Menu
2019-07-09T22:43:06-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Começou!

‘Teremos uma longa noite’, diz Maia

Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, disse que vai levar adiante a discussão da reforma da Previdência, mesmo que a sessão entre pela madrugada

9 de julho de 2019
21:39 - atualizado às 22:43
Maia Previdência
Imagem: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na noite desta terça-feira, 9, que pretende levar adiante a discussão da reforma da Previdência no plenário da Casa, mesmo que a sessão entre pela madrugada.

Maia não falou em votação do texto-base ainda nesta noite, mas prometeu levar a discussão da PEC até o final.

"Teremos uma longa noite. Vamos até o fim da discussão da Previdência, pelo menos. Pelas minhas contas, isso será às 2h da manhã", afirmou há pouco no Plenário.

A discussão em torno da Previdência começou por volta 20h50. Até então, os deputados debatiam e votaram o texto-base que trata das vaquejadas. Nesse meio tempo, Maia e demais líderes partidários faziam articulações em torno do texto.

A oposição já obstrui os trabalhos, conforme disse que faria, e apresenta requerimentos para retirada da matéria de pauta e levanta questões de ordem e outras demandas. O primeiro requerimento de retirada de pauta foi derrubado por volta das 22h30, por 331 a 117, dando ideia do que seria a margem favorável ao texto.

De acordo com Maia, em meio a debate sobre questão de ordem, há benefícios no texto, daqueles que ganham muito, como servidores do regime próprio. Maia sugeriu a deputado do PSB que atacou o texto, que apresentasse emenda para que servidores públicos se aposentassem como todos os demais, aos 65 anos.

O texto que está em discussão é o substitutivo do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) aprovado na Comissão Especial.

A proposta precisa de 308 votos em dois turnos. Será votado primeiro o texto-base, depois o plenário da Câmara terá de enfrentar os destaques, que são tentativas de modificar o texto. As contas do governo oscilam entre 320 a 340 votos.

Já foi fechado acordo com a bancada feminina tratando de condições diferenciadas na regra de transição, para que as mulheres que passem mais tempo na ativa possam ter reajuste no cálculo do benefício a partir de 15 anos de contribuição.

Na versão atual do texto, o aumento de 2 pontos percentuais ao ano para o valor da aposentadoria ir de 60% da média para 100% só será contabilizado a partir dos 20 anos de contribuição.

Outra emenda apresentada, essa pelo partido Novo, pretende reincluir Estados e municípios na reforma. Haverá tentativa, também, de retirar professores da reforma. A questão envolvendo regras diferenciadas para policiais, que vinha sendo defendida pelo governo e pelo presidente Jair Bolsonaro, parece ter sido superada.

Tratorar a oposição

Mais cedo, a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselman (PSL-SP), afirmou que ainda estava sendo construído acordo sobre o procedimento de votação da reforma.

Após a oposição rejeitar acordo proposto pelo governo para não obstruir e votar o texto só amanhã, Hasselman afirmou que os partidos que apoiam a reforma vão “tratorar e vencer a obstrução da oposição”.

“A gente tem que ter os partidos alinhados para votação. Alguns querem iniciar a votação hoje, outros querem iniciar amanhã. Então, é isso que estamos construindo, vamos aguardar um quórum bom, vencer a obstrução e colocar em votação. Eu gostaria de colocar ainda hoje, nem que seja de madrugada”, disse a líder.

*Com Estadão Conteúdo e Agência Câmara Notícias

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

Em baixa

Índice alemão IFO de sentimento das empresas sobe levemente em fevereiro

Resultado surpreendeu negativamente analistas consultados pelo The Wall Street Journal

Tensão no exterior

Surto de coronavírus na Itália gera pânico e faz as bolsas globais despencarem

A aversão ao risco toma conta dos mercados globais nesta segunda-feira, em resposta à chegada do coronavírus à Europa. As bolsas do velho continente despencam e os futuros de NY caem forte

Hora de mudar

Doria diz que Brasil deve se reposicionar sobre política ambiental

Governador paulista vê risco de o país ficar cada vez mais fora da mira dos investidores internacionais

Dinheiro no bolso

Bancos distribuem R$ 52 bilhões em dividendos a seus acionistas em 2019

Para este ano, porém, o valor dos dividendos pode ser menor por conta do menor volume de crédito fornecido pelos grandes bancos

Surto mundial

Aústria interrompe tráfego de trens para a Itália por receio do coronavírus

Casos italianos da doença aumentaram para pelo menos 152, o maior número fora da Ásia

Agenda de resultados

Em clima de Carnaval, Ambev divulga balanço anual nesta semana; veja o que esperar dos números

Cervejaria tem tudo para entregar resultados mais positivos em 2019, após sofrer com números fracos e a maior concorrência nos últimos anos

Acesso liberado

Os segredos da bolsa: ações para não ficar de ressaca na quarta-feira de cinzas

Enquanto a bolsa está fechada para o Carnaval, fique atento ao desempenho dos ADRs de companhias brasileiras nos EUA — eles darão uma pista importante sobre como será a reabertura das negociações por aqui, na quarta-feira

Clima tenso na política

Bolsonaro ainda não respondeu carta dos governadores, diz Doria

Mandatários estaduais acusam o presidente de dar declarações que ferem a democracia brasileira

Planejando o futuro

3 erros que você deve evitar ao planejar seus investimentos para aposentadoria

Fique de olho pois nesse longo caminho existem algumas ciladas que muita gente acaba caindo

Os movimentos do magnata

Warren Buffett vendeu mais de US$ 800 milhões em ações da Apple no último trimestre. Mas o que isso significa?

Conheça algumas razões para que esse volume de ações da Apple tenha saído das mãos de um dos maiores investidores do mundo

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements