi não deixar os cotistas totalmente sem renda, remunerando-lhes o que seria devido se tivessem investido em uma aplicação de renda fixa conservadora. O pagamento será feito no dia 7 de abril.

O corte ocorreu porque os ativos da carteira do fundo - cinco shopping centers localizados em diversas regiões do país - se encontram com as atividades suspensas em cumprimento de ordens do poder público para o combate ao avanço do coronavírus.

Apenas os serviços considerados essenciais, como supermercados, farmácias e operações delivery dos restaurantes, são autorizados a funcionar.

Com isso, as receitas dos fundos que investem em tais imóveis vêm sendo impactadas, uma vez que parte do aluguel recebido pelos fundos advém de um percentual das vendas dos lojistas e receitas com estacionamento, por exemplo.

Preservar caixa

Em Comunicado ao Mercado, a gestora e a administradora do HSML11 disseram o seguinte:

"A Gestora, baseada na análise de cenários do impacto causado pela pandemia de COVID-19 na operação e no resultado dos shoppings do portfólio, entendeu por preservar a posição de caixa dos ativos e reduzir momentaneamente o ritmo de distribuições mantendo, no entanto, um fluxo de liquidez para os investidores do Fundo."

Sendo assim, a opção da gestora e da administradora foi de não pagar inteiramente os rendimentos referentes a março para preservar caixa, uma vez que ainda não se sabe por quanto tempo as operações dos shoppings permanecerão reduzidas e quanto tempo levaria a recuperação das atividades após normalização.

O HSI Malls não foi o único fundo imobiliário de shoppings a reduzir a remuneração referente a março para preservar caixa diante da pandemia de coronavírus. O Vinci Shopping Centers (VISC11) fez o mesmo, e outros fundos suspenderam a remuneração neste mês por completo.

No entanto, os fundos imobiliários são obrigados a distribuir pelo menos 95% dos seus ganhos aos cotistas semestralmente. Assim, os fundos têm prometido que tal obrigação legal será cumprida.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

Sextou com o Ruy

Existe vida na bolsa depois do topo, mas é preciso tomar cuidado com o “tudo ou nada”

O que os gestores vencedores têm de diferente das pessoas comuns é a capacidade de ajustar o portfólio de acordo com as condições de mercado e suas convicções

seu dinheiro na sua noite

Em fevereiro não tem Carnaval

Moro num país tropical, que eu já não sei se é abençoado por Deus, mas que é bonito por natureza. Mas no próximo mês de fevereiro, ao contrário do que diz a canção do Jorge Ben, não tem Carnaval. A festa foi cancelada pela pandemia. Mas tem outro evento muito aguardado, pelo menos para os […]

JOINT VENTURE

Wiz cria corretora de seguros com a distribuidora de veículos Caoa

Nova companhia terá direito de comercializar com exclusividade, na rede de distribuição controlada pela Caoa, produtos e serviços de seguridade por 20 anos

rodovias estaduais

BNDES aprova R$ 3 bi para lote PiPa, maior concessão rodoviária do País

Banco de fomento informou que o empréstimo cobrirá 58% do total de investimentos previstos nos sete primeiros anos de concessão

Fechamento

De novo ele! Risco fiscal não dá trégua e Ibovespa tem queda firme; dólar sobe a R$ 5,36

Lá fora, o dia foi misto, com os investidores pesando o entusiasmo com Biden e a cautela com a situação econômica na Europa

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies