Menu
2019-12-12T11:23:32-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
na esteira da selic

Caixa anuncia redução de juro no crédito imobiliário e no cheque especial

Para o crédito imobiliário, a taxa passa para TR + 6,50% ao ano; para o cheque especial da conta salário, a taxa cair para 4,95% ao mês

12 de dezembro de 2019
11:17 - atualizado às 11:23
Fachada da Caixa Economica Federal
Imagem: Shutterstock

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (12) a redução nas taxas de juros para o crédito imobiliário e o cheque especial. Para o crédito imobiliário, a taxa passa de TR + 6,75% ao ano para TR + 6,50% ao ano.

O movimento da Caixa não é isolado. Com a taxa básica de juros a mínimas inéditas, os bancos deram início a uma ofensiva no mercado de crédito imobiliário. Em outubro, quando o Copom cortou a Selic a 5% ao ano, instituições como o Bradesco, Itaú Unibanco e a própria Caixa já haviam reduzido as taxas. Agora, após mais uma queda da Selic, a instituição pública larga na frente.

A redução de 0,25 ponto porcentual promovida pela Caixa vale para os financiamentos tanto pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) quanto pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). A nova taxa entra em vigor no dia 16 de dezembro.

Cheque especial

Já para o cheque especial, o anúncio não trouxe grandes mudanças. Para o cheque especial da conta salário, a taxa cairá de 4,99% ao mês para 4,95% ao mês, uma queda de apenas de 0,04 ponto porcentual.

Para os clientes sem pacote de relacionamento com a Caixa, o juro do cheque especial cairá de 8,99% ao mês para 8,00% ao mês, apenas cumprindo o novo teto de juros para a modalidade instituído no mês passado pelo Banco Central.

Para o cheque especial, as novas taxas entram em vigor em 2 de janeiro de 2020.

Terceira redução

Essa é a terceira redução de juros no crédito imobiliário anunciada pela Caixa desde outubro. No dia 30 daquele mês, o banco diminuiu a taxa de TR + 7,50% para TR +6,75%.

Antes, no dia 8, a instituição havia cortado em até 1 ponto porcentual as taxas para financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo.

A TR é a Taxa Referencial, criada em 1991 e usada como um fator de correção monetária de empréstimos, do FGTS e de investimentos. Hoje, a TR está zerada.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
UMA OPÇÃO PARA SUA RESERVA DE EMERGÊNCIA

Um ‘Tesouro Direto’ melhor que o Tesouro Direto

Você sabia que existe outro jeito de investir a partir de R$ 30 em títulos públicos e com um retorno maior? Fiz as contas e te mostro o caminho

PRESIDENTE DO SENADO

Alcolumbre promete pautar vetos no dia 4, incluindo desoneração e saneamento

Senadores também pretendem colocar em votação na mesma semana o projeto de autonomia do Banco Central

Esquenta dos mercados

Aversão generalizada ao risco aponta para abertura em queda do Ibovespa

Falta de acordo nos EUA, avanço da pandemia e politização de vacina azedam o humor dos investidores

NÚMEROS DA PANDEMIA

Covid-19: Brasil tem 24.818 novos casos em 24 horas

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o País contabilizou 5.298.772 casos confirmados de covid-19

Exclusivo SD Premium

Os senhores do universo: grandes tacadas e ferroadas no mercado internacional

Se o caro amigo leitor está pensando em investir fora do Brasil, dou a maior força. Mas tenha em mente que lá é a primeira divisão, seus oponentes são os melhores traders do mundo

3º trimestre

Tesla: 5 números do balanço que surpreendeu o mercado

2020 tem sido um ano e tanto para as ações da montadora, que acumula uma alta superior a 420% e que pode fechar o seu primeiro ano no azul

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies