Menu
Vinícius Pinheiro
O melhor do Seu Dinheiro
Vinícius Pinheiro
Dados da Bolsa por TradingView
2019-09-27T19:12:17-03:00
Seu Dinheiro na sua noite

Entre a foto e o filme, fique com o filme

27 de setembro de 2019
19:12
Selo O Melhor do Seu Dinheiro; investimentos
Imagem: Montagem Andrei Morais / Shutterstock

Você pode acompanhar a bolsa como se fosse uma foto ou um filme. Quem tirou uma polaroid do Ibovespa no último dia 10 de julho, quando o principal índice da bolsa alcançou o nível recorde de 105.817 pontos, e voltou a fotografar hoje, não vai notar praticamente nenhuma mudança.

Desde o dia em que a reforma da Previdência foi aprovada em primeiro turno na Câmara, o Ibovespa acumula uma queda de meros 0,70%. No fechamento desta sexta-feira, o índice marcou os 105.077 pontos.

Se a foto aparenta poucas mudanças, quem acompanhou ou viveu o filme da bolsa nesses quase três meses tem muita história para contar.

O melhor exemplo é o do investidor que entrou no dia 26 de agosto, quando o Ibovespa caiu à mínima de 96.429 pontos, e agora ostenta um ganho de quase 9%. É claro que a bolsa também pode ser um filme de terror para quem saiu na hora errada.

Acertar o ponto ideal de entrada no mercado é muito difícil, ainda que algumas ferramentas, como a análise técnica, ajudem bastante. Mas fica claro que é sempre melhor tomar suas decisões de investimento acompanhando o filme do que apreciar apenas as fotos tiradas em momentos distintos.

Conheço e sou procurado por muita gente que viu a foto do Ibovespa 87.887 pontos no fim do ano passado, não fez nada e agora se lamenta ao ver a imagem de hoje.

Como você sabe, todos os dias (úteis) tem filme na bolsa, e quem traz para você as principais cenas que movimentaram o pregão é o Victor Aguiar.

------

CURSO DO SEU DINHEIRO

Conheça os foguetes da bolsa

A técnica capaz de fazer seus investimentos decolarem está aí e você pode aprender tudo sobre ela. Embarque nesse mundo e seja você mesmo um especialista gráfico. (Saiba mais)

------

Depois da pulada de cerca

Após um longo noivado com a Gol, a norte-americana Delta surpreendeu o setor aéreo ontem à noite ao anunciar a compra de 20% da Latam. No dia seguinte da pulada de cerca, os investidores queriam saber mais sobre como será a vida do novo casal. Quem respondeu às questões foi o CEO da Delta, que promoveu uma teleconferência hoje pela manhã. Saiba quando ele espera que o acordo de cooperação com a Latam entre em vigor e o destino da parceria com a Gol, além da reação das ações.

Taxa reduzida

Com a Selic em mínimas históricas, o investidor precisa ficar ainda mais atento às condições de cada aplicação. Não dá mais para pagar taxas de administração desnecessárias nos fundos de investimento. Não que no passado essa tenha sido uma boa ideia. Mas agora é um vacilo ainda maior assistir à rentabilidade ser carcomida pelos custos. Ainda mais com tantas opções disponíveis no mercado hoje. O BTG Pactual, por exemplo, anunciou hoje uma redução radical nas taxas de fundos de Ibovespa, ouro e dólar. Confira como ficaram os custos nesta matéria da Julia Wiltgen.

Esquadrão frigorífico

A crise de imagem provocada pelos incêndios na Amazônia ainda tem um potencial de danos às empresas brasileiras - e elas estão atentas. Depois de o Ministério da Agricultura ser consultado informalmente por alguns países sobre a compra de gado de áreas de desmatamento ou ilegais, os frigoríficos brasileiros resolveram se mexer. Nesta matéria do Estadão você fica sabendo o que JBS, Marfrig e Minerva estão organizando para evitar um possível boicote.

Chamada incompleta

Depois de animar o mercado ao entrar na badalada lista de privatizações de estatais do governo federal, a Telebras agora avalia outro caminho: fechar o capital. Mas engana-se quem pensa que essa seria uma solução fácil. A empresa simplesmente não tem nem dinheiro para sair da bolsa. Saiba mais sobre os planos da estatal, cujas ações passam por uma verdadeira montanha-russa desde a possibilidade de venda.

Bolo, champanhe e muita informação

A sexta-feira teve um sabor especial aqui na redação do Seu Dinheiro. Comemoramos o aniversário de um ano do site regado a muito bolo e champanhe para comemorar. E o nosso happy hour não poderia escapar dessas comemorações. O Victor Aguiar, a Marina Gazzoni e eu preparamos um podcast Touros e Ursos especial para colocar você dentro dos bastidores do nosso trabalho. Relembre os detalhes de tudo que trouxemos para você desde setembro de 2018. Aperte o play e vem com a gente!

Este artigo foi publicado primeiramente no "Seu Dinheiro na sua noite", a newsletter diária do Seu Dinheiro. Para receber esse conteúdo no seu e-mail, cadastre-se gratuitamente neste link.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

2022 MAIS GORDO

Dividendos e JCP: Copel (CPLE6) engrossa a lista de pagamentos milionários aos acionistas; não fique fora dessa

Data da remuneração ainda não foi definida pela empresa, mas valerá para aqueles com posição até 30 de dezembro deste ano

FECHAMENTO DO DIA

Investidores tentam equilibrar noticiário e Ibovespa emplaca mais um dia de alta; dólar tem queda firme com ômicron no radar

Com o avanço da PEC dos precatórios, a pandemia se torna um dos únicos gatilhos negativos a rondar o Ibovespa,

DOBRANDO A ESQUINA

Lucro das empresas com ações na bolsa deve cair 6,3% em 2022, diz BTG Pactual

Mesmo assim ainda é possível encontrar setores em que o cenário é positivo; saiba quem é quem

Bateu o martelo

IPO do Nubank sai no topo da faixa indicativa, a US$ 9 por ação; banco ultrapassa Itaú (ITUB4) e é a instituição financeira mais valiosa da América Latina

Com isso, os BDRs, que serão negociados por aqui a partir da próxima quinta-feira (09), saem valendo R$ 8,38

Juros nas alturas

Selic decola a 9,25%, maior patamar em quatro anos; BC assume tom duro e indica nova alta de 1,5 ponto em fevereiro

Com a nova alta de 1,5 ponto concretizada hoje, a Selic saiu do patamar de 2% em janeiro e fecha o ano em 9,25%

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies