Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-10-12T11:01:54-03:00
Estadão Conteúdo
MAIS UMA OPÇÃO

Volvo avalia produzir modelo de caminhão elétrico no Brasil

A versão FL tem capacidade para até 16 toneladas de carga e a FE para até 27 toneladas para uso na distribuição de produtos e coleta de lixo

12 de outubro de 2019
11:01
Reprodução/Volvo
Volvo FL, da Volkswagen -

A Volvo iniciou neste ano na Europa as vendas do caminhão FL elétrico, e já avalia a possibilidade de produção do veículo no Brasil, segundo maior mercado da marca sueca, atrás dos EUA.

Em visita ao País para participar do Salão do Transporte Rodoviário de Carga (Fenatran), que ocorre em São Paulo, o presidente mundial do Grupo Volvo, Martin Lundstedt, afirmou que o produto será o mesmo da Europa, mas com desenvolvimento local para atender particularidades do mercado brasileiro.

"Vamos intensificar as vendas do elétrico (na Europa) em 2020 e, quando acharmos que é o momento, vamos ter produção local", disse. A versão FL tem capacidade para até 16 toneladas de carga e a FE para até 27 toneladas para uso na distribuição de produtos e coleta de lixo.

Os veículos semipesados da Volvo não vão disputar mercado com os da Volkswagen Caminhões, que serão produzidos em Resende (RJ) a partir do próximo ano e terão capacidade menor, de até 13 toneladas.

Outra marca que disputará mercado, mas na categoria semileve, é o JAC iEV1200T, previsto para ser importado da China a partir de novembro.

Lundstedt afirmou estar otimista com a recuperação das vendas no País, o que colocou a subsidiária brasileira novamente na segunda posição entre os maiores mercados da marca. No pior momento da crise econômica, entre 2016 e 2017, o Brasil ficou em sexto lugar.

De janeiro a setembro, o mercado total de caminhões cresceu 40% ante a igual período de 2018, para 74,2 mil unidades. A Volvo, que atua só no segmentos de semipesados e pesados, cresceu 55%, para 11,6 mil unidades. O maior mercado da marca, os EUA, teve vendas de cerca de 30 mil caminhões da marca.

Autônomos

Outra grande aposta da Volvo, o caminhão autônomo, também avança na Europa com o início de testes do Vera, modelo que tem nível 4 de automação (não tem volantes e nem pedais). O modelo está em operação em um porto na Suécia.

A empresa também desenvolveu o FH com nível 2 de autonomia (faz parte do trajeto sem interferência do motorista, mas ele fica na cabine). Essa versão está em uso em minas na Noruega e, segundo Lundstedt, "tem elevado potencial para ser usado pela indústria da mineração no Brasil".

Desde 2017, a filial brasileira iniciou vendas do caminhão VM autônomo também nível 2, desenvolvido no País, para operar em lavouras de cana-de-açúcar. Foram vendidas sete unidades.

A Mercedes-Benz tem dois modelos autônomos operando no recolhimento da cana, o Axor (22 unidades vendidas), e o Atego, que estará disponível para test drive na Fenatran, que ocorre entre os dias 14 e 18 (com apresentações à imprensa amanhã). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Privatização dos correios

Câmara dá início à sessão que discute privatização dos Correios; acompanhe

A venda da estatal está prevista no Projeto de Lei 591/21, do Poder Executivo; a proposta permite a transformação dos Correios em empresa de economia mista

Alta (segura) dos papéis

Parceria com o Grupo Caoa faz ações da seguradora Wiz (WIZS3) subirem mais de 5%; confira detalhes do acordo

A empresa celebrou uma parceria comercial contratual com prazo de vigência de 12 meses com a Caoa Corretora de Seguros, por meio de sua controlada Wiz Conseg

Primeiro dia

Ação da Raízen (RAIZ4) estreia na bolsa em alta de mais de 1%

Pouco depois da abertura, porém, papel retornou para a faixa de preço do IPO; maior abertura de capital do ano na B3 movimentou R$ 6,9 bilhões

Depois dos resultados, a bonança

Opções de Petrobras disparam até 540% em 1 dia com lucro e dividendo bilionários

O lucro acima do esperado pelo mercado no segundo trimestre deste ano e a antecipação de R$ 31,6 bilhões em dividendos animaram a bolsa

Deixa para outra hora!

Mudança de planos: instabilidade no mercado faz Athena desistir de IPO bilionário; saiba os detalhes

Em maio, a companhia de saúde já havia pedido a suspensão do IPO por 60 dias, por conta da volatilidade alta do mercado. Na última quarta-feira, 04, oficializou a desistência do pedido de registro de oferta pública

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies