Menu
2019-12-12T11:23:32-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
na esteira da selic

Caixa anuncia redução de juro no crédito imobiliário e no cheque especial

Para o crédito imobiliário, a taxa passa para TR + 6,50% ao ano; para o cheque especial da conta salário, a taxa cair para 4,95% ao mês

12 de dezembro de 2019
11:17 - atualizado às 11:23
Fachada da Caixa Economica Federal
Imagem: Shutterstock

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira (12) a redução nas taxas de juros para o crédito imobiliário e o cheque especial. Para o crédito imobiliário, a taxa passa de TR + 6,75% ao ano para TR + 6,50% ao ano.

O movimento da Caixa não é isolado. Com a taxa básica de juros a mínimas inéditas, os bancos deram início a uma ofensiva no mercado de crédito imobiliário. Em outubro, quando o Copom cortou a Selic a 5% ao ano, instituições como o Bradesco, Itaú Unibanco e a própria Caixa já haviam reduzido as taxas. Agora, após mais uma queda da Selic, a instituição pública larga na frente.

A redução de 0,25 ponto porcentual promovida pela Caixa vale para os financiamentos tanto pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH) quanto pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). A nova taxa entra em vigor no dia 16 de dezembro.

Cheque especial

Já para o cheque especial, o anúncio não trouxe grandes mudanças. Para o cheque especial da conta salário, a taxa cairá de 4,99% ao mês para 4,95% ao mês, uma queda de apenas de 0,04 ponto porcentual.

Para os clientes sem pacote de relacionamento com a Caixa, o juro do cheque especial cairá de 8,99% ao mês para 8,00% ao mês, apenas cumprindo o novo teto de juros para a modalidade instituído no mês passado pelo Banco Central.

Para o cheque especial, as novas taxas entram em vigor em 2 de janeiro de 2020.

Terceira redução

Essa é a terceira redução de juros no crédito imobiliário anunciada pela Caixa desde outubro. No dia 30 daquele mês, o banco diminuiu a taxa de TR + 7,50% para TR +6,75%.

Antes, no dia 8, a instituição havia cortado em até 1 ponto porcentual as taxas para financiamentos imobiliários com recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo.

A TR é a Taxa Referencial, criada em 1991 e usada como um fator de correção monetária de empréstimos, do FGTS e de investimentos. Hoje, a TR está zerada.

*Com Estadão Conteúdo

Comentários
Leia também
CUIDADO COM OS ATRAVESSADORES

Onde está o seu iate?

Está na hora de tirar os intermediários do processo de investimento para deixar o dinheiro com os investidores

ARMADILHAS FINANCEIRAS

Dois investimentos que parecem uma boa, mas são ‘cilada’

As armadilhas costumam travestir-se de “grandes retornos, com baixo risco”.

Coronavírus

Brasil atinge 100 mil mortos por covid-19; STF decreta luto de 3 dias

Enquanto isso, Bolsonaro destaca 2 milhões de recuperados

Balanço

Lucro da Berkshire Hathaway, de Warren Buffett, sobe 87% no 2º trimestre

Recuperação do mercado de ações teve bons reflexos no balanço da companhia do megainvestidor Warren Buffett, mas no ano a empresa ainda amarga prejuízo

Às vésperas do orçamento

Ministros pedem mais recursos a Guedes

Sob pressão interna para ampliar os gastos como forma de combater os efeitos econômicos da covid-19, o ministro da Economia, Paulo Guedes, precisa entregar o Orçamento do ano que vem até o dia 31 deste mês

Entrevista

Meirelles: ‘A raiz da pressão por aumento de gastos é sempre a mesma, eleição’

Em entrevista ao Estadão, Henrique Meirelles lembra que o País tem pouca memória e que quebrar o teto levaria a uma crise muito maior do que a de 2015

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements