Menu
2019-07-03T16:08:09-03:00
Seu Dinheiro
Seu Dinheiro
Clima tenso de volta?

Bolsonaro rejeita “pacto assinado no papel” e cobra exemplo do Legislativo e Judiciário

Presidente rechaçou ideia de estabelecer um pacto afirmando que “a política mudou”

3 de julho de 2019
16:08
Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro - Imagem: Marcos Corrêa/Presidência da República

Em discurso feito em um evento de militares em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira, 3, que "a política mudou", rejeitou a necessidade de um "pacto assinado no papel" e cobrou que os poderes Executivo e Legislativo deem o "exemplo".

"Nós não precisamos de pacto assinado no papel. O pacto que nós precisamos, com o Poder Legislativo e com o Poder Executivo, é o nosso exemplo, de votarmos matérias, de apresentarmos proposições que fujam do populismo, que estimulem cada um que é responsável por receber aquilo que recebe pelo suor do seu rosto", disse o presidente.

A declaração foi dada um pouco mais de um mês depois de os três poderes da República - o Executivo, o Legislativo e o Judiciário - terem negociado um pacto que representou um compromisso das instituições com as reformas prometidas pelo governo.

Em uma crítica à classe política, o presidente afirmou que é preciso "sair do papel" e "sair do discurso fácil de político". "Temos que dar o exemplo, o Executivo e o Legislativo, e daremos exemplo, para o Brasil chegar ao local dos sonhos de todos nós", declarou.

Bolsonaro também disse que o povo brasileiro é mais importante do que qualquer instituição. "São vocês que conduzem nosso destino, e é a vocês, somente a vocês, que eu tenho lealdade absoluta, contem comigo, porque eu sei que conto com vocês", afirmou.

O evento desta quarta-feira marcou solenidade de posse do novo comandante do Comando Militar do Sudeste, general Marco Antonio Amaro, que assume no lugar do general Luiz Eduardo Ramos, que será o novo ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República, substituindo o general Carlos Alberto dos Santos Cruz.

Bolsonaro elogiou Ramos, contou que são amigos há 46 anos e disse que espera contar com sua ajuda para "resgatar a credibilidade de nossas instituições".

*Com Estadão Conteúdo.

Comentários
Leia também
A REVOLUÇÃO 3.0 DOS INVESTIMENTOS

Que pi… é essa?

Eu decidi sair do banco, mas não queria entrar em uma enrascada. Bem, acredito que eu tenha encontrado um portal para fugir dessa Caverna do Dragão das finanças. E cá estou para explicar essa descoberta.

seu dinheiro na sua noite

E essa Black Friday em ano de crise, vai dar bom?

Estamos prestes a viver uma Black Friday num ano de forte crise, em que as pessoas ficaram confinadas em casa. Definitivamente não é o melhor dos cenários para uma data tão voltada para o consumo. Por outro lado, foi na internet que a Black Friday ganhou força no Brasil, e o e-commerce deu um enorme […]

alta de 32% no ano

Parte da desvalorização maior do real se deve à dívida, diz presidente do BC

Roberto Campos Neto lembrou que o encerramento do ano é, tradicionalmente, um período de mais remessas de recursos ao exterior

fim do dia

O rali continua: Ibovespa deixa Wall Street de lado e sobe quase 20% em novembro

Ações de CVC e siderúrgicas lideram alta do índice. Dólar cai com fluxo e divulgação do dado das contas externas e juros recuam de olho em fiscal

Em pleno calendário eleitoral

Senado aprova mudanças na Lei de Falências

O projeto amplia o financiamento a empresas em recuperação judicial, permite o parcelamento e o desconto para pagamento de dívidas tributárias e possibilita aos credores apresentar plano de recuperação da empresa

Olha o Gol

Boeing 737-8 Max é autorizado a retornar operações no Brasil pela Anac

A informação é vista com bons olhos pela Gol, que é a única credenciada a operar o modelo no Brasil.

Carregar mais notícias
Carregar mais notícias
Fechar
Menu
Advertisements

Usamos cookies para guardar estatísticas de visitas, personalizar anúncios e melhorar sua experiência de navegação. Ao continuar, você concorda com nossas políticas de cookies