Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
2019-08-12T10:19:14-03:00
TUDO QUE VAI MEXER COM SEU DINHEIRO HOJE

Quer apostar suas fichas na China?

12 de agosto de 2019
10:19
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Enquanto os criadores de Game of Thrones desenvolvem uma nova série para a Netflix, você pode assistir às batalhas políticas do mundo real. A programação atual anda animada, com destaque para a badalada guerra comercial entre China e Estados Unidos. Dá para fazer pipoca e ficar só assistindo. Mas e se você quiser ir além da posição de espectador e apostar em um vencedor?


Um dos caminhos para tomar posição num duelo de poder entre as nações é investir em fundos globais. É mais desafiador apostar na China, que é uma economia mais fechada e menos conhecida pelo investidor brasileiro. Melhor desistir? Jamais! Se você quiser entrar na briga, te mostramos o caminho.

O Eduardo Campos conversou com o presidente da gestora Franklin Templeton no Brasil, Marcus Vinícius Gonçalves. Ele disse que a casa vem buscando, justamente, chamar atenção para as vantagens trazidas pela diversificação global de portfólios de ações e renda fixa. Saiba mais.

A Bula da semana: otimismo local desafia tensão externa

O mercado financeiro doméstico desafia o cenário internacional, que continua nebuloso por conta da guerra comercial entre Estados Unidos e China. Investidores locais e institucionais estão animados com a perspectiva de avanço das reformas no Brasil e migrando seus recursos da renda fixa para a renda variável. A nova era de juros baixos no Brasil também é um dos principais fatores para o avanço da Bolsa brasileira.

No exterior, o mercado financeiro inicia a semana com pouco ímpeto. As principais bolsas asiáticas oscilaram entre altas e baixas. Xangai subiu 1,45%, após o Banco Central chinês (PBoC) fixar a taxa de referência do yuan acima de 7 por dólar pelo terceiro dia seguido. Já as principais bolsas europeias tentam seguir o sinal positivo, apesar da queda do petróleo e do minério de ferro. Em Nova York, os índices futuros estão no azul, mas a sinalização para o dia não parece firme.

Para ter um panorama dos principais eventos que vão mexer com a bolsa nos próximos dias, acesse a edição semanal da Bula do Mercado. É um conteúdo gratuito, exclusivo para os leitores Premium. Para acessá-lo é preciso apenas fazer um cadastro aqui e indicar esta newsletter para cinco amigos. Os conteúdos serão liberados assim que eles aceitarem o convite.

Na sexta-feira, o Ibovespa teve leve baixa de 0,11%, aos 103.996,16 pontos. O dólar avançou 0,33%, a R$ 3,9405. Consulte a Bula do Mercado para saber o que esperar de bolsa e dólar hoje.

Como um raio

Por aqui, o mercado também tem para digerir a última semana da temporada de divulgação de balanços das empresas. De varejistas a frigoríficos, ao menos 16 companhias listadas na carteira do Ibovespa publicam seus números nos próximos dias. Magazine Luiza, Eletrobras, Embraer, JBS e Ultrapar são alguns dos exemplos. Veja o que os analistas projetam para os principais indicadores nesta matéria do Fernando Pivetti.

Segura a recessão, BC!

Além dos balanços das empresas, os investidores têm outros dados locais para digerir. O Boletim Focus, que reúne estimativas de economistas do mercado financeiro, mostra que o mercado espera uma Selic ainda mais baixa no fim de 2019, de 5% ao ano - na semana anterior, a previsão era de 5,25%. Os dados do Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) só reforçam essa tese. Eles mostram que a economia brasileira registrou uma retração de 0,13% no segundo trimestre. Se confirmado o dado da publicação do Banco Central, considerada uma "prévia" do PIB, o país entrará novamente em uma recessão técnica. Saiba mais.

‘Paguei pau’ para essa história

Bill Gates
Bill Gates, fundador da Microsoft e um dos homens mais ricos do mundo - Imagem: Shutterstock

Você sabia que Bill Gates blefou para fechar seu primeiro contrato com a IBM? Além de visionário, a história de Gates mostra que ele apostou alto para fazer da Microsoft uma das empresas mais valiosas do mundo. Ele já doou US$ 35 bilhões para a caridade e ainda é o segundo homem mais rico do mundo. Nada mal, não? Conheça a trajetória de Bill Gates, sua grande tacada e o futuro que ele não viu.

O perfil do Gates é mais um conteúdo da série Rota do Bilhão, que conta a história dos 10 homens mais ricos do mundo. Você também pode ler novamente os outros perfis acessando nossa página especial.

Um grande abraço e ótima segunda-feira!

Agenda 

Bancos Centrais
- Banco Central: Boletim Focus
- BC divulga IBC-Br (junho)
- BC faz leilão de até 11 mil contratos de swap cambial (US$ 550 milhões) para rolagem de vencimentos de outubro

Balanços
- Após o fechamento: Eletrobras, Magazine Luiza, Cosan e Itaúsa

Indicadores
- MDIC: balança comercial (semanal)
- EUA: resultado fiscal mensal de julho

 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

App da Pi

Aplique de forma simples, transparente e segura

atenção, acionista

Carrefour paga R$ 175 milhões em juros sobre capital próprio e altera valor de dividendos

Cifra equivale a R$ 0,088148225 por ação em circulação; também anunciou uma modificação do valor por ação dos dividendos aprovados em abril, de R$ 0,382372952 para R$ 0,382361396

maior apetite por risco

Empresas do Brasil captam US$ 4,6 bilhões; montante deve aumentar com ofertas de Stone e Light

Emissores brasileiros haviam paralisado planos de captar no exterior nos últimos meses, em meio à turbulência interna com a pandemia e o aumento do juro norte-americano

em meio ao aumento de consumo de frango

SuperFrango, de Goiás, retomará IPO de R$ 1 bilhão

Após resolver adiar a operação, a empresa fará uma apresentação mais cuidadosa de seu negócio aos analistas; oferta é estimada entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão

levantamento

Estatais descumprem critérios do marco do saneamento

GO Associados calculou que as companhias públicas do Rio Grande do Norte, Santa Catarina, Alagoas, Maranhão, Amazonas, Pará, Piauí, Roraima, Rondônia e Amapá não atendem a todos os critérios da “etapa 1” do decreto – que prevê o cumprimento de índices mínimos dos indicadores econômicos-financeiros

questionamentos em brasília

Novo marco de saneamento é alvo de ofensiva no Supremo e no Congresso

No Supremo, mais de 20 empresas estatais que prestam hoje serviços no setor querem a volta da possibilidade de fechar os chamados “contratos de programa”, diretamente com as Prefeituras e sem licitação

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies