Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
2019-09-17T19:44:58-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Sobre a bolsa, datas e fatos relevantes

17 de setembro de 2019
19:44
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

No dia 17 de setembro de 2010, o Ibovespa fechou aos 67.089 pontos, em queda de 0,85%. Me arrisco a dizer que nada muito digno de nota tenha acontecido nesse pregão específico da bolsa. Mas para mim ocorreu um fato mais do que relevante: o nascimento da minha filha mais nova.

Voltei à redação dias depois no olho do furacão do fechamento da megacapitalização de R$ 120 bilhões da Petrobras. E na manhã seguinte estava na sede da B3 (então BM&FBovespa) para acompanhar o evento de lançamento das ações, que contou com um emocionado discurso do ex-presidente Lula.

Naquela época, jamais poderia imaginar que o principal índice da bolsa levaria quase nove anos para cruzar a marca histórica dos 100 mil pontos.

Aliás, se tivesse investido na bolsa no dia em que a Helena nasceu (por exemplo, por meio de fundo que siga o Ibovespa), teria um retorno acumulado de 56%. Bem menos do que o CDI, que goleou a renda variável com um rendimento de 135,26%.

A bolsa só voltou ao radar da maior parte dos investidores nos últimos três anos. Apenas neste ano, o Ibovespa acumula uma valorização de 19%, contra 4,5% do CDI.

Recordar a pontuação do principal índice da bolsa em uma determinada data pode até ter um valor sentimental ou de aprendizado. Mas o que vai fazer você ganhar dinheiro é saber se o principal índice da bolsa ainda tem fôlego para novas escaladas.

Bem, esta é a pergunta que o Bank of America Merrill Lynch (BofA) faz todos os meses a gestores de fundos. E a visão deles já foi mais otimista, ainda que as perspectivas para as ações continuem favoráveis. Saiba mais sobre os resultados da pesquisa feita pelo banco americano nesta matéria do Eduardo Campos.

Apesar da Petrobras

Depois do grande susto provocado pelo ataque às instalações da Saudi Aramco, na Arábia Saudita, as cotações do petróleo devolveram boa parte da disparada de ontem. E esse movimento se refletiu em diversos mercados, inclusive na bolsa brasileira. Se na segunda-feira a Petrobras foi a grande responsável por sustentar o Ibovespa no campo positivo, hoje a estatal impediu uma alta ainda maior do principal índice da bolsa. O curioso é que o comportamento foi bem diferente dos mercados mundo afora, como você confere com o Victor Aguiar.

Você quer dólar?

Então toma! Um fenômeno ainda de difícil explicação vem acontecendo no mercado norte- americano: está faltando dólar. É isso mesmo que você acabou de ler. Tanto que o Federal Reserve (BC norte-americano) precisou injetar nada menos do que US$ 75 bilhões de uma só vez, sem anestesia, no mercado de curtíssimo prazo. Entenda os resultados e as motivações dessa inusitada operação de salvamento.

Pequenas empresas, grandes negócios

No meio de tantas fintechs, é preciso se diferenciar para se destacar. Em busca de ampliar o alcance e público, a Neon Pagamentos foi atrás dos microempreendedores individuais, uma categoria que vem crescendo cada vez mais no país. Para facilitar a vida desses pequenos empreendedores, a fintech adquiriu a MEI Fácil, uma startup especialista em desburocratizar o processo de abertura de uma nova empresa. Confira os detalhes da novidade e os benefícios para os microempreendedores.

Mudança de estilo

A Amazon faz escola quando o assunto é modelo de negócios. A empresa de Jeff Bezos agora é inspiração para outra gigante mundial, só que do mercado automobilístico. Elon Musk afirmou que a fabricante de carros elétricos Tesla precisa adotar um modelo mais parecido com a Amazon se quiser ser eficiente, e o processo esbarra justamente nas entregas. Quem traz os detalhes dessa história é a Bruna Furlani.

Seguro morreu de velho

Eu não sei dizer de onde virá a próxima crise, só posso afirmar que algum momento ela virá. Por isso é sempre recomendável que você tenha algumas posições na carteira para se proteger de uma eventual piora nos mercados. Nos Estados Unidos, onde a alta das ações já vai para uma década, essa preocupação é ainda maior. Já que nessas horas uma proteção patrimonial é crucial, então que tal dar uma olhada no que os ultrarricos de lá estão fazendo? O Fernando Pivetti traz para você cinco antídotos dos milionários contra uma possível crise.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

*Colaboração Fernando Pivetti.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

escolha da CEO

Criptomeme bilionário, $moda$ de Hering e Arezzo, aposta contra o BC… veja o que bombou na semana no Seu Dinheiro

Você apostaria contra o Banco Central do Brasil?  Não falo de apostas mequetrefes com a turma do escritório, do tipo “quem perder paga uma rodada”.  Estou falando de colocar o seu patrimônio em investimentos que podem dar retornos altos se o BC estiver errado. Pois é justamente o que defende Rogério Xavier, da SPX Capital, um […]

empresa de porto alegre

Startup Zenvia entra com pedido de IPO na Nasdaq

Empresa quer levantar até US$ 100 milhões; oferta terá seus recursos destinados para pagar o montante utilizado na aquisição da startup D1, entre outros

LDO

LDO de 2022 prevê ‘vacinas’ contra manobras do Orçamento

Proposta exclui a possibilidade de indicação das emendas de relator e proíbe o Congresso de subestimar despesas obrigatórias sem aval do Executivo

negociações no varejo

Negociação de venda da Hering à Arezzo envolve questões de negócio e familiares

Alta cúpula da Arezzo passou os últimos dias em reuniões e deverá formar um grupo de trabalho para tratar sobre a proposta para a Hering, afirmou uma fonte

fique de olho

Itaú anuncia pagamento de juros sobre capital próprio

Serão R$ 0,05648 por ação, com retenção de 15% de imposto de renda na fonte; pagamento é uma antecipação aos aos dividendos e JPC do resultado de 2021

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies