Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2020-02-14T15:14:25-03:00
Estadão Conteúdo
Operação investiga bancos

PF mira ‘bancos piratas’ na Operação Arca da Aliança

Ação investiga empresas suspeitas de operar instituição financeira sem autorização do Banco Central

14 de fevereiro de 2020
15:14
Polícia Federal PF
Polícia Federal - Imagem: Divulgação

A Polícia Federal desencadeou na manhã desta sexta, 14, a Operação Arca da Aliança para investigar empresas suspeitas de operar instituição financeira sem autorização do Banco Central. A ação contra os "bancos piratas" apura ainda os crimes de associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Agentes cumprem dez mandados de busca e apreensão em São Paulo e no Rio de Janeiro.

As ordens foram expedidas pela 10ª Vara Criminal Federal de São Paulo, que determinou ainda o bloqueio de cerca de R$ 20 milhões nas contas dos investigados.

Segundo a PF, foi apurado que duas empresas - sob pretexto de oferecer os serviços de concessão de empréstimos para pessoa física, crédito consignado, portabilidade de crédito e consultoria financeira - captam recursos de terceiros, mediante promessa de aplicação do valor no mercado financeiro e devolução acrescida de rentabilidade atrativa.

Os clientes são, em regra, servidores públicos federais, civis e militares, "preferencialmente com margem consignável elevada".

Para viabilizar os investimentos oferecidos, os investigados contrataram empréstimos consignados, diz a PF. Para isso, "usam indevidamente as credenciais fornecidas por instituições financeiras aos seus correspondentes bancários".

De acordo com a corporação, uma das empresas atua desde abril de 2018 em São Paulo e é filial de uma companhia sediada no Rio. Ambas as empresas captaram recursos de pessoas físicas no valor total de R$ 20.203.610,46.

Já uma outra empresa sediada em São Paulo começou a operar em agosto de 2019 e, em menos de dois meses de funcionamento, captou R$ 2.133.454,42 de pessoas físicas.

Segundo as investigações, uma sociedade limitada no Rio de Janeiro controla as duas empresas de São Paulo. A companhia fluminense cria diversas pequenas empresas individuais de responsabilidade limitada em nome de "laranjas" , geralmente consultores de vendas, supervisores ou gerentes que se destacaram na "venda" dos "produtos", diz a PF.

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

Tendências da bolsa

AGORA: Ibovespa futuro avança mais de 1% puxado pelo exterior e dólar abre estável

Os investidores permanecem de olho na votação da PEC dos precatórios, marcada para esta terça-feira (30)

O melhor do Seu Dinheiro

Onde investir o décimo terceiro, o avanço da ômicron, a disputa pela Latam e outros destaques do dia

A tão aguardada gratificação criada no governo de João Goulart cai na conta em duas parcelas, sendo a primeira até amanhã

De olho na bolsa

Esquenta dos mercados: mundo monitora avanço da variante ômicron da covid-19 em semana de Livro Bege e PIB brasileiro

Além disso, os contornos da disputa política de 2022 começam a ficar mais claros com a entrada de mais candidatos ao pleito

OMS ALERTA

Variante Ômicron representa risco global ‘muito elevado’ e é provável que se espalhe

OMS emitiu hoje um informe técnico sobre a cepa do coronavírus causador da covid-19 recentemente descoberta na África do Sul

MULTIFACETADO

‘Genial e visionário’: Virgil Abloh, diretor artístico da Louis Vuitton, morre aos 41 anos depois de luta contra forma rara de câncer

Estilista norte-americano ganhou notoriedade como diretor criativo do rapper Kanye West e fez história na LVMH

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies