Menu
2019-12-20T10:40:21-03:00
Balança comercial

Setor externo tem déficit de US$ 2,164 bilhões em novembro, diz BC

Estimativa do Banco Central para a dívida externa brasileira em novembro é de US$ 326,897 bilhões. Segundo a instituição, o ano de 2018 terminou com uma dívida de US$ 320,612 bilhões

20 de dezembro de 2019
10:30 - atualizado às 10:40
balança comercial
Imagem: Shutterstock

Após o déficit de US$ 7,874 bilhões em outubro, o resultado das transações correntes ficou negativo em novembro deste ano, em US$ 2,164 bilhões, informou nesta sexta-feira, 20, o Banco Central. A instituição projetava para o mês passado déficit de US$ 5,8 bilhões na conta corrente.

O número do mês passado ficou dentro do levantamento realizado pelo Projeções Broadcast, que tinha intervalo de déficit de US$ 5,800 bilhões a déficit de US$ 2,900 bilhões (mediana negativa de US$ 3,500 bilhões). O déficit de US$ 2,164 bilhões de novembro é o melhor resultado para o mês desde 2016, quando houve déficit de US$ 341,8 milhões.

A balança comercial registrou saldo positivo de US$ 2,777 bilhões em novembro, enquanto a conta de serviços ficou negativa em US$ 2,065 bilhões. A conta de renda primária também ficou deficitária, em US$ 2,916 bilhões. No caso da conta financeira, o resultado ficou negativo em US$ 2,266 bilhões.

No acumulado do ano até novembro, o rombo nas contas externas soma US$ 45,047 bilhões. A estimativa do BC, no Relatório Trimestral de Inflação (RTI) publicado na quinta-feira, 19, é de déficit em conta corrente de US$ 51,1 bilhões em 2019 e de US$ 57,7 bilhões em 2020.

Já nos 12 meses até novembro deste ano, o saldo das transações correntes está negativo em US$ 51,163 bilhões, o que representa 2,78% do Produto Interno Bruto (PIB).

Lucros e dividendos

A remessa de lucros e dividendos de companhias instaladas no Brasil para suas matrizes foi de US$ 1,827 bilhão em novembro, informou o BC. A saída líquida representa um volume inferior aos US$ 2,760 bilhões que foram enviados em igual mês do ano passado, já descontados os ingressos.

No acumulado do ano até novembro, a saída líquida de recursos via remessa de lucros e dividendos alcançou US$ 27,630 bilhões. A expectativa do BC é de que a remessa de lucros e dividendos de 2019 some US$ 32,0 bilhões. Para 2020, a projeção é de US$ 34,0 bilhões.

O BC informou também que as despesas com juros externos somaram US$ 1,100 bilhão em novembro ante US$ 1,165 bilhão em igual mês do ano passado.

No acumulado do ano até novembro, essas despesas alcançaram US$ 21,840 bilhões. Para este ano, o BC projeta pagamento de juros no valor de US$ 24,3 bilhões. No caso de 2020, a estimativa é de US$ 22,0 bilhões.

Viagens internacionais

A conta de viagens internacionais voltou a registrar déficit em novembro, informou o Banco Central. No mês passado, a diferença entre o que os brasileiros gastaram lá fora e o que os estrangeiros desembolsaram no Brasil foi de um saldo negativo de US$ 816 milhões. Em igual mês de 2018, o déficit nessa conta foi de US$ 921 milhões.

O desempenho da conta de viagens internacionais foi determinado por despesas de brasileiros no exterior, que somaram US$ 1,247 bilhão em novembro. Já o gasto dos estrangeiros em passeio pelo Brasil ficou em US$ 432 milhões no mês passado.

No ano até novembro, o saldo líquido da conta de viagens ficou negativo em US$ 10,693 bilhões. Para 2019, o BC estima um déficit de US$ 12,0 bilhões nesta conta. No caso de 2020, a projeção é de déficit de US$ 13,5 bilhões.

Dívida externa

A estimativa do Banco Central para a dívida externa brasileira em novembro é de US$ 326,897 bilhões. Segundo a instituição, o ano de 2018 terminou com uma dívida de US$ 320,612 bilhões.

A dívida externa de longo prazo atingiu US$ 253,529 bilhões em novembro, enquanto o estoque de curto prazo ficou em US$ 73,368 bilhões no fim do mês passado.

Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Quer nossas melhores dicas de investimentos de graça em seu e-mail? Cadastre-se agora em nossa newsletter
Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

Rompimento da barragem

Um ano após Brumadinho, alta cúpula da Vale tenta se defender de acusações

Foi dentro de um jato particular da Vale, durante a viagem de volta ao Brasil, depois de participar do Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que Fabio Schvartsman, então presidente da mineradora, recebeu a notícia do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Um ano após a tragédia de 25 de janeiro, […]

Fórum Econômico Mundial

Guedes, Doria e Huck sobem a montanha mágica de Davos — mas com intenções distintas

O ministro da Economia, Paulo Guedes; o governador de São Paulo, João Doria; e o apresentador de TV Luciano Huck brigam pelo protagonismo na edição deste ano do Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Seu mentor de investimentos

Estamos diante de um novo ciclo de alta das commodities?

No passado, dois bull markets de commodities deram enorme força à economia do Brasil. E, para o Ivan Sant’Anna, um novo ciclo de alta desses produtos está se desenhando no horizonte — o que abre enormes possibilidades de investimento

Parceiros

Brasil fecha acordo de cooperação técnica com a Alemanha na agricultura

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, assinou um acordo de cooperação com a Alemanha para o desenvolvimento do setor — a parceria durará, ao menos, três anos

APOSENTE-SE AOS 40 OU O QUANTO ANTES

3 Erros que vão ATRASAR sua aposentadoria

Aproveitando o clima de começo de ano, em que listas e regras para alcançar objetivos se proliferam mais rápido que o mosquito da dengue, decidi dar a minha contribuição numa lista diferente.

Enxugando

Bancos públicos devem acelerar vendas de ativos em 2020

Juntos, Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e BNDES devem vender, só no primeiro semestre de 2020, mais de R$ 60 bilhões em ativos

Obras a todo vapor

A economia brasileira segue patinando, mas o setor de construção dá sinais de força

O segmento de construção continua aquecido, com a retomada nos lançamentos e um crescimento no volume de vendas. E as prévias operacionais da Helbor, Direcional e MRV dão suporte ao otimismo do mercado

Aval do presidente

Bolsonaro aprova fundo eleitoral de R$ 2 bilhões em orçamento para 2020

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a inclusão do fundo eleitoral no Orçamento do governo de 2020 — um mecanismo que prevê gastos de R$ 2 bilhões para as campanhas das eleições municipais

O MELHOR DO SEU DINHEIRO

MAIS LIDAS: Bolha? Que bolha?

A matéria que discute uma suposta bolha nos fundos imobiliários foi a mais lida desta semana. Oi, aposentadoria e bolsa também estiveram entre os assuntos de destaque

Em busca de investidores

Guedes vai a Davos para ‘vender’ o Brasil

O ministro da Economia, Paulo Guedes, será a principal autoridade brasileira no Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements