Menu
2019-10-15T11:47:57-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
tensão

FAO eleva para 6,69 milhões número de animais eliminados por peste suína na Ásia

A situação mais crítica, em termos de extensão, continua sendo a da China, com 158 focos em 32 províncias, incluindo a região administrativa de Hong Kong

15 de outubro de 2019
11:32 - atualizado às 11:47
carne suína
Imagem: Shutterstock

A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) informou que 6.692.399 suínos já foram eliminados em países asiáticos por causa da contaminação com a peste suína africana (ASF, na sigla em inglês).

Segundo a organização, o número representa um incremento de 414 mil animais em relação ao levantamento anterior da organização, de 3 de outubro. Os dados da FAO foram atualizados até a quinta-feira, 10.

O balanço da entidade compila informações extraídas dos órgãos federais dos países - por isso, o levantamento diverge de estimativas do mercado.

A revisão para cima no número de animais eliminados em virtude da infecção com o vírus deve-se principalmente à elevação no número de suínos descartados no Vietnã, que passou de 5 milhões para 5,4 milhões de animais sacrificados.

É a pior condição quanto ao volume de animais levados ao abate sanitário. No país, segundo o Ministério da Agricultura e Desenvolvimento Rural local, a epidemia atingiu 63 províncias, desde o relato da doença em 19 de fevereiro.

A FAO informou ainda que 61 novos focos da doença foram detectados no continente asiático. Dos novos casos detectados, 47 foram identificados no Laos, nove na Coreia do Sul e cinco nas Filipinas. Com a atualização, a FAO estima 530 focos da doença espalhados pela Ásia, ante 469 do relatório anterior da organização.

No Laos, foram encontrados 47 novos focos na semana, com a doença atingindo mais três províncias e levando à eliminação de cerca de 14 mil animais. Com isso, desde a detecção da epidemia em 20 de junho, 141 focos foram relatados em 17 províncias e 39 mil animais foram eliminados.

No levantamento atual, a FAO incluiu também a identificação de nove novos focos da doença na Coreia do Sul. O Ministério da Agricultura, Alimentação e Assuntos Rurais do país informou que desde que a doença foi notificada, duas cidades foram atingidas, com 14 focos detectados e 39,1 mil animais eliminados.

Nas Filipinas, cinco novos focos da doença foram identificados, chegando a um total de 20 focos em quatro províncias. Agora, novos casos da epidemia foram reportados nas províncias de Pampanga e Pangasinan. Desde 25 de julho deste ano, quando o Departamento de Agricultura local confirmou o primeiro caso, foram eliminados 37 mil suínos.

Na China, situação crítica permanece

Nos demais países afetados pela doença no continente, China, Coreia do Norte, Mongólia, Camboja, Mianmar e Timor Leste, os números ficaram inalterados em relação ao balanço anterior.

A situação mais crítica, em termos de extensão, continua sendo a da China, com 158 focos em 32 províncias, incluindo a região administrativa de Hong Kong.

Desde a identificação do surto, em agosto do ano passado, 1,17 milhão de suínos foram eliminados, de acordo com dados divulgados pelo Ministério da Agricultura e Assuntos Rurais do país.

No Camboja, de acordo com o Ministério da Agricultura, Florestas e Pesca do país, desde a identificação da doença, em 2 de abril, 2,85 mil animais foram mortos e cinco províncias foram atingidas.

Quanto à Mongólia, desde o primeiro caso detectado em 15 de janeiro, 11 surtos foram notificados em seis províncias, levando à eliminação de 3.115 animais, mais de 10% do plantel do país.

A Coreia do Norte permanece com um foco da doença identificado, desde 23 de maio, levando à eliminação de 77 animais. Em Mianmar, desde que o primeiro caso foi detectado pelo governo local em 1º de agosto, a epidemia atingiu aldeias da província de Shan State com quatro focos e já levou ao abate sanitário 163 animais.

No Timor Leste, desde que o primeiro caso foi confirmado em 27 de setembro na capital do país, Dili, 100 focos foram identificados e 405 animais sacrificados.

*Com Estadão Conteúdo 

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Quem é a Pi

Uma plataforma de investimentos feita para ajudar a atingir seus objetivos por meio de uma experiência #simples, #segura, #acessível e #transparente.

O melhor do seu dinheiro

Alguém chame os bombeiros

Hoje tivemos mais um dia de grande volatilidade nos mercados brasileiros, que entraram em parafuso com o temor de que o teto de gastos poderia vir a ser furado. Os investidores aguardam com grande ansiedade a votação da PEC Emergencial, aquela que permitirá o retorno do auxílio emergencial. E rumores de que ela seria desidratada […]

FECHAMENTO

Em dia de alta volatilidade, Lira salva Ibovespa de um fiasco e segura o dólar em R$ 5,66

A volatilidade reinou absoluta nesta quarta-feira (03) e mais uma vez Brasília foi responsável por movimentar os negócios no Brasil. Lá fora, o dia foi de cautela com a alta dos juros futuros

Luz no fim do túnel?

Ministério da Saúde avança em negociações com laboratórios para comprar vacinas

A declaração do MS foi dada pelo titular da pasta, Eduardo Pazuello, em reunião com a Confederação Nacional de Municípios (CNM).

Crypto News

Bitcoin para leigos e descrentes também

Descrever algo tão complexo como o Bitcoin exige repertório, dedicação e um pouco de sedução de quem apresenta.

Ruim, mas nem tanto?

“É um dos países que menos caíram no mundo”, afirma Bolsonaro, sobre queda de 4% no PIB

Para Bolsonaro a queda do PIB só não foi maior devido a movimentação da economia gerada pelo auxílio emergencial.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies