Menu
2019-03-22T14:31:59-03:00
Estadão Conteúdo
Rede dividida

Reforma da Previdência cria “guerra” de hashtags no twitter

Em São Paulo, paralisação de cobradores e motoristas atingiu mais de um milhão de pessoas na manhã desta sexta-feira. Um protesto está marcado para acontecer às 17 horas

22 de março de 2019
14:22 - atualizado às 14:31
Aplicativo do Twitter
Imagem: shutterstock

A proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo é objeto de debate nesta sexta-feira, 22, no Twitter brasileiro. As duas principais hashtags dizem respeito à reforma previdenciária, opondo apoiadores e detratores da proposta; a #LutePelaSuaAposentadoria está em destaque no dia em que sindicatos e associações de trabalhadores fazem manifestações contra a reforma.

Uma paralisação de motoristas e cobradores de ônibus ocorrida na manhã desta sexta em São Paulo afetou cerca de um milhão de pessoas, segundo a prefeitura. Um protesto ainda está marcado para acontecer na cidade às 17 horas, na Avenida Paulista.

Apoiadores da reforma sobem a #EuApoioNovaPrevidência, em resposta às manifestações dos sindicatos. No entanto, poucos parlamentares e líderes partidários têm feito a defesa da proposta de reforma.

Dos raros deputados a tuitarem pela proposta, estão Vinicius Poit (Novo-SP) e Alexis Fonteyne (Novo-SP).

Para Poit, "um dos grandes desafios na Nova Previdência é lutar contra a desinformação". Alexis declarou apoio à reforma previdenciária argumentando que "não restam dúvidas que o país está caminhando para a insolvência" e incentivando usuários do Twitter a fazerem uma campanha de esclarecimento sobre a reforma usando a hashtag #PergunteSobrePrevidencia.

Além dos parlamentares do Novo, encampam o apoio virtual à proposta do governo o Movimento Brasil Livre (MBL) e o ex-candidato à Presidência da República, também pelo Novo, João Amoêdo.

A mobilização virtual contra a reforma está bem mais fortalecida entre os parlamentares entusiastas das redes sociais e une deputados e senadores de PT, PSOL, PCdoB e Podemos.

O deputado Enio Verri (PT-PR) tuitou dizendo que a reforma da Previdência é "contra pobres" e tem o objetivo de enriquecer os bancos.

A opinião é compartilhada pelo correligionário gaúcho Henrique Fontana, que diz que "Bolsonaro é um fantoche da turma do mercado financeiro e essa gente não se importa com Constituição, direitos, bem-estar social".

Deputado pelo Podemos da Bahia, Bacelar tuitou que a "reforma da Previdência reduzirá valor da aposentadoria".

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

O melhor do Seu Dinheiro

Lições de investimentos do Professor Polvo, balanços e outros destaques do dia

O cineasta Craig Foster teve uma ideia inusitada. Mergulhar todos os dias para acompanhar a vida de um polvo em uma floresta aquática de algas no litoral da África do Sul. Você pode conferir o resultado dessa aproximação que rendeu uma comovente “amizade” no documentário Professor Polvo, o vencedor do Oscar deste ano, que está disponível […]

Payroll

Payroll indica emprego mais fraco que o esperado nos EUA e reduz pressão por alta de juros

O relatório de emprego (payroll) mostrou a geração de 266 mil novos postos de trabalho em abril, bem abaixo da expectativa de 1 milhão do mercado

NA CARA DO GOL

Ibovespa tem nova chance de voltar aos 120 mil pontos; será que agora vai?

Enquanto agenda de balanços perde força, investidores voltam suas atenções para o payroll, o IGP-DI e as vendas no varejo

IR 2021

Imposto de Renda: Qual CNPJ informar para declaração de fundos imobiliários?

A repórter Julia Wiltgen conversou com o advogado tributarista Samir Choaib e respondeu às principais dúvidas dos leitores do Seu Dinheiro

pandemia

Covid-19: Brasil tem mais de 15 milhões de casos acumulados

Total de vidas perdidas para a pandemia subiu para 416.949, segundo o Ministério da Saúde

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies