Menu
2020-01-20T18:48:42-03:00
Victor Aguiar
Victor Aguiar
Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e com MBA em Informações Econômico-Financeiras e Mercado de Capitais pelo Instituto Educacional BM&FBovespa e UBS Escola de Negócios. Trabalhou nas principais redações de economia do país, como Bloomberg, Agência CMA, Agência Estado/Broadcast e Valor Econômico.
Perto dos 119 mil pontos

Ibovespa ganha força na reta final, fecha em alta e crava um novo recorde; dólar sobe a R$ 4,18

Após passar boa parte da sessão flutuando perto do zero a zero, o Ibovespa acordou nos últimos minutos e chegou a uma nova máxima histórica, engatando a terceira alta consecutiva. O dólar à vista, por outro lado, teve um dia mais pressionado e subiu a R$ 4,18

20 de janeiro de 2020
18:48
Selo Mercados FECHAMENTO Ibovespa dólar
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

A sessão desta segunda-feira (20) foi bem parada até os 45 minutos do segundo tempo: o Ibovespa passou boa parte do pregão apenas flutuando perto da estabilidade, num dia sem grandes fatores capazes de influenciar o ritmo das negociações.

Também, pudera: as bolsas americanas ficaram fechadas hoje, em comemoração ao dia de Martin Luther King. E, para aumentar ainda mais o marasmo, a agenda econômica doméstica não trouxe nenhum dado relevante neste início de semana.

Tudo levava a crer que o Ibovespa terminaria a sessão sem grandes movimentações. Só que, nos minutos finais, o índice começou a ganhar força, com os investidores puxando as cotações de diversas ações para o alto.

Pouco a pouco, já no leilão de fechamento, o Ibovespa foi renovando os picos do dia — e, de fato, o índice terminou na máxima da sessão, aos 118.861,63 pontos (+0,32%), um novo recorde de encerramento.

Com o desempenho de hoje, o Ibovespa já acumula ganhos de 2,78% em 2020 — o índice saltou 31,58% no ano passado.

Já o dólar à vista teve uma sessão mais pressionada: subiu 0,58%, aos R$ 4,1887, devolvendo quase todo o alívio visto na sexta-feira (17). O real, assim, destoou do exterior — lá fora, a moeda americana ficou praticamente estável em relação às demais divisas de países emergentes.

Dia morno

Sem o referencial dos mercados americanos e em meio à agenda econômica esvaziada, os investidores apenas promoveram ajustes pontuais nas carteiras, sem grandes movimentações na bolsa.

O grande ponto de instabilidade foi o vencimento de opções sobre ações, encerrado às 13h. Segundo a B3, o exercício movimento mais de R$ 12 bilhões, sendo quase R$ 10 bilhões em opções de compra — passado o vencimento, o índice se aproximou da estabilidade.

Durante a manhã, o Ibovespa operou em baixa, em meio às variações geradas pelo exercício. No entanto, uma vez virada essa página, o índice manteve-se perto do zero a zero, ganhando força apenas nos minutos finais da sessão.

Assim, o Ibovespa engatou a terceira alta consecutiva, saindo do patamar dos 116 mil pontos para se aproximar do nível dos 119 mil pontos — e chegar a um novo recorde.

Semana agitada

É importante ressaltar que, no restante da semana, há diversos fatores que podem mexer com o rumo dos mercados, incluindo o Fórum Econômico Mundial e a agenda de dados econômicos — nos próximos dias, serão revelados indicadores de inflação no Brasil e de atividade nos EUA.

Juros estáveis

Apesar da pressão vista no dólar à vista, as curvas de juros apresentaram um viés de estabilidade nesta segunda-feira. O mercado ainda está em dúvida quanto aos próximos passos do BC em relação à Selic — há quem aposte em um novo corte, mas também há quem acredite que a taxa permanecerá estável daqui em diante.

Veja abaixo como ficaram os principais DIs nesta segunda-feira:

  • Janeiro/2021: inalterado em 4,42%;
  • Janeiro/2023: de 5,67% para 5,66%;
  • Janeiro/2025: de 6,38% para 6,39%;
  • Janeiro/2027: de 6,75% para 6,77%.

Relatórios mexem com o mercado

No front corporativo, relatórios de grandes bancos com alterações de recomendação e preço-alvo de algumas ações foram os maiores responsáveis pelas movimentações nos preços dos papéis.

Raia Drogasil ON (RADL3) fechou em alta de 2,97%, a R$ 119,11, após o Credit Suisse elevar a recomendação para os papéis, de 'underperform' (desempenho abaixo da média) para neutro.

A instituição também aumentou o preço-alvo para as ações em 12 meses, de R$ 54,00 para R$ 125,00 — considerando a cotação atual, implica num potencial de ganho de pouco menos de 5%.

Por outro lado, as ações do setor bancário continuaram sob pressão e tiveram mais um dia negativo. Itaú Unibanco PN (ITUB4) caiu 2,03%, Bradesco ON (BBDC3) recuou 1,55%, Bradesco PN (BBDC4) teve perda de 1,95%, Banco do Brasil ON (BBAS3) fechou em queda de 0,64% e as units do Santander Brasil (SANB11) desvalorizaram 0,48%.

O mercado reagiu de maneira cautelosa a um relatório do Bank of America Merill Lynch — a instituição cortou a recomendação para os papéis do Itaú Unibanco e do Bradesco, citando preocupações com o crescimento dos bancos.

Para saber mais sobre os papéis que se destacaram no pregão de hoje, basta acessar esta matéria.

Top 5

Veja abaixo os cinco papéis de melhor desempenho do Ibovespa nesta segunda-feira:

  • B2W ON (BTOW3): +6,20%
  • Metalúrgica Gerdau PN (GOAU4): +4,13%
  • Yduqs ON (YDUQ3): +4,00%
  • Gerdau PN (GGBR4): +3,25%
  • Weg ON (WEGE3): +3,07%

Confira também as cinco maiores baixas do índice no momento:

  • Cielo ON (CIEL3): -2,49%
  • Itaú Unibanco PN (ITUB4): -2,03%
  • Bradesco PN (BBDC4): -1,95%
  • Suzano ON (SUZB3): -1,90%
  • Tim ON (TIMP3): -1,59%

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Agenda de resultados

Em clima de Carnaval, Ambev divulga balanço anual nesta semana; veja o que esperar dos números

Cervejaria tem tudo para entregar resultados mais positivos em 2019, após sofrer com números fracos e a maior concorrência nos últimos anos

Acesso liberado

Os segredos da bolsa: ações para não ficar de ressaca na quarta-feira de cinzas

Enquanto a bolsa está fechada para o Carnaval, fique atento ao desempenho dos ADRs de companhias brasileiras nos EUA — eles darão uma pista importante sobre como será a reabertura das negociações por aqui, na quarta-feira

Clima tenso na política

Bolsonaro ainda não respondeu carta dos governadores, diz Doria

Mandatários estaduais acusam o presidente de dar declarações que ferem a democracia brasileira

Planejando o futuro

3 erros que você deve evitar ao planejar seus investimentos para aposentadoria

Fique de olho pois nesse longo caminho existem algumas ciladas que muita gente acaba caindo

Os movimentos do magnata

Warren Buffett vendeu mais de US$ 800 milhões em ações da Apple no último trimestre. Mas o que isso significa?

Conheça algumas razões para que esse volume de ações da Apple tenha saído das mãos de um dos maiores investidores do mundo

Oportunidade como poucas

‘Brasil tem potencial para ser líder em finanças verdes’, afirma presidente do UBS

Sylvia Coutinho afirma que o país pode conseguir atrair investimentos externos se souber aproveitar essa oportunidade

Produção de biogás

O ‘pré-sal caipira’: a energia que vem da criação de porcos

Dejetos dos suínos se tornaram matéria-prima para a produção de biogás

Climão no governo

Bolsonaro afirma que ‘implodiu’ Inmetro por ‘excesso de zelo’ em regra para táxis

Conflito acabou levando para a demissão da presidente do órgão, Angela Flores

IPOs no radar

Com impulso de médias empresas, bolsa pode movimentar R$ 200 bilhões

Marcas conhecidas e empresas regionais estão buscando assessoria financeira ou até já protocolaram pedido para o IPO

Epidemia mundial

Número de infectados por coronavírus no mundo passa de 78,5 mil

Do total, 77.027 foram diagnosticados somente na China

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements