Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-28T09:53:18-03:00
Estadão Conteúdo
Mais uma conta digital na área

Stone lança conta digital de olho em pequena empresa

Oficialmente, o produto é uma conta de pagamentos – o que dispensa a necessidade de a Stone atuar com auxílio de um correspondente bancário, algo comum entre as fintechs brasileiras

28 de outubro de 2019
9:53
Montagem de maquininha da Stone em cima de uma mesa vista de cima
Imagem: Montagem Andrei Morais/Divulgação/Shutterstock

A empresa brasileira de pagamentos Stone vai se lançar numa nova área de serviços financeiros: a partir desta segunda-feira, a fintech vai oferecer uma conta digital aos clientes que já utilizam sua máquina de cartões. Desenvolvida há dois anos pela companhia fundada pelo carioca André Street, a iniciativa pretende atrair as pequenas e médias empresas e fidelizar os consumidores em torno das soluções da companhia.

"A vida do lojista é um pesadelo, passando o dia todo falando com muitas pontas. Queremos facilitar", disse Augusto Lins, presidente da Stone. Como tem se tornado padrão recentemente, a conta digital da Stone chega ao mercado sem cobrança de tarifas mensais.

Oficialmente, o produto é uma conta de pagamentos - o que dispensa a necessidade de a Stone atuar com auxílio de um correspondente bancário, algo comum entre as fintechs brasileiras. Para requisitar a conta, o cliente deve baixar o aplicativo da empresa e fazer seu cadastro. Como a fintech já possui dados do lojista, a expectativa é que a aprovação aconteça em minutos. O atendimento da conta também poderá ser feito via app ou com a ida de um agente da empresa até o estabelecimento do cliente. "Ninguém tem tempo de ir até a agência. Vamos fazer o caminho contrário", diz Lins.

Por meio do serviço, o cliente poderá realizar transferências entre bancos (TEDs), registrar a folha de pagamento, pagar boletos e tributos, além de transferências internas para outras contas Stone e portabilidade salarial para funcionários.

Ao contrário do que oferecem alguns rivais, porém, a Stone não terá TEDs gratuitos - cada transação custará R$ 4, informou a fintech. Para os próximos meses, a previsão é de que o empreendedor possa também emitir boletos.

Previsão

O principal diferencial da conta, acredita Lins, porém, será o controle dos recebíveis. Com auxílio de seu sistema de pagamentos, a Stone vai oferecer ao cliente uma visualização simples para saber quando vai receber valores vindos de cartões de débito, crédito ou vales-refeição e alimentação, cada um com prazos diferenciados de depósito na conta do empreendedor ou empresário. "O lojista nunca sabe exatamente quando vai ter dinheiro. Queremos organizar de forma fácil aquele monte de papéis e comprovantes", diz o executivo.

Aos clientes que desejarem, a Stone também vai oferecer um cartão de crédito pré-pago gratuito e sem anuidade, em parceria com a Mastercard. Segundo Lins, a proposta da Stone não é, neste primeiro momento, faturar com o serviço. "Se o cliente entender que o atendimento é bom, ele não vai embora."

Na visão de Edson Santos, consultor e especialista em pagamentos, a estratégia da Stone é simples: oferecer cada vez mais serviços para o lojista, de forma que ele não consiga trocar a empresa por uma rival. "Com a redução de taxas, os líderes do mercado transformaram o setor de pagamentos em commodity, enquanto uma empresa mais nova, como a Stone, tem de trazer serviços de valor agregado", afirma. Para o especialista, é bem possível que, no futuro, processar pagamentos seja só "um pedacinho do que a Stone quer ser".

Para Guilherme Horn, consultor da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), oferecer uma conta digital é "um passo natural" para a Stone, uma vez que rivais como a PagSeguro também já têm esse tipo de oferta. "Ter uma conta digital é uma forma de garantir que ela não vai perder clientes, garantir sua fatia de mercado", afirma. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

sinal verde

Câmara aprova texto-base de projeto que abre caminho para venda dos Correios; veja os próximos passos para a privatização

Aprovação do projeto representa uma vitória para a agenda de privatizações do governo Bolsonaro, mas acontece sob críticas da oposição

no prelo

Biografia: autor de livro sobre Steve Jobs escreverá sobre Elon Musk

Segundo o bilionário, o autor Walter Isaacson o seguiu por vários dias para recolher material para o novo livro

ONDE INVESTIR EM AGOSTO

Onde investir em agosto de 2021: ações de tecnologia, o coração do bitcoin e um combo de ‘retorno absoluto’; veja recomendações

O CIO da Vitreo, Jojo Wachsmann, separou as três melhores pedidas para investidores no mês de agosto; Confira

fique por dentro

Selic hoje está em 5,25% ao ano; entenda em 5 pontos a alta dos juros

Banco Central está subindo a taxa básica de juros a quatro reuniões; a autoridade monetária já contratou mais um ajuste; entenda as razões e como ela afeta sua vida

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies