Menu
2019-04-03T17:53:47-03:00
Após tragédia em Brumadinho

Vale já perdeu R$ 70,6 bilhões em valor de mercado

Um dia antes do rompimento da barragem, o valor de mercado da Vale era de R$ 289,7 bilhões, caindo para R$ 219,1 bilhões nessa quarta-feira, 6

7 de fevereiro de 2019
8:36 - atualizado às 17:53
Diretor-Presidente da Vale, Fabio Schvartsman, sobrevoa Brumadinho após rompimento de barragem
Diretor-Presidente da Vale, Fabio Schvartsman, sobrevoa Brumadinho após rompimento de barragem - Imagem: Divulgação/Vale

Com a queda de quase 5% na ação registrada nesta quarta-feira, 6, a Vale já perdeu R$ 70,6 bilhões em valor de mercado desde o acidente da mina de Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), ocorrido no dia 25 de janeiro.

Um dia antes do rompimento da barragem, o valor de mercado da Vale era de R$ 289,7 bilhões, caindo para R$ 219,1 bilhões nesta quarta.

De acordo com um analista, que pediu para não ser identificado, o cancelamento da autorização provisória que a mineradora tinha para operar a barragem de Laranjeiras e a decisão do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região (TRF1) de negar o pedido da Vale para retomar as operações da mina de níquel Onça Puma, no Pará, reforçam a visão de maior incerteza em relação à mineradora.

A unidade de Onça Puma respondeu por 11% da produção de níquel da Vale entre janeiro e setembro de 2018, enquanto a paralisação de Brucutu poderá tirar do mercado 30 milhões de toneladas de minério de ferro, que vão se somar aos 40 milhões que também não serão produzidos este ano nas minas de Minas Gerais, cujas barragens foram fechadas pela Vale depois da tragédia.

Segundo o analista da Mirae Corretora Pedro Galdi, o mercado começa a somar todas as notícias negativas para a mineradora, que ainda poderá ser castigada pelos investidores estrangeiros. Geralmente, lembra Galdi, esses investidores costumam entrar na justiça americana pedindo ressarcimento das perdas quando a empresa tem culpa da queda do valor das ações.

"A primeira queda das ações (dia 28/2) foi exagerada e o mercado foi corrigindo aos poucos, mas quando começaram a sair o número de mortos (de Brumadinho), rebaixaram o rating, e as várias notícias negativas como as de hoje, o papel foi perdendo o valor", explicou Galdi, que coloca também na "lista negativa" as multas que vem sendo anunciadas.

Para analistas, do ponto de vista da produção, a companhia poderá compensar a redução com mudanças nas estratégias. No caso do minério de ferro, avaliam que há espaço para aproveitar a produção de Carajás, no sistema Norte.

A decisão judicial que paralisou a mina de Brucutu, porém, é apontada como fator de incerteza. "A barragem de Brucutu é completamente diferente da que rompeu. Mesmo assim, a Justiça decidiu parar", destacou o representante de uma das principais casas de análise sobre a mineradora.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Contas analisadas

CMN aprova balanço do Banco Central no 2º semestre de 2019, com lucro de R$ 64,5 bilhões

Com os R$ 21,04 bilhões de lucro no primeiro semestre, o resultado total do ano para a instituição em 2019 foi de R$ 85,57 bilhões

Novidade na área

Caixa confirma parceria om Visa em cartões

Acordo marca o primeiro negócio fechado pelo banco público para constituir um braço de meios de pagamentos

Ano trágico

Vale tem prejuízo de US$ 1,7 bilhão em 2019; provisões e despesas por Brumadinho chegam a US$ 7,4 bilhões

A Vale fechou 2019 com um prejuízo bilionário, fortemente pressionada pelas provisões relacionadas ao rompimento da barragem em Brumadinho — efeitos que superaram em muito os ganhos relacionados à valorização do minério de ferro no ano

Gigante do varejo

Carrefour registra lucro líquido a controladores de R$ 636 milhões no 4º trimestre de 2019

Resultado representa uma alta de quase 20% na comparação com o mesmo período do ano anterior

Adiou de vez

Bolsonaro confirma envio de reforma administrativa só depois do carnaval

Presidente disse que a reforma administrativa está “madura”, embora ainda não esteja pronta

Na ponta do lápis

Vale, SulAmérica, Carrefour e B2W: os balanços que movimentam o mercado no pré-Carnaval

Na maratona de balanços anuais de 2019, novos peso-pesados do mercado anunciaram seus números

Retorno maior com juro baixo

Menos liquidez, mais diversificação: como os clientes ricos do Itaú andam investindo

Com juro baixo, clientes private do Itaú vêm reduzindo alocação em renda fixa pós-fixada e migrando para ativos com mais risco de mercado ou liquidez, como ações, multimercados e investimentos de baixa liquidez.

Seu Dinheiro na sua noite

Hoje tem recorde do dólar?

Tem, sim senhor. Em mais um dia sem a presença do Banco Central no mercado, a moeda do país de Donald Trump tirou tinta dos R$ 4,40, mas perdeu um pouco de força e fechou aos R$ 4,391, alta de 0,60%. A alta recente do dólar, um movimento que na verdade começou lá em agosto […]

Sem alívio

Mais uma sessão, mais um recorde: dólar segue em alta e chega pela primeira vez aos R$ 4,39

O mercado de câmbio continuou pressionado pelo coronavírus e pela fraqueza da economia doméstica. Nesse cenário, o dólar à vista ficou a um triz de bater os R$ 4,40, enquanto o Ibovespa caiu mais de 1% e voltou aos 114 mil pontos

Ele fica

Ministro chama de ‘maior mentira’ história de pedido de saída de Guedes

Ruído sobre eventual saída do titular da Economia do governo se espalhou pelos mercados nesta semana

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements