Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-11-04T12:04:03-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Dívida

Tesouro anuncia captação no mercado internacional

Será emitido um novo título de 30 anos com vencimento em 2050, além de novas emissões de títulos de 10 anos

4 de novembro de 2019
11:18 - atualizado às 12:04
Martelo de juiz e dólares
Imagem: Shutterstock

O Tesouro Nacional anunciou operações de emissão e recompra de títulos da dívida denominados em dólares. O objetivo da operação “é melhorar a eficiência e consolidar benchmarks da curva denominada em dólares”.

As captações não visam comprar dólares para gerenciamento da dívida, mas sim servir de ponto de referência para empresas privadas também acessarem o mercado. O Tesouro também faz as operações para melhorar gerenciar o perfil da dívida, alongando prazos e reduzindo custos.

Na operação anunciada nesta segunda-feira, será emitido um novo título de 30 anos com vencimento em 14 de janeiro de 2050, o Global 2050. Além disso, haverá nova emissão do título de 10 anos já existente, o Global 2029, que tem vencimento em 30 de maio de 2029.

Também serão realizadas operações de recompra de títulos com vencimentos entre 2027 e 2047 (veja quadro abaixo).

A operação é liderada pelos bancos BNP Paribas, Citibank e Goldman Sachs. Os títulos serão emitidos no mercado global e o resultado será divulgado no fim do dia.

A última emissão externa tinha ocorrido no fim de março, com o lançamento do Global 2029. O papel saiu com taxa de 4,7% ao ano e spread de 215,8 pontos sobre o título americano de 10 anos. Foi a menor taxa desde a perda do grau de investimento.

Comentários
Leia também
Um self service diferente

Como ganhar uma ‘gorjeta’ da sua corretora

A Pi devolve o valor economizado com comissões de autônomos na forma de Pontos Pi. Você pode trocar pelo que quiser, inclusive, dinheiro

Fusão cheia de travas

Na Omega Geração (OMGE3), um grupo importante de acionistas está descontente — e quer barrar os planos da empresa

Fundos detentores de 28,6% da Omega Geração (OMGE3) se uniram e dizem que não vão aprovar a fusão com a Omega Distribuição nos termos atuais

Potencial de 36% de alta

Como fica a XP após a separação do Itaú? Para o JP Morgan, é hora de comprar as ações da corretora

A equipe do JP Morgan vê as pressões vendedoras nas ações da XP após a separação com o Itaú se dissipando; assim, a recomendação é de compra

Digitalização

A hora e a vez do e-commerce: com pandemia, comércio online mais que dobra e já chega a 21% das vendas do varejo

O fechamento das lojas físicas promovido pela pandemia fez o setor de varejo acelerar a aposta no e-commerce e nas vendas digitais

A bolsa como ela é

Stone, Inter e Méliuz caem forte na bolsa. É o fim das fintechs como as conhecemos?

Muito desse movimento tem a ver com a subida dos juros. Mas alguns fatores específicos também pesaram sobre as ações. Em alguns casos, pesaram com razão; em outros, nem tanto

Ajuste seu relógio

Pregão terá uma hora a mais a partir de novembro; entenda a mudança e veja a nova agenda da bolsa

As alterações começam a valer a partir do dia 8 de novembro; a B3 vai ajustar a bolsa para refletir o fim do horário de verão nos EUA

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies