Menu
2019-03-26T11:59:38-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Antes do balanço

Após Brumadinho, Vale registra queda de 92,8 milhões de toneladas em sua produção

Produção de pelotas também foi impactada em 11 milhões de toneladas, representando 20% da produção anual. Números relativo ao minério de ferro teve crescimento de 4,9% no ano.

26 de março de 2019
11:44 - atualizado às 11:59
A mineradora Vale
Imagem: Shutterstock

A Vale divulgou o seu primeiro relatório de produção após o rompimento da barragem de Brumadinho, em janeiro. Em documento liberado hoje (26), a empresa estimou o impacto de 92,8 milhões de toneladas na produção anualizada de minério de ferro. O balanço da mineradora deve ser divulgado nesta quarta-feira (27).

No detalhamento, a empresa quantifica as perdas, sendo 40 milhões referentes aos complexos de Vargem Grande, Fábrica e da mina Córrego do Feijão, 30 milhões de toneladas da mina de Brucutu, 12 milhões da mina de Timbopeba e 10 milhões de toneladas referentes a mina Alegria.

A produção de pelotas também foi impactada em 11 milhões de toneladas após a paralisação das plantas de Fábrica e Vargem Grande, totalizando 20% da produção anual.

Produção do quarto trimestre

A companhia adiantou os números referentes a sua produção e volume de vendas no 4º trimestre de 2018. Minério de ferro totalizou 101,0 milhões de toneladas no 4º trimestre, fechando o ano com o total de 384,6 milhões de toneladas em 2018. A produção do trimestre ficou 3,8% abaixo do apresentado no período anterior, mas fechou o ano com um crescimento de 4,9% no comparativo com 2017.

A produção trimestral de pelotas ficou em linha com as estimativas, totalizando 15,8 milhões de toneladas. No anual, a produção foi de 55,3 Mt , com crescimento de 9,9% relativo ao ano anterior. Manganês cresceu 2,7% com relação ao  terceiro trimestre, mas apresentou queda de 15,7% no anualizado.

A produção de carvão caiu 2,7% com relação ao 3º trimestre de 2018, mas apresentou um crescimento de 20,7% ante ao mesmo período do ano passado. O crescimento anual foi de 3,1%.  Com queda de 9,8% com relação a 2017, o cobre teve um crescimento de produção de 16,2% comparado ao 3º trimestre de 2018. O negócio de níquel passou por um processo de transição, totalizando uma produção de 244,6 toneladas em 2018, 15,1% menor do que em 2017.

Ouro, cobalto e cobre também apresentaram quedas na comparação anualizada com 2017, com queda de 1,6%, 12,4% e 9,8%, respectivamente.

Quanto ao volume de vendas, finos de minério de ferro e de pelotas totalizaram 96,5 milhões de toneladas no 4º trimestre. O volume de vendas de minério de ferro ficou 4,1% abaixo do apresentado no terceiro trimestre pela adiamento de vendas para fins de otimização de margem no 1º trimestre de 2019, mas fechou 2018 com um volume de 308,9 milhões de toneladas. Venda de pelotas teve crescimento de 12,2% em comparação ao período anterior. Os produtos premium representaram 84% do total das vendas do 4º trimestre e 82% na média anualizada.

 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

MAIS PERTO DO CÉU

Ibovespa segue flertando com topo histórico, mas manter ‘otimismo cauteloso’ nunca é demais

Em dia de agenda fraca e exterior positivo, CPI da pandemia é o principal risco de água no chopp da B3

Como era verde o meu Vale: ainda vale a pena ter ações da mineradora após a disparada recente?

Vivemos um “novo ciclo das commodities”, com minério de ferro e carvão batendo sucessivas máximas. E a Vale ainda pode se beneficiar deste momento

IR 2021

Imposto de Renda: Como declarar bens e rendimentos comuns do casal?

A repórter Julia Wiltgen conversou com o advogado tributarista Samir Choaib e respondeu às principais dúvidas dos leitores do Seu Dinheiro

pandemia

Covid-19: mortes sobem para 436,5 mil, e casos chegam a 15,6 milhões

Nas últimas 24 horas, foram registrados 786 novos óbitos

na expectativa

Privatização da Eletrobras é necessária para consumidor, diz ministro

Para ele, capitalização da Eletrobras vai permitir que metade da outorga dela vá para aquela parte da tarifa de energia elétrica que são os tributos, os subsídios e também a parte que engloba toda a parte tributária

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies