Menu
Julia Wiltgen
O melhor do Seu Dinheiro
Julia Wiltgen
2019-04-25T19:04:28-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Na ponta do lápis

25 de abril de 2019
19:04
O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Andrei Morais/Seu Dinheiro

Depois de passar pela CCJ, a proposta de Reforma da Previdência iniciou hoje um novo capítulo do que promete ser uma conturbada jornada: a instauração da Comissão Especial da Câmara, que irá analisar o texto.

De cara, já foram anunciados os deputados Marcelo Ramos (PR-AM) como presidente do colegiado e Samuel Moreira (PSDB-SP) como relator, o que deu uma animada nos mercados. O início das atividades da comissão, contudo, deve ficar apenas para o dia 7 de maio.

Uma das questões que havia ficado no ar, após tantas discussões na CCJ, foi em relação à economia exata de cada ponto da proposta de reforma da Previdência do governo. Tanto oposição quanto parte da base protestaram quanto à falta de transparência neste quesito.

Assim, o Ministério da Economia apresentou, nesta quinta, os dados e estudos que embasaram a Nova Previdência, mostrando que a economia total da reforma em dez anos está estimada em nada menos que 1,236 trilhão, um pouco mais do que a estimativa inicial de R$ 1,1 trilhão.

A partir dos dados, é possível ver, na ponta do lápis, o impacto das mudanças por tipo de benefício e regime previdenciário, ano a ano, até 2029. Com isso, dá para ter uma ideia mais clara do potencial de desidratação da reforma ao longo das negociações na Comissão Especial, caso sejam retirados itens polêmicos como as alterações no BPC e na aposentadoria rural.

Em café com um grupo de jornalistas convidados hoje cedo, o presidente Jair Bolsonaro disse que o mínimo de economia aceito pelo ministro Paulo Guedes seria de R$ 800 bilhões.

O repórter Eduardo Campos acompanhou a apresentação do ministério da Economia e trouxe para você os números, tim tim por tim tim, do impacto fiscal da Nova Previdência em cada tipo de benefício e regime, mostrando que, proporcionalmente, a contribuição dos trabalhadores que ganham mais será maior.

É rápido que eu gosto

Os investidores gostaram de ver a disposição que a Câmara dos Deputados demonstrou para acelerar a tramitação da reforma da Previdência. Em um só dia os parlamentares conseguiram instalar oficialmente a Comissão Especial, escolher os representantes de cada partido no colegiado e eleger o presidente e o relator do grupo. Com tanta atividade pró-reforma lá em Brasília só restou à bolsa o otimismo, como bem mostra o Victor Aguiar na cobertura de mercados.

Vai dar #NaturAvon?

Essa é sem dúvidas a pergunta que os investidores da bolsa mais se fizeram no pregão de hoje, e a alta de mais de 10% nos papéis da Natura prova isso. Lembra daquela história de que a companhia brasileira de cosméticos estaria interessada em comprar a Avon? Pois bem, esse assunto voltou à tona quando a empresa coreana LG Household & Healthcare anunciou a compra da Avon América do Norte por US$ 125 milhões. Mas isso não representaria uma derrota para a Natura? Por que a ação subiu? A resposta para essa aparente contradição quem traz é o Victor Aguiar.

Dólar a R$ 4: o novo normal?

Muita gente está achando estranho o comportamento do dólar nos últimos dias. A moeda americana disparou e chegou a flertar com os R$ 4, mesmo com a aprovação da reforma da Previdência na CCJ e uma melhora no ambiente externo. A pergunta que fica é: o novo patamar do câmbio veio para ficar? Para o nosso Banco Central, a questão pode ser estrutural. O Edu Campos conta mais sobre a visão do BC, inclusive sobre o que poderia reduzir a cotação da moeda americana a essa altura.

De volta às origens

A Comissão Mista do Congresso que analisa a abertura de capital das companhias aéreas brasileiras aprovou hoje o relatório que permite até 100% de participação estrangeira nessas empresas. Até aí todo mundo esperava. A novidade veio com uma emenda sobre a velha história da cobrança de franquia de bagagem, que pode mudar mais uma vez as regras desse jogo.

Próxima onda?

Perdeu a última onda de valorização do bitcoin? Não se preocupe, porque tem outra vindo por aí. Pelo menos é o que diz o analista técnico Fausto Botelho. No vídeo de hoje, ele avaliou os gráficos para tentar descobrir para onde vai a protagonista das criptomoedas. E, de quebra, ainda indicou outros cinco criptoativos promissores. Vale muito a pena dar uma olhada se você está pensando em tomar esse barco.

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

QUESTIONAMENTOS

Frente parlamentar aciona STF para suspender reforma administrativa

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir a suspensão imediata da tramitação da reforma administrativa. No mandado de segurança, deputados e senadores argumentam que não é possível analisar a proposta por falta de informações técnicas. Segundo os parlamentares, a imposição de sigilo nos documentos que […]

BALANÇO

BC informa que 50 milhões de chaves já foram cadastradas no Pix

O Pix é um sistema que permitirá pagamentos e transferências 24 horas por dia, 7 dias por semana, todos os dias do ano.

SEU DINHEIRO NA SUA NOITE

Esse tal de BDR

O mercado financeiro adora usar termos e siglas em inglês, talvez para tornar a coisa mais difícil do que realmente é. Nos últimos dias você já deve ter lido, inclusive aqui no Seu Dinheiro, sobre um tal de BDR. As três letras vêm de Brazilian Depositary Receipts. O quê? Calma, nós chegamos lá. O BDR é […]

As queridinhas

Tesla, Apple e Mercado Livre são os BDRs mais negociados no 1º dia de mercado aberto a todos os investidores

Empresas de tecnologia dominaram o primeiro dia de negociações liberadas a qualquer investidor, que teve volume superior à média

embalou

Ibovespa fica perto dos 102 mil pontos com disparada dos bancos e alta em NY; dólar cai abaixo do R$ 5,60

Papéis de Itaú, Banco do Brasil e Bradesco terminam sessão entre as cinco maiores altas do índice, que fechou perto da máxima; moeda americana recua 0,36% e juros sobem em dia de leilão do Tesouro e à espera de novidades fiscais. Lá fora, expectativa para estímulos alivia bolsas americanas

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies