Menu
Marina Gazzoni
O melhor do Seu Dinheiro
Marina Gazzoni
É CEO do Seu Dinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2019-01-23T10:55:00-02:00
TUDO QUE VOCÊ PRECISA LER HOJE

Os custos escondidos

Veja a seleção de notícias que vai mexer com Seu Dinheiro hoje

23 de janeiro de 2019
10:54 - atualizado às 10:55

Caro leitor,

Quando era mais nova, tive como objetivo por um bom tempo adquirir um imóvel. Aliás, como você já deve saber, muito além do uso dele para casa própria, os imóveis podem ser um ótimo tipo de investimento que garantem aquela renda extra no fim do mês. E ao menos aqui em São Paulo, isso vem se tornando mais fácil ainda com ferramentas como o Booking e o Airbnb, que me permitem fazer aluguéis de temporada.

Mas nesse caminho, eu também aprendi (muito) a como me preparar para esse processo de compra. A primeira coisa que alguém pensa ao comprar o primeiro imóvel é o seu valor e o mínimo de entrada. Muitas vezes, porém, as pessoas esquecem os trâmites por trás dessas transações e os custos que passam despercebidos (ou são escondidos) com a euforia de fechar o negócio.

E a lista desses valores é grande: entrada, custo efetivo total (CET) do financiamento, impostos de correção sobre as parcelas do financiamento, comissão do corretor, registro do imóvel e IPTU, entre outros. Mas para te ajudar a passar por todos esses trâmites, o repórter Fernando Pivetti conversou com um consultor imobiliário, que abriu o jogo. Se você pensa em adquirir um imóvel um dia, a leitura é obrigatória.

Novela mexicana

A novela interminável entre o BTG e a XP Investimentos sobre os agentes autônomos ganhou um novo capítulo ontem à noite chegando ao Cade, o órgão de defesa da concorrência. Para resumir, o banco acusa a XP de descumprir o acordo firmado com o Cade para aprovar a venda de 49,9% do capital para o Itaú Unibanco. A cláusula da qual o BTG reclama se refere ao compromisso da corretora de não firmar contratos de exclusividade com escritórios de agentes autônomos. O Vinícius Pinheiro está acompanhando essa disputa e conta mais sobre aqui .

Tira aqui, coloca ali

Depois do discurso morno de Bolsonaro ontem, Paulo Guedes acordou determinado a “dar um gás” na relação com os investidores nesta terça-feira, 2º dia do Fórum Econômico de Davos. O ministro da Economia disse estar empenhado em reduzir de 34% a 15% a carga de impostos paga pelas empresas no país. Por outro lado, haverá compensações em outras taxas, como Juros sobre Capital Próprio (JCP) e dividendos. Saiba mais

Para além de Angra

O governo Bolsonaro está prestes a tirar da gaveta mais um assunto polêmico. Ontem, o Ministério de Minas e Energia (MME) declarou que pretende retomar o plano de construir entre quatro e oito novas usinas nucleares no país. Hoje, o país conta com apenas duas em operação, Angra 1 e 2, que respondem por 1,1% da geração nacional de energia. O plano de expansão do setor havia sido engavetado por conta dos desdobramentos do acidente de Fukushima, no Japão, em 2011. Leia mais

Pouso forçado

Em recuperação judicial desde dezembro, a Avianca Brasil está em busca de investidores que a ajudem a sair da situação. Ontem, a aérea anunciou que contratou uma consultoria especializada em reestruturação de empresas (e em cortar na carne). Ao que tudo parece, a companhia está perto de conseguir receber um aporte, algo que vem sendo analisado por três investidores. Leia mais

A Bula do Mercado: Na corda-bamba

O tão esperado discurso do presidente Jair Bolsonaro em Davos não animou o mercado. Ele tinha 45 minutos, usou apenas 6 e só falou de reformas quando foi questionado na sessão de perguntas. No fim, a mensagem genérica não convenceu e a bolsa brasileira já sentiu os impactos. O Ibovespa caiu quase 1% (a maior queda do ano), mas ainda fechou nos 95.103 pontos. O dólar, por outro lado, subiu 1,20%, aos R$ 3,80.

Mas hoje Bolsonaro tem uma outra chance. Na agenda, ainda na Suíça, o presidente participa de entrevista à imprensa ao lado dos ministros da Economia, Paulo Guedes, e da Justiça, Sérgio Moro, a partir das 13h (horário de Brasília).

Lá fora, dados mais fracos do Japão ampliaram o temor com a desaceleração econômica global. A guerra comercial entre EUA e China assim como shutdown em Washington também continuam no radar, com investidores à espera de algum desfecho.

Consulte a Bula do Mercado para saber como devem se comportar bolsa e dólar hoje.

Um grande abraço e uma ótima quarta-feira!

Agenda

  • IBGE divulga prévia da inflação (IPCA-15) em janeiro
  • Balanços 4º trimestre de 2018: Ford
  •  2º dia do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça
Comentários
Leia também
ENCRUZILHADA FINANCEIRA

Confissões de um investidor angustiado

Não vou mais me contentar com os ganhos ridículos que estou conseguindo hoje nas minhas aplicações. Bem que eu queria ter alguém extremamente qualificado – e sem conflito de interesses – para me ajudar a investir. Só que eu não tenho o patrimônio do Jorge Paulo Lemann. E agora?

DINHEIRO NO BOLSO

Presidente da Petrobras (PETR4) garante que estatal vai entregar dividendos prometidos aos acionistas

Silva e Luna reforçou que a empresa é acompanhada por vários órgãos, e que sua equipe tem total conforto e liberdade para gerenciar

Efeito Ômicron

Com nova variante no radar, Jerome Powell abandona discurso de inflação transitória e apavora mercados; entenda

O presidente do Fed confirmou que o banco central dos EUA deve agir para impedir que a alta dos preços se torne algo estrutural no país

Problemas no login

Em dia de pagamento do 13º salário, aplicativo do Bradesco (BBDC4) apresenta falhas e dificulta a vida dos usuários

O banco foi parar no topo dos assuntos mais comentados do Twitter na manhã de hoje usuários relatando falhas no aplicativo

DESFIBRILANDO VALOR

Aporte de R$ 1 bilhão destrava valor na Ânima; ação dispara até 20% na B3 e XP recomenda compra

Para analistas, aporte bilionário condicionado a reorganização societária deve destravar valor e diminuir alavancagem da instituição de ensino

Radiocash

Selic em alta mais bolsa em baixa é igual à fuga para a renda fixa? Para presidente da Anbima, diversificação veio para ficar

As alocações em renda variável podem até diminuir, mas Carlos Ambrósio não acredita que voltaremos para a realidade de ‘poupança, renda fixa e nada mais’

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies