Menu
Dados da Bolsa por TradingView
2019-12-07T10:58:48-03:00
Estadão Conteúdo

Oxford Economics eleva previsão de crescimento do PIB do Brasil em 2020 para 2%

Casa avalia que as recentes tarifas sobre o aço e alumínio brasileiro não devem atrapalhar a recuperação da atividade, que vem ganhando fôlego

7 de dezembro de 2019
10:58
Cristo Redentor, no Rio de Janeiro
Cristo Redentor, no Rio de Janeiro - Imagem: Shutterstock

A consultoria inglesa Oxford Economics melhorou as projeções de crescimento do Brasil. Para este ano, a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) foi elevada de 0,8% para 1,1%. A de 2020 subiu de 1,7% para 2%.

Os economistas da casa avaliam que as recentes tarifas sobre o aço e alumínio brasileiro anunciadas pelo presidente norte-americano Donald Trump não devem atrapalhar a recuperação da atividade, que vem ganhando fôlego.

A decisão de Trump sobre a alta das tarifas nos produtos brasileiros, e também da Argentina, "nos lembra que o presidente americano é imprevisível e as tensões comerciais estão longe de serem resolvidas", ressalta relatório da Oxford neste sábado. "Dito isto, nossas análises sugerem que o impacto sobre o crescimento do Brasil e da Argentina será insignificante."

Mesmo com a alta da inflação em novembro, puxada pelos preços da carne, a Oxford Economics prevê novo corte de juros pelo Banco Central na reunião de política monetária da próxima semana, dias 10 e 11. O IPCA permanece bem abaixo da meta de inflação do BC, de 4,25% este ano, observa a consultoria.

A estimativa é que o corte será de 0,50 ponto porcentual, deixando a Selic em 4,5% ao ano.

A Oxford espera novo corte de 0,50 ponto em 2020, mas reconhece que essa previsão está ficando "menos provável", principalmente porque indicadores de atividade estão melhorando.

Comentários
Leia também
INVISTA COMO UM MILIONÁRIO

Sirva-se no banquete de investimentos dos ricaços

Você sabe como ter acesso aos craques que montam as carteiras dos ricaços com aplicações mínimas de R$ 30? A Pi nasceu para colocar esses bons investimentos ao seu alcance

NA B3

Ações do setor de saúde foram as que menos sofreram em agosto

Levantamento da Teva Índices mostra que os papéis do comércio e da construção foram os mais castigados no mês passado

NÃO AGRADOU

IBP critica mudanças regulatórias na venda de combustíveis

Representante das grandes distribuidoras de combustíveis defende manutenção do modelo de exclusividade no mercado de revenda de derivados de petróleo

Tempo de entrega menor

Randon terá linha férrea própria no interior de SP

Linha férrea partirá de dentro da fábrica e percorrerá 1,5 km transportando vagões, reboques e semirreboques a um ramal principal na mesma cidade; expectativa é de que a obra fique pronta em 2023

Entrevista exclusiva

Após vender Hortifruti para Americanas, Partners Group quer investir US$ 300 milhões e lançar fundo para o varejo no Brasil

Com um total de US$ 120 bilhões sob gestão, responsável pela gestora suíça no Brasil e América Latina fala ao Seu Dinheiro sobre potenciais alvos de aquisição e “concorrência” com IPOs na B3

em busca de recursos

B3 levanta US$ 700 milhões e revisa projeção de alavancagem

Segundo operadora da bolsa brasileira, a emissão faz parte da gestão ordinária dos negócios da companhia e visa diversificar as fontes de captação a condições atrativas de financiamento

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies